sábado, 17 de junho de 2017

Açorianos no RS: os Nunes de Curvelo

Açorianos no RS: os Nunes de Curvelo

Autoria de Diego de Leão Pufal

[dúvidas, acréscimos e correções, escreva para diegopufal@gmail.com]

[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: PUFAL, Diego de Leão. Açorianos no RS: os Nunes Curveloin blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/] 

[publicado em 17/06/2017]
[atualizado em 1º/07/2017]

***

Dentre os muitos ancestrais açorianos que tenho, emigrados para o sul do Brasil, hoje vou tratar da ascendência do casal Antônio Nunes de Curvelo e Maria da Conceição de Mello, chegado em fins da década de 1740 ou no início da de 1750 no Rio Grande do Sul. 
Antônio, Maria e seus descendentes ganharam o solo gaúcho, pois, a exemplo de outros, não permaneceram em uma única localidade, se espalhando para todas as regiões do Estado. Pela documentação encontrada, o casal teria vindo possivelmente para Santa Catarina, depois migrando para Rio Grande e Santo Amaro (hoje pertencente a General Câmara). De Rio Grande, um de seus filhos e netos se destinaram a Maldonado, no Uruguai. Outros foram para Rio Pardo, Encruzilhada do Sul e posteriormente para Santa Maria, Cachoeira do Sul, São Gabriel e arredores. De Rio Pardo, ainda, partiu o filho Antônio Nunes de Curvelo e se estabeleceu com a família em Canguçu, para depois um de seus descendentes fundar o município de Herval.
Toda esta incrível mobilidade que havia, tida por historiadores como a verdadeira “colônia em movimento”, reflete a história de muitos açorianos que vieram povoar o Rio Grande do Sul. Embora pareça estranho para alguns, demonstra primeiramente a necessidade de o indivíduo ou o núcleo familiar buscar melhores condições de vida, tanto por questões próprias, como por inseguranças de toda a ordem e, em um segundo momento, a própria condição humana de migrar, o que se repete até os dias de hoje.
Além disso, necessário reforçar que, passados 288 anos do casamento de Antônio e Maria, ao lado do número crescente de filhos, netos, bisnetos, etc. a cada geração, incontáveis são os descendentes atuais, dos quais, muitos genealogistas.
Quanto à ascendência do casal Antônio e Maria, me servi da documentação eclesiástica produzida na ilha Terceira, nos Açores, em especial da freguesia de Altares, de sua igreja de São Roque, e da de Biscoitos, igreja de São Pedro, disponibilizada pelo Centro de Conhecimento dos Açores.
Na freguesia dos Biscoitos, cujo nome originou-se das lavas vulcânicas, que se assemelhavam a biscoitos trazidos nos navios e que eram bem cozidos para que durassem mais. Nesta freguesia se cultiva a vinha e o trigo e localiza-se ao lado da freguesia dos Altares, local em que moravam os ancestrais de Antônio Nunes de Curvelo e Maria há séculos.
A fotografia acima foi tirada na referida freguesia dos Biscoitos, em 2016, terra que também nasceram outros ancestrais.
A documentação, todavia, não permitiu retroceder muito no tempo como se pretendia, por encontrar limitação (ausência de livros de batismos, casamentos e óbitos nos períodos desejados). Segue o que consegui apurar: 

1ª Geração

1.       Francisca da Paixão de Jesus, nasceu a 9/3/1742 na freguesia dos Altares (São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, e faleceu a 30 Maio 1814 em Rio Pardo/RS. Casou a 14/7/1757 em Rio Grande/RS com seu conterrâneo Francisco Martins Laia, nascido a 30/5/1729 também nos Altares, ilha terceira e faleceu a 7/12/1801 em Rio Pardo/RS, filho de Manuel Martins Laia e Maria da Ascenção.
Francisca e Francisco são meus 7º avós. O casal teve 12 filhos que se destinaram a Santa Maria, São Pedro do Sul, Cachoeira do Sul e adjacências.
Francisca emigrou com os pais e possivelmente com a família de seu futuro marido. Os pais de Francisca seguem na 2ª geração:

2ª Geração

2.       Antônio Nunes de Curvelo (f.º dos n.º 4 e 5; nos registros de batismos de seus filhos seu nome consta geralmente como Antônio Nunes, mas em dois deles aparece como Antônio Nunes Fagundes e, em um, como Antônio Nunes Corvello), batizado a 16/4/1696 na freguesia dos  Altares (igreja de São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, e falecido a 13/10/1793 em Santo Amaro, General Câmara/RS. Casou-se a primeira vez, nos Altares, em 1716 com Maria de Mello, ali nascida em 1687 e falecida a 7/1/1729, filha de Tomé da Rocha (n. 1657, Altares, onde faleceu a 3/2/1717) e Maria de Mello (n. 1670, Altares, onde faleceu a 4/3/1707). Meses depois da morte de Maria, Antônio casou-se, em segundas núpcias, a 12/5/1729 nos Altares com outra Maria: MARIA DA CONCEIÇÃO DE MELLO. Houve seis filhos do primeiro casamento e sete do segundo:

a)   Manuel (f.º de Maria de Mello), n. 1º/12/1719 nos Altares.
b)   Francisco, n. 7/2/1721 nos Altares.
c)    Luzia da Conceição, n. 8/12/1722, Altares. Casada com João Rodrigues Duarte, nascido na vila de Santarém, Portugal.
d)   Maria, n. 5/12/1723, Altares.
e)   Francisco Nunes, n. 3/12/1726, Altares. Casado a 2/2/1758 em Rio Grande/RS com Maria do Nascimento de Jesus, também da ilha Terceira, das Doze Ribeiras, filha de Mateus da Costa e Ângela da Conceição. Com descendentes no sul do Rio Grande do Sul e Uruguai.
f)     Antônio, n. 28/12/1728, Altares.
g)   André (f.º de Maria da Conceição de Mello), n. 22/11/1730, Altares.
h)   Antônio Nunes (de Curvelo), nascido a 17/8/1732 nos Altares e falecido a 13/4/1810 em Canguçu/RS. Casou-se a 24/9/1764 em Rio Pardo/RS com Ana Maria do Nascimento, nascida em 1757 na freguesia de Urzelina, ilha de São Jorge, Açores. Com descendência no sul do RS. 
i)     Maria, n. 6/12/1734, Altares.
j)     Maria de São Silvestre ou do Espírito Santo, n. 30/12/1736 nos Altares. Casada a 12/2/1760 em Rio Pardo/RS com José de Borba, também da ilha Terceira.
k)    Lourenço, n. 4/8/1739, Altares. 
l)  Francisca da Paixão de Jesus, n. 9/3/1742, Altares. Casou-se com Francisco Martins Laia, acima referidos.
m)  Ágada, n. 13/2/1747, Altares.

3.       MARIA DA CONCEIÇÃO DE MELLO (f.ª dos n.º 6 e 7), nascida antes de 1702 na freguesia dos Biscoitos, Praia da Vitória, ilha Terceira, e faleceu a 28/6/1792 em Santo Amaro/RS.


3ª Geração

4.       ANTÔNIO NUNES (f.º dos n.º 8 e 9) batizado a 23/1/1664 nos Altares (São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, onde em 1716 já era falecido. Casou no mesmo local a 31/1/1689 com  MARIA FAGUNDES.

5.       MARIA FAGUNDES (f.ª dos n.º 10 e 11) batizada a 28/12/1667 nos Altares (São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, onde faleceu a 17/4/1729, viúva, com 60 anos.

6.       FRANCISCO DA CUNHA  nascido nos Biscoitos, ilha Terceira, onde casou com ANA PEREIRA. Não consegui localizar o registro de casamento de Francisco e Ana, a impedir prosseguisse em suas ascendências.

7.       ANA PEREIRA  nascida nos Biscoitos, ilha Terceira, onde em maio de 1729 já era falecida.

4ª Geração


8.       BARTOLOMEU NUNES Basso  nascido cerca de 1640 nos Altares (São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, onde faleceu a 26/12/1687. Foi casado com CATARINA GONÇALVES.

9.       CATARINA GONÇALVES  nascida cerca de 1645 nos Altares (São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, onde faleceu a 19/10/1684, sem testamento, foi sepultada em sepultura da fábrica no interior da igreja de São Roque, casada.

10.     FRANCISCO FAGUNDES nascido cerca de 1627 nos Altares (São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, onde a 31/1/1689 já era falecido. Casou no mesmo local a 4/2/1657, viúvo de Maria Gonçalves, com MARIA RODRIGUES.

11.     MARIA RODRIGUES (f.ª dos n. 22 e 23) nascida em 1631 nos Altares (São Roque), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, onde faleceu a 1º/2/1701, com 70 anos mais ou menos, sem testamento, por ser pobre e foi sepultada na sepultura de fábrica junto a porta principal da igreja de São Roque, viúva.

5ª Geração

22.     PEDRO GONÇALVES BARRANCOS  nascido cerca de 1605 nos São Roque (Altares), Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, onde a 4/2/1657 já era falecido. Casou com MARIA RODRIGUES.

23.     MARIA RODRIGUES  nascida nos Altares, ilha Terceira.

Nenhum comentário: