sábado, 8 de dezembro de 2012

A família Paes de Oliveira/Paz de Oliveira [de SP a Santa Cristina do Pinhal/RS]



A família Paes de Oliveira/Paz de Oliveira
[de São Paulo a Santa Cristina do Pinhal/RS]
Autoria de Diego de Leão Pufal
À Nair Beck Schmitt e Adriana Weber.


[dúvidas, acréscimos e correções, escreva para diegopufal@gmail.com]

[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: PUFAL, Diego de Leão. A família Paes de Oliveira/Paz de Oliveirain blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/]

[publicado em 08/12/2012]
[atualizado em 28/07/2017]

A família Paes de Oliveira estabeleceu-se no Rio Grande do Sul, na cidade de Santa Cristina do Pinhal, então distrito de Gravataí e depois de São Leopoldo, ainda no século XIX, vinda de São Paulo e descendente dos primeiros portugueses chegados no Brasil nos anos de 1500.          
Embora a combinação dos sobrenomes seja comum (Paes e Oliveira), o ramo que trataremos nesta postagem seguiu com o nome composto “Paes de Oliveira” ou “Paz de Oliveira” por diversas gerações, deixando larga descendência em Santa Cristina do Pinhal, São Leopoldo, Taquara e arredores.
João Paes de Oliveira (também João Bueno de Oliveira, João Paz de Oliveira) nasceu em meados de 1780 na cidade de Sorocaba/SP, migrando para o Rio Grande do Sul por volta de 1805/1810, assim como inúmeros conterrâneos que fizeram o mesmo caminho na época, talvez em razão da atividade ligada ao tropeirismo, talvez em virtude das novas oportunidades criadas no recente “Continente de São Pedro de Rio Grande”.
Luiz Gonzaga da Silva Leme em “Genealogia Paulistana”, em seus diversos volumes, traz a ascendência parcial de João Paes de Oliveira, ligando-o aos Gonçalves Lumbria, Carrasco, Leme, Moreira Cabral e tantas outras.
Pela linha paterna de João Paes de Oliveira, chega-se a Theodósio de Oliveira Fragoso que teria nascido cerca de 1650/1660 na província de São Paulo e onde em 02/05/1713 já era falecido. Theodósio casou-se com Antônia de Souza Pereira, filha de Pantaleão de Souza Pereira (nascido por volta de 1624 na cidade do Porto, Portugal e falecido em 1701 em São Paulo/SP) e de Francisca de Souza (esta filha de Manuel Álvares de Souza, açoriano da Ilha de São Miguel e Maria Carneiro, falecida em 1705 em São Paulo/SP).
Theodósio e Antônia geraram, dentre outros filhos, a Antônio de Oliveira Pereira (ou Antônio de Oliveira Fragoso), nascido em Santo Amaro/SP, casado a 02/05/1713 em Sorocaba/SP com Antônia Dias Garcia (dada em alguns registros como Ana Dias Paes), batizada a 15/02/1696 em Sorocaba/SP, filha do capitão Miguel Garcia Lumbria (n. São Paulo e falecido a 15/07/1721 em Sorocaba) e de Sebastiana Moreira Cabral (ou Sebastiana Fernandes, de Sorocaba), neta paterna do também capitão Martin Garcia Lumbria (nascido em 1639 em São Paulo) e Maria Domingues de Candeias e, materna, do capitão Paschoal Moreira Cabral, o velho e de Mariana Leme.
Registro de casamento de Antônio de Oliveira Fragoso e Ana Dias Paes,
cujo ato foi realizado a 02/05/1713 em Sorocaba/SP.
[Livro 1º de casamentos, página 31 verso]
Do casamento de Antônio de Oliveira Pereira com Antônia Dias Garcia houve vários filhos, dentre eles: Jerônimo Paes de Oliveira, nascido em São Paulo em meados de 1720/1730 e casado a 18/02/1751 em Sorocaba/SP com Rosa Maria da Fonseca, ali nascida, filha de Félix Rodrigues Valente (nascido em 1703 em Sorocaba) e de Isabel Maria da Fonseca (batizada a 23/01/1706 em Sorocaba), neta paterna de Antônio Valente e de Antônia Rodrigues e, materna, de Domingos Lopes e Maria da Fonseca ou Maria Moreira (batizada a 11/04/1683, Sorocaba).
Registro de casamento de "Hieronimo Pays de Oliveira" e Rosa da Fonseca,
cujo ato deu-se em 18/02/1757 em Sorocaba/SP.
[Livro 2º de casamentos de Sorocaba, p. 112]
Jerônimo Paes de Oliveira e Rosa Maria da Fonseca geraram a Inácio Paes de Oliveira, dado como nascido em Sorocaba, São Paulo ou Porto Feliz, por volta de 1750. A 30/05/1775 em Porto Feliz/SP, Inácio casou-se com Maria Tereza Ferraz Bueno, nascida cerca de 1755 em Itu/SP, filha de João Ferraz Bueno (natural de Parapanema/SP ou do Estado de Goiás) e de Joana de Almeida (natural de Itu/SP), neta paterna de José Ferraz de Araújo e Mariana da Silva e, materno, de Francisco Cardoso de Campos e Isabel de Godoy Moreira.
Registro de casamento de "Ignacio Paes de Oliveira" e "Maria Bueno", cujo ato se deu a  30/05/1775 na
cidade de Porto Feliz/SP. Curioso que no registro constam os nomes dos avós dos noivos.
[Livro 1º de casamentos de Porto Feliz, pág. 34v]
Do casamento de Inácio Paes de Oliveira e Maria Teresa Ferraz Bueno nasceu João Paes de Oliveira por volta de 1780 em Sorocaba ou Porto Feliz/SP e vindo para o Rio Grande do Sul, cuja descendência será abaixo tratada, adotando-se as seguintes abreviaturas:
“bat.” para “batizado(a)”;
“fal.” para “falecido(a)”, e
“n.” para “nascido(a)”.
***
 1- JOÃO PAES DE OLIVEIRA (João Bueno de Oliveira/João Pais de Oliveira/João Paz de Oliveira) nasceu cerca de 1780 em Sorocaba ou Porto Feliz/SP e faleceu a 21/06/1859 em Santa Cristina do Pinhal, tendo sido o registro feito na Igreja Católica de São Leopoldo/RS.
Registro de óbito de "João Pas de Oliveira" feito em 27/06/1859 em São Leopoldo, seis dias depois de seu falecimento em Santa Cristina do Pinhal. João contava com 83 anos, era viúvo e foi sepultado no Cemitério "dos Catholicos da S.ta Christina".[AHCMPA, livro 1º de óbitos da Igreja Católica de São Leopoldo, p. 106]
João casou-se a 08/01/1811 na então freguesia de Nossa Senhora das Aldeias dos Anjos, hoje Gravataí, com Joaquina Constância da Silva ou Joaquina Maria da Conceição, nascida em 1781 na freguesia de Sant´Ana da Vila Nova, atual cidade de Imbituba/SC, filha de Francisco José da Silva (nascido cerca de 1760 na ilha de São Jorge, Açores e falecido a 23/07/1831 em Porto Alegre/RS) e de Luísa Maria Francisca da Costa (nascida cerca de 1760, Imbituba/SC e fal. 23/06/1834, Porto Alegre/RS), neta paterna de Thomé Teixeira da Silva e de Bárbara de Lemos e, materna, de Manuel de Ávila da Costa e Maria do Rosário.

Registro de casamento de "João Pais de Oliveyra" e Joaquina Francisca, cujo ato aconteceu na freguesia de Nossa Senhora dos Anjos, hoje Gravataí/RS, a 08/01/1811.
[ACHMPA, livro 1º de casamentos de Gravataí, p. 246v]
Em 1867, Joaquina Constância da Silva deu início ao inventário dos bens deixados por seu marido “João Paz de Oliveira”, tendo falecido no curso do processo, tomando o lugar de inventariante o genro Constantino Francisco Teixeira. O processo foi autuado sob o n.º 37, maço 02, em 1873, pelo Cartório de Órfãos de Taquara (APERS), constando que Joaquina faleceu a 22/10/1873 em Santa Cristina do Pinhal, deixando testamento. Em dito testamento, Joaquina, “achando-me bastante doente, porem em meu perfeito juízo”, disse ser natural da freguesia da Vila Nova, de Laguna, onde foi batizada, viúva de João Paz de Oliveira, já falecido, com quem teve 13 filhos. Elegeu como testamenteiro, em primeiro lugar, o genro Constantino Francisco Teixeira, em segundo, o filho João Paz de Oliveira e, em terceiro, o filho Joaquim Paz de Oliveira. Joaquina deixou a terça de seus bens para a filha Constantina “em gratidão do muito que me tem servido desde a morte do meu esposo”. O testamento foi feito em 20/04/1868 em Santa Cristina do Pinhal, aberto em 02/11/1873 e foi assinado a rogo da declarante, indicando que era analfabeta ou que não tinha condições de assinar o ato.
O monte-mor da herança era de 5:319$040 (cinco contos, trezentos e dezenove mil e quarenta réis) e composto pelos seguintes bens: quatro escravos; cinco bois mansos; uma vaca mansa com cria; dois terneiros; um cavalo manso velho; duas éguas velhas; uma potranca e um pedaço de terras com 299:20 metros de frente com meia légua de fundo na margem esquerda do Rio dos Sinos, em Santa Cristina do Pinhal, com uma casa de moradia em mau estado, uma outra casa que servia de atafona, com uma roça de mandioca e demais trastes de casa (bacias, panelas, talheres, etc).
João Paes de Oliveira e Joaquina tiveram 13 (treze) filhos, sendo que o nome “Paes de Oliveira” aparece de diferentes formas nos registros eclesiásticos, tais como “Pais de Oliveira” e “Paz de Oliveira”. Seguem os filhos de João e Joaquina:
2-1 Florentino Paes de Oliveira, bat. 15/12/1811, Gravataí/RS. Faleceu antes de sua mãe e, ao que parece, sem descendência, visto não ter sido representado no referido processo por eventual descendente.
2-2 Maria Joaquina de Oliveira, n. 18/03/1813, bat. 25/03/1813, Gravataí/RS. Consta no inventário materno que Maria Joaquina era casada com Claudino Antônio de Souza, então residentes em Porto Alegre (1873). Claudino foi filho de Antônio de Souza de Ávila e Joaquina Maria da Conceição, abaixo mencionados. Pais de:
3-1 Januário, n. 06/07/1835, bat. 13/09/1835 na Catedral de Porto Alegre.
3-2 Claudina, bat. 25/04/1838 na Catedral de Porto Alegre.
3-3 Ana, n. 26/07/1848, bat. 16/09/1848 na Igreja da Piedade em Porto Alegre.
2-3 Bernardina Theodora de Oliveira, n. 20/11/1814, Gravataí. Em 1873, por ocasião do inventário materno, estava casada com Wenceslau José da Cunha, residentes em Porto Alegre. Wenceslau foi filho de José da Cunha e Souza e de Clara Carolina Pinheiro, tendo sido encontrados 3 filhos do casamento de Wenceslau e Bernardina Theodora ou Theodósia:
3-1 Patrocínia, n. 15/01/1838, bat. 18/04/1841, na Catedral de Porto Alegre.
3-2 Maria, n. 26/02/1841, bat. 31/05/1841, na Igreja do Menino Deus em Porto Alegre.
3-3 João, n. 05/05/1844, bat. 14/11/1844, na Igreja do Menino Deus em Porto Alegre.
2-4 Floriano Paes de Oliveira, n. 26/07/1816, bat. 18/08/1816, Gravataí e em 1873, quando do inventário materno, já era falecido. Já em 1867, por ocasião do inventário paterno, Floriano era residente em São Luiz Gonzaga/RS, quando outorgou uma procuração para se fazer representar no mencionado processo. Seu inventário foi autuado sob o n.º 11, maço 1, do Cartório do Cível e Crime de São Luiz Gonzaga, em 1887 (APERS). Consta que foi casado com Constância Joaquina de Oliveira, falecida a 14/09/1898 em São Luiz Gonzaga/RS (com inventário autuado sob o n.º 50, maço 1, cartório do Cível e Crime, APERS), deixando cinco filhos (Joaquim, João, Galdino, Boaventura e Antônio). Constância Joaquina de Oliveira nasceu em Gravataí/RS, sendo filha de Antônio de Souza de Ávila (natural de Laguna/SC) e de Joaquina Maria da Conceição (natural de Porto Alegre/RS). Floriano e Constância foram pais de:
3-1 Joaquim Paz de Oliveira, em 1867 contava 35 anos, solteiro, n. 1832 em São Luiz Gonzaga, à época distrito de São Borja. Em 1887 com 66 anos e acrescido seu nome de “Netto” (Joaquim Paz de Oliveira Netto) e casado com Joaquina Teixeira. 
3-2 João Paz de Oliveira, em 1867 contava 34 anos, solteiro, n. 1833, São Luiz Gonzaga. Em 1887 casado com Clara Martins.
3-3 Galdino Paz de Oliveira, n 1851, São Luiz Gonzaga. Casou-se a 16.01.1878 em São Luiz Gonzaga com Cândida Maria de Mello, n. São Luiz Gonzaga, onde faleceu em 26/09/1894, filha de Arão Procópio (Antônio) de Mello e Teresa Maria de Mello, citados neste blog em: http://pufal.blogspot.com.br/2012/05/familias-portuguesas-nas-missoes.html. Após, casou-se com Honorina de Moraes. Houve do 1º casamento a filha Thereza e, do outro:
4-1 Thereza Paz de Oliveira, n. 1887 em São Luiz Gonzaga.
4-2 Floriano Paz de Oliveira, n.1898 em São Luiz Gonzaga.
3-4 Boaventura Paz de Oliveira, em 1867 com 23 anos, solteiro, n. 1844, São Luiz Gonzaga.
3-5 Antônio Paz de Oliveira, em 1867 com 22 anos, solteiro, n. 30.05.1851, bat. 11.10.1851 na Igreja de N. Sra. do Rosário, em Porto Alegre/RS. Em 1898 não foi mencionado no inventário materno, fazendo supor fosse falecido.
2-5 João Pais de Oliveira, n. 17/05/1818, bat. 07/06/1818, Gravataí. Foi lavrador de profissão e residia em Santa Cristina do Pinhal. Casou-se com Francisca Bernardina de Souza, n. Capela de Santana (Capela Azevedo)/RS e falecida a 19/3/1887 em Santa Cristina do Pinhal, filha de João Antônio de Souza (n. SC) e de Eufrásia Bernardina de Souza (bat. 28/10/1802, Triunfo/RS), neta paterna de Antônio de Souza Carvalho e Ana Joaquina do Rosário e, materna, de Antônio de Souza Bittencourt e Maria Constância de Jesus.
O inventário de Francisca Bernardina de Souza foi autuado em 1887, sob o n.º 244, maço 11, pelo Cartório de Órfãos de Taquara (APERS), tendo sido inventariante o viúvo João Paz de Oliveira, então residente em Santa Cristina do Pinhal. O monte-mor da herança foi de 12:328$500 réis, com alguns bens de raiz. O casal deixou oito filhos, cujos nomes seguem:
3-1 Constantina Paz de Oliveira, bat. 24/10/1847, com seis meses de idade em São Leopoldo/RS. Casou-se a 03/11/1866 em Santa Cristina do Pinhal com seu primeiro em terceiro grau Joaquim Jerônimo de Souza, bat. 16/12/1835 na Capela de Santana/RS, filha de Jerônimo Antônio de Souza e de Joaquina Antônia do Nascimento, neto paterno de Joaquim Francisco Gomes e de Mariana Eufrásia do Nascimento e, materno, de Antônio de Souza Bittencourt e Maria Constância de Jesus. Pais de:
4-1 Maria de Souza, n. 02/12/1867, bat. 26/02/1868, Santa Cristina do Pinhal.
4-2 Rita de Souza, n. 12/05/1881, bat. 21/08/1881, Santa Cristina do Pinhal.
4-3 Francisca de Souza, n. 16/05/1883, bat. 10/12/1883, Santa Cristina do Pinhal.
4-4 Maria de Souza, n. 08/09/1886, bat. 15/11/1886, Santa Cristina do Pinhal.
3-2 Cândida Paz de Oliveira, bat. 1º/10/1848, com dois meses de idade em São Leopoldo. Em 1887 já casada com Manuel Francisco da Rosa.
3-3 Maria José Paz de Oliveira, n. 31/01/1850, bat. 05/03/1850, Santa Cristina do Pinhal/RS, onde casou a 13/11/1869 com Manuel Zeferino de Souza, ali n., filho de Zeferino José Réos e Emerenciana Maria Sá. 
3-4 Leonel Paz de Oliveira (em seu batismo: Dionel), n. 7/5/1852, bat. 15/08/1852, Santa Cristina do Pinhal e fal. a 21/11/1901 em São Sebastião do Caí/RS. Casou-se a 09/10/1875 em Santa Cristina do Pinhal com Generosa Fernandes do Amaral, n. 20/05/1859, bat. 21/07/1859, Santa Cristina do Pinhal e fal. 21/03/1939 em Portão/RS), filha de Vicente Fernandes do Amaral e Catarina Maria de Oliveira. Pais de:
4-1 Maria Christina Fernandes de Oliveira, n. 15/07/1878, bat. 15/10/1878, Capela de Santana e fal. 17/09/1951 em Portão (São Sebastião do Caí). Casou com ... Souza, com quem não teve filhos.
4-5 Chrispim Fernandes de Oliveira, n. 1878, Capela de Santana. Ali se casou a 27/04/1908 com Generosa Alves da Silveira, ali n., filha de Zeferino Caetano da Silveira e Leocádia Francisca Alves.
4-3 Marcílio Fernandes de Oliveira, n. 1880, Capela de Santana.
4-4 Justa Fernandes de Oliveira, n. 12/09/1882, bat. 28/1/1883, Nova Palmira, Sapiranga/RS, hoje Araricá.
4-5 Manuel Fernandes de Oliveira, n. 12/11/1883, bat. 24/11/1884, Nova Palmira, Sapiranga/RS, hoje Araricá.
4-6 Maria Joaquina Fernandes de Oliveira, n. 1886, RS.
4-7 Vicente Fernandes de Oliveira, n. 1890, RS.
4-8 Idalina Fernandes de Oliveira, n. 02/11/1893, bat. 03/11/1894, Capela de Santana.
4-9 Thereza Fernandes de Oliveira, n. 06/03/1898, bat. 02/04/1899, Capela de Santana.
4-10 Alcebíades Fernandes de Oliveira, n. 1900, RS.
3-5 Hortêncio Paz de Oliveira, n. São Leopoldo e fal. 21/11/1885 em Santa Cristina do Pinhal, com inventário autuado sob o n.º 2320, maço 10, pelo Cartório de Órfãos de Taquara (APERS). Casou a 24/09/1877 em Capela de Santana com Sebastiana Bernardina de Souza, filha de Patrício Antônio de Souza e Maria José da Silva. Pais de:
4-1 Maria José Paz de Oliveira, n. 15/05/1880, bat. 24/06/1880, Capela de Santana, onde faleceu criança.
4-2 Francisca Paz de Oliveira, n. 23/09/1881, bat. 17/10/1881, Santa Cristina do Pinhal.
4-3 Maria das Dores Paz de Oliveira, n. 23/08/1883, bat. 21/12/1883, Capela de Santana.
3-6 Patrício Paz de Oliveira, n. 11/3/1856, bat. 09/11/1856, São Leopoldo/RS. Em 1887 estava casado.
3-7 Floriano Paz de Oliveira, n. 29/12/1859, bat. 15/12/1860, São Leopoldo. Casou-se a 23/05/1885, Santa Cristina do Pinhal com Rita Martins Rangel, n. 1863, filha de João Martins Philereno (n. 27/04/1817, Capela de Santana e fal. 04/12/1888, Santa Cristina do Pinhal) e Leonida Cândida Rangel (n. 03/11/1835, São Leopoldo e fal. 22/11/1868 Santa Cristina do Pinhal), neta paterna de José Martins da Rosa (n. 1785 Enseada de Brito ou Lagoa da Conceição/SC e fal. 27/07/1886, Santa Cristina do Pinhal) e de Maria Narcisa Cerveira (n. 1791, Enseada de Brito/SC e fal. 04/06/1852, Santa Cristina do Pinhal) e, materna, de Tomás José Rangel (n. 29/12/1774, Viamão/RS) e de Florentina Maria da Conceição (n. 29/04/1796, Viamão/RS). Pais de:
4-1 Rita Paz de Oliveira, n. 02/04/1886, bat. 05/06/1886, Santa Cristina do Pinhal.
4-2 Maria Madalena Paes de Oliveira, n. 08/05/1891, bat. 31/07/1891, Santa Cristina do Pinhal.
4-3 Cristina Paes de Oliveira, n. 14/08/1899, Santa Cristina do Pinhal.
4-4 Tomé Paes de Oliveira, n. 04/01/1903, Santa Cristina do Pinhal.
3-8 Francisca Paes de Oliveira, n. 22/08/1862, bat. 29/09/1862, Santa Cristina do Pinhal, onde se casou a 17/05/1885 com Antônio Martins Rangel, ali n. 07/03/1861, filho de João Martins Philereno e Leonida Cândida Rangel, acima citados. Pais de 13 filhos:
4-1 Manuel Paz Martins, n. 20/12/1886, Olhos d´Água.
4-2 Arlinda Paz Martins, n. 25/02/1888, Rolante.
4-3 Francisca Paz Martins, n. 26/07/1889, Rolante.
4-4 João Paz Martins, n. 03/05/1891, Rolante. Casou-se a 28/10/1916 em Taquara/RS, com Maria do Carmo Pires, filha de Emiliano Martins Pires e Doralice Martins da Rocha.
4-5 Pedro Paz Martins, n. 29/07/1893, Olhos d´Água.
4-6 Orozolino Mário Paz Martins, n. 11/09/1895, Rolante. Casou-se a 23/04/1921, Taquara, com Enedina Maria Britto, filha de Francisco de Souza Britto e Maria Mombach.
4-7 Julieta Paz Martins, n. 23/05/1898, Rolante. Casou-se a 04/08/1922 em Rio da Ilha (na Igreja, pois casados no civil em 1916) com Leopoldo Heidrich, filho de Carlos Heidrich e Carolina Fries.
4-8 Maria Olinda Paz Martins, n. 25/04/1900, Taquara.
4-9 Manuel Ondino Paz Martins, n. 25/04/1900, Taquara.
4-10 Luíz Paz Martins, n. 08/01/1902, Taquara.
4-11 Antônio Paz Martins, n. 15/09/1903, Taquara.
4-12 Waldemar Paz Martins, n. 1906, Taquara e fal. 01/03/1991. Ali se casou a 09/03/1928 com Benta Cecília Teodora, filha de Germano Inácio Teodora e Vicentina.
4-13 Nelson Paz Martins, n. 11/03/1908 em Olhos d´Água. Casou-se a 07/11/1930, Taquara, com Vidalina Antônia da Silva, filha de Fermiano Antônio da Silva e Olinda Pires Pacheco.
2-6 Justino Paes de Oliveira/Paz de Oliveira, n. 04/09/1819, bat. 19/09/1819, Gravataí. Casou-se com Teodora Luísa de Oliveira, n. Viamão e falecida a 08/06/1895 no 2º Distrito de Taquara, filha de João Joaquim Pedro e Júlia Antônia da Silva.
O inventário de Theodora Luiza foi autuado em 1895 pelo Cartório do Cível e Crime de Taquara, sob o n.º 77, maço 2, APERS, sendo inventariante o viúvo Justino Paz de Oliveira. O monte-mor da herança foi de 22:500$000 réis, tendo deixado, afora outros bens de raiz e pertences, um terreno de cultura no Morro Pelado e no Morro Negro, com casa de moradia e atafona. O casal deixou sete filhos que seguem:
3-1 Cristiano Paz de Oliveira, n. 12/08/1852, bat. 04/04/1853, São Leopoldo, o qual não foi referido no inventário materno, tendo falecido antes de sua mãe portanto.
3-2 Graciana Paz de Oliveira, n. 1855, sendo que em 1895 contava 40 anos de idade, solteira.
3-3 Antônio Paz de Oliveira, n. 21/02/1860, bat. 07/10/1860, São Leopoldo. Casou-se em 1ªs núpcias com sua prima Maria Joaquina Teixeira, n. 18/10/1864, Santa Cristina do Pinhal e faleceu aos 24 anos de idade, filha de Constantino Francisco Teixeira e Constantina Paz de Oliveira, abaixo citados. Já em 1895 Antônio estava casado em segundas núpcias com Etelvina de Souza Leal, filha de Ernesto de Souza Leal e Felisberta Antônia Inácia de Oliveira, abaixo mencionados (antepassados de Diego de Leão Pufal). Pais de:
4-1 Maria Isolina Paz de Oliveira (f.ª de Maria Joaquina), n. 29/09/1885, bat. 1º/02/1886, Santa Cristina do Pinhal.
4-2 Casemiro Antônio Paz de Oliveira, n. 25/06/1887, Santa Cristina do Pinhal e bat. 22/01/1889 em Nova Palmira (Araricá).
4-3 Christina Paz de Oliveira, n. 21/12/1888, bat. 19/05/1889, Santa Cristina do Pinhal. Avó de Sonia Elisabete Meltzer, leitora do blog e que nos enviou a fotografia abaixo:
Da esquerda para direita: Justina Leal de Oliveira, Casemiro Antônio Paz de Oliveira e Christina Paz de Oliveira - do acervo de Sonia Elisabete Meltzer.
4-4 Justina Leal de Oliveira (f.ª de Etelvina), n. 10/09/1894, bat. 10/11/1894, Santa Cristina do Pinhal.
4-5 Benta Leal de Oliveira, n. 12/1895, bat. 06/04/1896, São Leopoldo.
3-4 Valentina Paz de Oliveira, n. 18/02/1862, bat. 05/06/1862, Santa Cristina do Pinhal. Em 1895 já casada com Antônio Rodrigues da Silveira. Pais de:
4-1 Gabriela, n. 09/01/1890, bat. 29/03/1890, Santa Cristina do Pinhal.
3-5 Zozino Paz de Oliveira, n. 4/4/1864 em Santa Cristina do Pinhal, onde casou a 29/6/1887 com Rita Cândida de Oliveira, filha de Prudêncio Antônio de Oliveira e Generosa Maria Marques. Pais de:
4-1 Diamantina Paz de Oliveira, n. 01/02/1890, bat. 11/09/1890, Santa Cristina do Pinhal.
4-2 Maria José Paz de Oliveira, n. 08/03/1894, bat. 19/08/1894, Santa Cristina do Pinhal.
4-3 Clotilde Paz de Oliveira, n. 21/11/1895, bat. 30/11/1895, Santa Cristina do Pinhal.
3-6 Galdino Paz de Oliveira, n. 25/2/1868 em Santa Cristina do Pinhal. Em 1895 já casado com Alexandrina Marques.
3-7 João Paz de Oliveira, n. 17/01/1866, bat. 18/04/1866, Santa Cristina do Pinhal. Em 1895 já casado com Ana Maria de Souza.
3-8 Belmira Paz de Oliveira, n. 12/10/1870, Santa Cristina do Pinhal. Em 1895 contava 23 anos, solteira, n.12/10/1870, bat. 1º/04/1871, Santa Cristina do Pinhal.
3-9 Graciano Paz de Oliveira, n. 5/2/1873, Santa Cristina do Pinhal.
3-10 Pedro Paz de Oliveira, n. 14/2/1875, Santa Cristina do Pinhal.
2-7 Joana Paes de Oliveira, n. 16/05/1821, bat. 30/5/1821, Gravataí/RS. Casou-se com Justino Antônio de Souza, n. São Leopoldo, filho de Antônio de Souza de Ávila e Joaquina Maria da Conceição. Pais de:
3-1 Ortência de Souza, bat. 11/03/1846, São Leopoldo.
3-2 Ulina de Souza, n. 02/02/1856, bat. 02/08/1856, São Leopoldo.
2-8 Ana Joaquina de Oliveira, bat. 17/08/1823, Gravataí/RS. Casou-se com Joaquim Rodrigues da Silveira, n. São Leopoldo, filho de Lauriano José Rodrigues e Catarina Dorotéia da Silveira. Pais de:
3-1 Justina, n. 16/12/1856, bat. 18/02/1857, São Leopoldo.
3-2 Francisco, n. 30/11/1857, bat. 17/01/1858, São Leopoldo.
3-3 Antônio, n. 1º/12/1858, bat. 05/03/1859, São Leopoldo.
2-9 Catarina Maria de Oliveira, n. 28/05/1825, bat. 19/06/1825, Gravataí/RS e fal. 23/10/1911 em São Sebastião do Caí. Casou-se a 05/04/1850 em São Leopoldo com Vicente Fernandes Lemos do Amaral ou somente Vicente Fernandes do Amaral, n. 1º/10/1829, bat. 11/04/1830, Porto Alegre e falecido a 23/10/1902 em Capela de Santana, filho de Vicente Fernandes Lemes e Angélica Maria da Soledade.
Constam dos Mapas de população de São Leopoldo, cujo ano desconhecemos, mas supomos seja 1871 (maço 39 do Fundo Polícia, AHRS), como moradores no 24º Quarteirão do 6º Distrito de São Leopoldo – Santa Cristina do Pinhal: Vicente Fernandes do Amaral, 42 anos, casado, lavrador, renda 800$000 réis, 1 casa, 1 fogo; Catarina Paz de Oliveira, 42 anos, Alexandrina, 18, Francisca, 15, Diladia (Adelaide), 13 anos, Inocente, 11, Generosa, 9 e João, 7 anos.
As pesquisas indicam que, de fato, Vicente foi lavrador e residia em Santa Cristina do Pinhal. Os primeiros filhos dele foram batizados em São Leopoldo, pois Santa Cristina ainda não possuía paróquia, onde depois foram batizados os outros filhos, em total de 9, cujos nomes seguem:
3-1 Alexandrina Fernandes do Amaral, n. 04/1/1851, bat. 1º/3/1851, São Leopoldo. Casou-se a 17/12/1870 em Santa Cristina do Pinhal com José Vitorino da Silva, n. São Leopoldo, filho de Vitorino Inácio da Silva e Constância Maria da Silva.
3-2 Claudina Fernandes do Amaral, n. 27/07/1852, bat. 04/11/1852, São Leopoldo. Casou-se a 05/11/1868 em Santa Cristina do Pinhal com seu primo Maurício Antônio Fernandes, ali nascido, filho de Inácio Francisco Fernandes e Lucinda Angélica da Conceição (esta filha de Vicente Fernandes do Amaral e Angélica Maria da Soledade, acima mencionados).
3-3 Francisca Fernandes do Amaral, n. 29/04/1854, bat. 20/02/1855, São Leopoldo e fal. 28/05/1937 em Portão. Casou-se a 10/04/1875 em Santa Cristina do Pinhal com seu primo Manuel Inácio da Silva, n. São Leopoldo, filho de Fermiano Inácio da Silva e Dorotéia Maria do Nascimento ou da Soledade (esta filha de Vicente Fernandes do Amaral e Angélica Maria da Soledade, acima mencionados). Pais de:
4-1 Emília Fernandes da Silva, n. 1878, Capela de Santana, onde casou a 05/06/1898 com José Saturnino Teixeira, ali n. em 1876, filho de Crescêncio Ferreira Teixeira e Francisca Henriques de Carvalho.
4-2 Maria Francisca Fernandes da Silva, n. Capela de Santana. Casou-se com Manuel José Martins, ali n., filho de Tristão José Martins e Joana Maria da Conceição.
4-3 Maria Gabriela Fernandes da Silva, n. 25/03/1884, bat. 07/12/1884, Nova Palmira (Araricá) e fal. 05/09/1949, Portão. Casou-se com Manuel Cardoso de Lima, com quem teve:
5-1 Otília de Lima, n. 23/02/1914, Capela de Santana.
4-4 Adriano Inácio Fernandes, n. 05/11/1888, Capela de Santana. Casou-se a 10/05/1913 em São Leopoldo com Albertina Antônia de Amorim, n. 1891, filha de Patrício Antônio de Amorim e Francisca de Souza. Pais de:
5-1 Alberto Fernandes, n. 14/02/1914, Capela de Santana.
4-5 Leopoldo Inácio da Silva, n. 22/11/1891, Capela de Santana.
3-4 Adelaide Fernandes do Amaral, n. 08/10/1855, Santa Cristina do Pinhal, onde foi bat. a 09/11/1855 no oratório de José Martins e fal. 19/12/1934, Taquara. Casou-se a 21/11/1881 em Santa Cristina do Pinhal com João Apollo Filho, ali n. a 04/08/1855, filho de João Apollo Cesário e Brígida Maria da Conceição. Pais de:
4-1 Benta Apollo, n. 13/10/1884, bat. 18/10/1885, Novo Hamburgo.
4-2 Sebastião Apollo, n. 12/10/1886, bat. 07/12/1886, Novo Hamburgo.
4-3 Saturna Apollo, n. 13/07/1888, bat. 09/11/1889, Hamburgo Velho, Novo Hamburgo.
3-5 Inocente Fernandes do Amaral, n. 23/07/1857, bat. 08/10/1857 em São Leopoldo, tendo como padrinhos os avós paternos. Inocente faleceu a 23/06/1939 em Taquara, viúvo, aos 84 anos, cidade em que seu nome dá nome a uma rua. Casou-se a 15/10/1878 em Santa Cristina do Pinhal com Emília Cândida de Oliveira, n. 31/01/1861, bat. 10/07/1861 em Santa Cristina do Pinhal, tendo falecido antes de seu marido. Emília foi filha de José Antônio de Oliveira Filho e de Maria Cândida Cesária, nascidos em 1831 e 1835 respectivamente em São Leopoldo. Inocente e Emília foram pais de 9 filhos:
4-1 Dometildes Fernandes do Amaral, n. 1881, Santa Cristina do Pinhal.
4-2 Amada Fernandes do Amaral, n. 1884, Santa Cristina do Pinhal.  Casou-se a 04/04/1911 na Capela dos Três Santos Reis em Montenegro/RS com seu primo Antônio Anastácio Apollo, n. 1874, Taquara, filho de Francisco Apollo Césario (César) e Maria José de Ramos (esta irmã de José Antônio de Oliveira Filho, acima citado, e ambos filhos de José Antônio de Oliveira e Helena Maria da Silva).
4-3 Aristides Fernandes do Amaral, n. 04/07/1886, Capela de Santana e fal. 31/12/1913. Casou-se a 20/10/1904 em Taquara com Cortélia Philippine Lehn, ali n. a 05/11/1888, filha de João Lehn Sobrinho e Helena Stumpf. Pais de:
5-1 Arnaldo Fernandes do Amaral, n. 16/07/1904, Taquara e fal. 20/06/1985 em Porto Alegre. Casou-se a 2/12/1936 em Montenegro com Otília Dias Dorneles, filha de Marcírio Dias Dorneles e Maria Odylles. Pais de: Saly do Amaral casada com João Marcello da Silva Demoly (referido neste blog em: http://pufal.blogspot.com.br/2008/08/jean-charles-pompe-demoly-e-sua.html).
5-2 Adolpho Fernandes do Amaral, n. 25/10/1907 em Montenegro, onde se casou a 19/04/1933 com Irotildes Machado Barreto, ali n. 05/11/1913, filha de Osvaldo de Azevedo Barreto e Nélia Machado de Ávila.
4-4 Maria Alzira Fernandes do Amaral, n. 23/06/1889, Capela de Santana.
4-5 Julieta Fernandes do Amaral, n. 02/11/1891, Capela de Santana. Casou-se com seu primo Luiz Pedro da Silva, filho de Hortêncio Pedro da Silva e Cesária Maria Apollo da Conceição (esta filha de João Apollo Cesário e de Brígida Maria da Conceição; João Apollo, por sua vez, foi irmão de Maria Cândida Cesária e ambos filhos de Joseph Apollo Cesareo, nascido em Luxemburgo e de Francisca Maria da Conceição. Pais de: Nuno ou Zeno Pedro da Silva.
4-6 Lucas Fernandes do Amaral, n. 30/03/1893 em Campo Vicente (próximo a Sapiranga) e batizado em Hamburgo Velho e falecido entre os anos de 1950/1955 em Taquara. Casou-se em 1ªs núpcias, a 04/09/1918 na Capela do Passo do Mundo Novo (registrado em Santa Cristina do Pinhal) com Adelina de Castro, n. 1896 em Santa Cristina e falecida entre 1924/1925, filha de Francisco José de Castro e Teresa Luísa Fraga. Lucas casou-se em 2ªs núpcias a 06/06/1925 em Santa Cristina do Pinhal com Irma Martini, n. 1905, Entrepelado, Taquara, filha de Christiano Martini e Guilhermina Müller. Houve o filho Adelmo do primeiro casamento e, do segundo, Lélia Fernandes do Amaral (mãe de Nair Beck), Dirceu Fernandes do Amaral e Realda Fernandes do Amaral.
4-7 Azeredo Fernandes do Amaral, n. 29/03/1904 no Morro do Leão em Parobé. Casou-se a 28/06/1924 em Santa Cristina do Pinhal com Ercília leal da Rosa, n. 04/05/1904 em Santa Cristina, filha de Galdino Francisco da Rosa e Geraldina de Souza Leal (esta foi irmã de Ernesto de Souza Leal Filho, trisa-avô de Diego de Leão Pufal, mencionado neste blog: http://pufal.blogspot.com.br/2008/08/ernesto-de-souza-leal.html). Azeredo e Ercília foram pais de: Zélia, Zenita, Celso e Maria Theresinha do Amaral.
4-8 Aristóteles Fernandes do Amaral, n. Hamburgo Velho, onde se casou a 14/06/1911 com Maria Camila Pereira Rangel, n. Porto Alegre, filha de Emídio Pinto Rangel. Após, Aristóteles casou-se com Leocádia Budzyn, fal. 1959, Porto Alegre, pais de: Ernesto Mário Fernandes do Amaral (pai de Janice do Amaral, jornalista).
4-9 Ciríaco Fernandes do Amaral, casou-se com Délcia Wischmann.
3-6 Generosa Fernandes do Amaral, n. 20/05/1859, bat. 21/07/1859, Santa Cristina do Pinhal e fal. 21/03/1939, Portão. Casou-se com seu primo Leonel Paes de Oliveira, acima citados.
3-7 João Fernandes do Amaral, n. cerca de 1867/1868. Sem mais notícias.
3-8 Adriano Fernandes do Amaral, n. 19/08/1869, Capela de Santana e fal. 14/08/1950 em Portão. Casou-se a 22/04/1899 em Capela de Santana com Paulina Luísa de Ávila, ali n. 22/06/1863 e fal. 25/11/1925, filha de Laurino Luís de Ávila (n. Osório/RS e casado a 06/07/1846 em Capela de Santana) e Bernardina Ferraz de Abreu (bat. 30/03/1823 em Capela de Santana), neta paterna de Vicente Luís de Ávila (n. lagoa da Conceição/SC) e de Perpétua Maria da Conceição (n. Viamão/RS) e, materna, de Bernardino ou Bernardo Ferraz de Abreu (n. 1784, Itapetininga/SP) e de Joana Pires de Almeida (n. 1788, Triunfo/RS). Pais de:
4-1 Laurindo Fernandes do Amaral, n. 26/03/1900, Capela de Santana e fal. 21/02/1997 em São Leopoldo. Casou em Santa Rita com Otília Martins Machado, com quem teve: Diva, Ivo e Célia Fernandes do Amaral.
4-2 Maria Fernandes do Amaral, n. 19/07/1903, São Sebastião do Caí e fal. 20/10/1943 em Novo Hamburgo. Casou-se a 26/04/1926 com Adriano Quadros Bittencourt, n. 10/11/1900 em Capela de Santana e fal. 05/04/1963, Novo Hamburgo, filho de João de Quadros Bittencourt e Rufina Francisca Cardoso. A família Quadros Bittencourt se liga aos Corrêa da Silva, já tratados neste blog. Adriano e Maria são avós maternos de Adriana Weber, genealogista e pesquisadora da família.
4-3 José Fernandes do Amaral, n. 13/05/1909, Capela de Santana. Casou-se a 17/04/1937 em Portão com Vally Santa Cassel, filha de João Albino Cassel e Vilma Mathilde. Pais de: Edurdo Luiz.
3-9 Maria Joaquina Fernandes do Amaral, n. 07/11/1864, bat. 26/01/1867, Santa Cristina do Pinhal. Casou a 02/02/1889 em Capela de Santana com Serafim Luís de Àvila, ali n., filho de Laurindo Luís de Ávila e Bernardina Ferraz de Abreu, acima citados.
2-10 Antônio Paes de Oliveira, n. 02/06/1827, bat. 13/06/1827, Gravataí/RS e já falecido em 1867 quando do inventário paterno. Casou-se com Cândida Bernardina de Souza, n. São Leopoldo, filha de João Antônio de Souza e Eufrásia Bernardina de Souza, acima mencionados. Após o falecimento de Antônio, Cândida Bernardina casou-se em segundas núpcias com João de Souza e foi residir na Costa do Rio Caí. Pais de 4 filhos que viviam em 1867 e representaram o pai Antônio no inventário dos avós paternos:
3-1 Porfírio Paz de Oliveira, n. 1847, São Leopoldo. Em 1867 com 20 anos, solteiro.
3-2 Floriana Constância de Oliveira, n. 25/10/1854, bat. 25/12/1854, São Leopoldo. Em 1873 já casada com Serafim de Souza Bittencourt.
3-3 Malvina de Oliveira, em 1873 com 17 anos, solteira, n. 03/10/1856, bat. 06/12/1856, Capela de Santana.
3-4 Antônio Paz de Oliveira, em 1873 com 16 anos, solteiro.
2-11 Joaquim Paes de Oliveira, n. 05/4/1828, bat. 16/05/1829, Gravataí e falecido a 28/08/1891, Santa Cristina do Pinhal, com testamento, “doente e deitado”, sem filhos (inventário autuado sob o n.º 8, maço 01, 1891, pelo Cartório da Provedoria de Taquara – APERS). Foi lavrador. Casou-se a 27/04/1856 em São Leopoldo com Amália Bernardina de Souza, bat. 05/12/1840, Capela de Santana, filha de João Antônio de Souza e Eufrásia Bernardina de Souza, acima mencionados. O casal teve ao menos uma filha que faleceu antes dos pais, sem descendentes:
3-1 Climéria Luísa de Oliveira, n. 31/07/1862, bat. 29/09/1862, Santa Cristina do Pinhal, a qual faleceu antes do pai, sem descendentes.
2-12 Claudino Paes de Oliveira, n. 31/08/1830, bat. 14/11, Gravataí. Em 1868, quando do testamento de sua mãe, Claudino já era falecido e, por não constar descendente seu no inventário de seus pais, acreditamos tenha falecido ainda criança.
2-13 Constantina Paz de Oliveira ou Constantina Ferraz de Oliveira, n. 18/11/1831, Gravataí. Casou em Santa Cristina do Pinhal com Constantino Francisco Teixeira, n. São Leopoldo, filho de Manuel Francisco Teixeira e Angélica Maria da Conceição. Pais de:
3-1 Maria Joaquina Teixeira, n. 18/10/1864, bat. 03/12/1864, Santa Cristina do Pinhal. Casou-se com seu primo Antônio Paz de Oliveira, acima mencionados.
3-2 Álida Teixeira, n. 21/11/1865, bat. 18/04/1866, Santa Cristina do Pinhal.
3-3 Hortência Teixeira, n. 04/1868, bat. 04/07/1868, Santa Cristina do Pinhal.
3-4 Vicentina Teixeira, n. 07/01/1870, bat. 27/11/1870, Santa Cristina do Pinhal.
3-5 Saturnina Teixeira, n. 27/08/1875, bat. 19/12/1875, Santa Cristina do Pinhal.


FONTES DE PESQUISA:

- ARQUIVO HISTÓRICO DA CÚRIA METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE (AHCMPA): livros de batismos, casamentos e óbitos das Igrejas Católicas de São Leopoldo, Gravataí, Santa Cristina do Pinhal, Triunfo, Novo Hamburgo, Capela de Santana, Taquara, Montenegro.
- ARQUIVO HISTÓRICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (AHRS): Fundo da Polícia.
- Arquivo pessoal de Adriana Weber, Gilson Justino da Rosa, Janice do Amaral e Zélce Mousquer.
- ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (APERS): inventários.
- IGREJA DOS MÓRMONS: microfilmes da Igreja Católica de Sorocaba/SP e Porto Feliz/SP.
- KOLIVER, Isete Maria. Taquara do Mundo Novo. Porto Alegre: Palotti, 1996.
- NUNES, Cláudio Pereira (org.). Genealogia Tropeira.
- SILVA LEME, Luiz Gonzaga da. Genealogia Paulistana. Disponível em: http://buratto.org/paulistana. 

5 comentários:

Clara disse...

Parabéns descobri meus ancestrais

Clara disse...

Parabéns descobri meus ancestrais

Clara disse...

Meus parabéns. ..somos parentes sou neta de Julieta Fernandes do Amaral Luís Pedro....quanto aos filhos do dois estão faltando meu pai Cezar e 04 tias meu tio Zenon Pedro consta.....entrarei em contato contigo.....obrigada

Diego de Leão Pufal disse...

Obrigado Clara! Mande-me por e-mail os dados que acrescento ao blog. E-mail: diegopufal@gmail.com

Anônimo disse...

MEU BISAVÔ = JOSE FERNANDES DO AMARAL CASADO COM LUCINDA MARIA DA ANNUNCIAÇÃO EM 24/04/1909 - ELE FILHO DE JOAQUIM MARQUES DE FIGUEIREDO E MARIA RITA DE SÁ - CONTATO: lulupa84@hotmail.com