sábado, 19 de março de 2011

Famílias Portuguesas nas Missões (Família Amaral)

Famílias Portuguesas nas Missões
Família de Manuel Antônio do Amaral e
Joana Antônia

Autoria de Zélce Mousquer
Acréscimo e edições de Diego de Leão Pufal

[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: MOUSQUER, Zélce e PUFAL, Diego de Leão. Famílias Portugueses nas Missões: família de Manuel Antônio do Amaral e Joana Antôniain blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/]
 [acréscimos, dúvidas e correções escreva para diegopufal@gmail.com]
[publicado em 19/03/2011]

[atualizado em 03/12/2016]
***
Manuel Antônio do Amaral natural de Lages/SC e falecido em outubro de 1851 em Cruz Alta/RS, e sua esposa Joana Antônia Penide ou Joana Antônia de Jesus, natural de Santo Antônio da Patrulha/RS, radicaram-se em Cruz Alta/RS nos primeiros anos de sua fundação.
***
Manuel Antônio do Amaral era filho do 1º matrimônio de Maria de São Boaventura do Amaral e Silva[1] e de José Francisco de Moraes Navarro (ele nascido em Taubaté/SP, onde foi batizado a 29/06/1741 e faleceu a 16/11/1782 em Lages/SC), cujo casal teve os seis filhos abaixo relacionados.

Maria de São Boaventura do Amaral e Silva nasceu em São Paulo/Sp e foi filha de Lourenço Leme de Siqueira e Maria Leme do Amaral Gurgel. Maria casou-se a primeira vez com José Francisco de Moraes Navarro; a segunda, a 16.09.1783 em Lages/SC com o alferes José Raposo Pires, viúvo de Francisca Cardoso Bueno, filho de Estevão Furquim de Camargo Bueno e Branca Raposo Pires, e a terceira, em 1786 com o sargento-mor João Damasceno de Córdova.
A ascendência de Manuel Antônio do Amaral encontra-se na obra de Luiz Gonzaga da Silva Leme, “Genealogia Paulistana”, que pode ser pesquisada em seus nove volumes ou acessada através do site http://buratto.org/paulistana.
Apresentamos, abaixo, uma sucinta contextualização da ascendência materna e paterna de Manuel Antônio do Amaral.
Ascendência materna:
Maria de São Boaventura, sua mãe, nasceu em torno de 1749, São Paulo, onde foi batizada em 20.7.1749 e faleceu em 4.1.1817, Lages/SC.
Em Memorial Açoriano, tomo 45, lemos: Ela (Maria de São Boaventura) sabia ler e escrever e poderia ser uma das poucas mulheres letradas na região.
Maria de São Boaventura era filha de Lourenço Leme de Siqueira e de Maria Leme do Amaral Gurgel/Ribeiro do Amaral[2], nascida em torno de 1726, SP.
Lourenço Leme e Maria Leme tiveram os dois filhos abaixo identificados:
1. Luciano do Amaral Gurgel nasceu Itapetininga 1791, casado com Maria dos Santos, filha de Manuel José Braga e Francisca de Almeida Lara[3].
2. Maria de São Boaventura do Amaral e Silva, que será o objeto deste estudo (omitida em Genealogia Paulistana, Tít. Siqueiras Mendonças, Vol 7, p. 496).
Os avós paternos de Maria de São Boaventura foram Francisco Álvares da Cunha[4] e Ana Vidal de Siqueira.
Seus avós maternos foram José Gonçalves da Silva/dos Reis Ribeiro[5] e Isidora Godoy do Amaral Gurgel, falecida em 1749.
Seu avô materno, José Gonçalves da Silva/dos Reis Ribeiro[6] era filho de Antônio Gonçalves Ribeiro nascido no Sertão dos Curraes da Bahia e de Maria Leme da Silva. Sua avó Isidora era filha do Sargento-mor Bento do Amaral e Silva[7] e Escolástica de Godoy da Silva[8]
Antônio Gonçalves Ribeiro[9] por sua vez, era filho do português Manuel Gonçalves Cadime[10], natural de São Miguel/Açores, falecido em 1638, São Paulo e Mécia Ribeiro[11] nascida em São Paulo.
Maria Leme da Silva filha de Aleixo Leme dos Reis[12] e Ana de Góes[13] falecida em 1679, Parnaíba.
Ascendência paterna:
José Francisco de Moraes Navarro, o pai de Manuel Antônio, nasceu em torno de 1739, Taubaté, onde foi batizado em 29.6.1741, tendo falecido em 22.11.1782, Lages/SC, filho de Manuel Pedroso de Moraes[14] e Rosa Maria de Jesus [15]. [v. http://www.genealogiabrasileira.com/titulos_perdidos/cantagalo_ptportes.htm].
Filhos de Maria de São Boaventura e José Francisco: Henrique, Theobaldo, Cacemira, Maria Jacintha e Manuel Antônio, que seguem:
F1. HENRIQUE JOSÉ DO AMARAL nasceu em Lages/SC, onde foi batizado em 26.04.1777. Casou com Cândida Maria do Amaral e Silva nascida em Vacaria/RS e falecida em 1859. 10 filhos. A descendência do casal encontra-se citada em Os Fundadores de São Francisco de Paula, de autoria de Luiz Antônio Alves (Caxias do Sul: ed. do autor, 2007, p. 111).
F2. THEOBALDO JOSÉ DO AMARAL nasceu em torno de 1781, Lages, onde foi batizado em 8.7.1781, casou em Lages/SC com Escolástica Serrana da Rocha, f. de Rosa Soares de Oliveira e João Paes Domingues Maciel. 1 filho.
***
Conforme registro abaixo transcrito (LB3 fls 53) e enviado pela pesquisadora Tânia Arruda Kotchergenko (http://lageshistorica.blogspot.com/), Theobaldo, seria pai de Maria, nascida em Lages a 23.3.1799. 
Maria innocente filha de Rufina Maria do Rozario solteira filha de João Joze de Mattos e de sua mulher Anna Maria e pella referida Rifina me foi declarado que o Pai da referida innocente era Theobaldo filho solteiro de José Francisco de Morais Navarros todos desta Freguezia. Padrinhos: João Antonio Borges cazado e Dona Maria Joaquina molher do Thenete Barthazar Joaquim de Oliveira
O Vigar.o Manoel Munis Sim.es
F3. CASEMIRA NAVARRO, batizada em Lages/SC a 26.7.1785.
F4. MARIA JACINTHA ANGÉLICA DO AMARAL, batizada a 28.12.1782, em Lages/SC. Casou em 1798, Lages/SC com Bento Ribeiro de Córdova, nascido em Santos/SP, onde faleceu em 7.5.1838, filho do soldado Nicolau Gonçalves, nascido em Avintes, Nova Gaia, Porto e Mariana Ribeiro Córdoba, de Santos. 10 filhos.
F5. MANUEL ANTÔNIO DO AMARAL nasceu em Lages/SC, onde foi batizado a 06.10.1779 (lv. 1, p. 40) e faleceu em 23.10.1851, Cruz Alta/RS. Casou em 6.5.1804, Santo Antônio da Patrulha/RS, com Joana Antônia de Jesus/Penide nascida em 6.9.1787, Santo Antônio da Patrulha/RS, onde foi batizada em 10.9.1787, filha de Antônio Ferreira Penide[16] e Maria Inácia Frade da Trindade. Os avós paternos de Joana foram Paulo Ferreira e Perpétua João. Seus avós maternos foram Antônio Pereira Frade[17] e Beatriz (ou Brites) Rosa de São José. Manuel e Joana tiveram 10 filhos: Maurilia, Leonel, Fortunato, Digna Antônia, Boaventura, Alda, Maria das Dores, Maria da conceição, Bernardina e Ana.
N1. Maurília da Anunciação Amaral faleceu em 17.10.1895, Cruz Alta/RS, casou-se com Manuel Telles da Silva, natural do Rio Grande do Sul, falecido antes da esposa e filho de Francisco Telles de Souza[18] falecido em 22.12.1876 aos 68 anos, em Cruz Alta/RS e Generosa Marques da Silva, falecida em Vacaria. Sem sucessão. Maurília casou em 2º matrimônio com Henrique José de Souza.
N2. Leonel do Amaral nasceu em torno de 1812, Santo Antônio da Patrulha/RS, onde foi batizado em 15.5.1812.
N3. Fortunato Penides do Amaral nasceu em 8.12.1813, Santo Ântonio da Patrulha/RS, onde foi batizado em 16.12.1813, faleceu antes do pai. Casado com Zeferina Soares de Sousa/Azevedo, com quem teve 6 filhos: Clementino, José, Luzia, Anna, Delfino e Boaventura. Pais de:
Bn1. Clementino Soares do Amaral nasceu em torno de 1836 e fal. 11.6.1901 em Cruz Alta/RS. Casou com Maria do Carmo Ferrando. Pais de:
Tn1. Horácio Amaral casado com Adelaide.
Tn2. Generoso Amaral
Tn3. Delfino Soares Ferrando casado com Rosalina Rodrigues. Pais de: Qn1. Maria do Carmo Ferrando (Carminha) nascida em 13.11.1911 e falecida em  6.8.1977, Santo Ângelo/RS,  casou em 1929, Santo Ângelo, com Dulcino/Deoclécio Kruel, nascido em  8 abril 1907, Carajazinho, falecido em 26.12.1981 no lugar denominado São João Velho, filho de Policarpo Kruel e Generosa Quaresma. 5 filhos (v. no blog da família Kruel).
Tn4. Amália Ferrando Amaral nasceu em 11.3.1884 ou 1887, casou-se com Luiz Rodrigues Mousquer Neto nascido em 5.5.1886, filho de Francisca Ferreira Rodrigues (filha de Margarida de Siqueira e Luiz Antônio Ferreira) e Domingos Mousquer, filho do imigrante francês João Mousquère e Francisca Paz. Pais de nove filhos: Ordália, Ordalvim, Ordalina, Ordalvina, Luiz, Osvaldo, Maria Amália, Zeni e Francisca [v. http://pufal.blogspot.com/2010_02_01_archive.html].
Tn5. João Amaral, morador em Palmeiras das Missões. 
Tn6. Manuel Amaral
Tn7. Dina Amaral, casada com Leonço Amorim.
Tn8. Júlio Soares do Amaral, foi morador na colônia Ijuí, então 5º distrito de Cruz Alta.  Falecido a 10.11.1913, Santo Ângelo/RS, casado aos 26 anos, em 1903, aos 26 anos, com Deolinda Rodrigues Mousquer, nascida a 28.09.1880, Santo Ângelo e falecida a 08.12.1818, Santo Ângelo/RS, filha de Francisca Ferreira Rodrigues e Domingos Mousquer. Os avós paternos de Deolinda foram Luiz Antônio Ferreira e Margarida Rodrigues de Siqueira. Seus avós maternos foram João Mousquer e Francisca Paz. 3 filhos: Dorival, Dorval e Dorvalina. [v. MOUSQUER, 2008. p. 90 e http://pufal.blogspot.com/2010_02_01_archive.html]. Pais de: 
Qn1. Dorvalina Soares do Amaral nasceu 13/4/1911, Santo Ângelo, casou aos 16 anos, em 1927, Santo Ângelo, com Joaquim Amorim dos santos, 21 anos, nascido em 7.8.1905, filho de Bonifácio Machado dos Santos nascido em 7.10.1859 e Etelvina Henrique/Gomes, falecida 6.11.1906, neto paterno de Maria Francisca de Jesus.
**Nota:
Maria Francisca de Jesus teve os filhos:
Bonifácio Machado dos Santos casado com Etelvina Gomes dos Santos.
Leonor Machado de Assumpção casada com Amaro Martins de Assumpção.
José Joaquim Machado dos Santos
Maria Machado dos Santos casada com Antonio Pereira dos Santos.
Emiliana Gomes dos Santos Amorim casada com Joaquim Gomes de Amorim.
Cipriana Maria dos Santos casada com Valeriano Pereira dos Santos.
Justina Gomes dos Santos Amorim casada com João Gomes de Amorim.
Guilhermina Machado Ribas
Dorvalina e Joaquim foram pais de:
Qn2. Dorval Soares do Amaral, nasceu 27/7/1913, casou em 10/7/1937, Santo Ângelo, com Maria do Carmo Amorim. 
Qn3. Dorival Mousquer do Amaral faleceu com 13 anos e meio em 17/6/1918 na Vila de Ijuí/RS, de febre tifóide.
Bn2. José Soares do Amaral nasceu em torno de 1838 e faleceu a 23.07.1885, Cruz Alta/RS. Casado com Maria Alves da Soledade, gerando a:
Tn1. Manuel Alves de Resende
Tn2. Fortunato Soares do Amaral
Tn3. Joanna Soares do Amaral
Tn4. Delfino Soares do Amaral
Tn5. José Soares do Amaral
Tn6. Maria Soares do Amaral
Tn7. Generosa Soares do Amaral
Tn8. Jacintha Soares do Amaral
Tn9. Pedro Soares do Amaral
Tn10. Veríssimo Soares do Amaral
Bn3. Luzia Soares do Amaral nascida em torno de 1839, faleceu em 25.6.1879 Santo Ângelo/RS, casada com Manuel Cassiano de Ávila. Pais de:
Tn1. Henriqueta d’Avilla
Tn2. Manuel Marianno d’Avilla Filho
Tn3. Zeferino Marianno d’Avilla
Tn4. Diniz Marianno d’Avilla
Tn5. José Laureano d’Avilla
Tn6. Clementino Cassiano d’Avilla
Tn7. Anna d’Avilla
Tn8. Joaquim Cassiano d’Avilla
Tn9. Mariano Cassiano d’Avilla
Tn10. Maria d’Avilla, nasceu a 15.8.1877, batizada em Santo Ângelo/RS.
Tn11. Frederico d’Avilla
Bn4. Ana Soares do Amaral nascida em torno de 1841.
Bn5. Delfino Soares do Amaral nascido em torno de 1842, casou com Jacinta Telles de Souza, filha de Francisco Telles de Souza e Bernardina Penides do Amaral. Pais de: Cipriano Soares do Amaral.
Bn6. capitão Boaventura Soares do Amaral nasceu cerca de 1843, provavelmente em Cruz Alta/RS. Teve papel de destaque na Guerra do Paraguai, onde faleceu em 30.6.1911. Casou-se em 29.6.1876, Cruz Alta/RS com Teresa Francisca de Sousa/Orestes, filha de Orestes Francisco de Souza (falecido a 21.09.1896, Cruz Alta) e de Firmina Francisco de Souza. Foi fazendeiro no Cadeado. 
Capitão Boaventura Soares do Amaral 
(Zamberlam, p.45)
***Nota:
Orestes Francisco de Souza e Firmina foram pais de:
1. Maria Francisca de Souza casada com José Amaro dos Santos
2. Vicente Francisco de Souza
3. Firmino Francisco de Souza
4. Thereza Francisco de Souza casada com Boaventura Soares do Amaral.
5. Emília Francisco de Souza casada com Reginaldo Alves da Silveira.
6. Boaventura Francisco de Souza
7. Victorino Francisco de Souza
8. José Francisco de Souza
9. Clarinda Francisco de Souza casada com Luiz Fogaça dos Santos.
10. Ana Francisco de Souza casada com Francisco Paulo Dornelles.
11. Cândido Francisco de Souza casado com Joaquina Rosa de Souza.

***
Boaventura foi fazendeiro no Cadeado, em Ijuí. Gerou 13 filhos: Eugênio Ventura, Fidélis, Balbino, Clementino, Lucidoro, Loriza, Rosa, Bibiana, Zeferina, Vicentina, Joaquim, Maurílio e Maria.
Boaventura e Teresa Francisca foram pais de:

Tn1. Fidélis Soares do Amaral nascido cerca de 1880
Tn2. Balbino Soares do Amaral.
Tn3. Clementino Soares do Amaral.
Tn4. Lucidoro Soares do Amaral
Tn5. Loriza Soares do Amaral c/c Adolfo Rodolfo Argerich (?).
Tn6. Rosa Soares do Amaral c/c José Souza de Lima.
Tn7. Bibiana Soares do Amaral c/c João Francisco Hockmüller.
Tn8. Zeferina Soares do Amaral c/c Camilio Nach (?).
Tn9. Vicentina Soares do Amaral, n. 19.7.1894, Cruz Alta/RS, onde casou a 19.11.1913 com Franklim Francisco de Souza, n. RS, então com 24 anos, filho de Cândido Francisco de Souza e Joaquina Rosa de Souza.
Tn10. Joaquim Soares do Amaral, n. 31.5.1895, Cruz Alta/RS. Casou com Zelina Cortes do Amaral, filha de Horácio Cortes da Silva e Clementina de Moura Cortes.
Eugênio Ventura do Amaral.
fotografia repassada pela bisneta Aline
Monique B. do Amaral
Tn11. Maurílio Soares do Amaral, n. 18.8.1896, Cruz Alta/RS.
Tn12. Maria Soares do Amaral, n. 6.12.1897, Cruz Alta, onde casou a 6.9.1918 com João Francisco de Souza, viúvo, n. 28.1.1892 no 4º distrito de Cruz Alta, filho de Cândido Francisco de Souza (fal. 28.12.1895 no 5º distrito de Cruz Alta) e Joaquina Rosa de Souza.
Tn13. Eugênio Ventura do Amaral nasceu em 1878 e faleceu em 27.5.1955, Cruz Alta/RS. Foi casado com Aureolina Cortes do Amaral (Vó Gorda), nascida em 11.10.1883. 
Foram pais de 8 filhos:
Qn.1 Theodomiro Cortes do Amaral (Miura).
Qn2. Waldenor Valente Cortes do Amaral (Tena), casado com Jelina Fagundes de Almeida. 
Waldenor Valente Cortes do Amaral
Fotografia de Aline M. B. do Amaral
Família de d. Jelina Fagundes de 
Almeida. Uma das crianças talvez seja
Pacífico Fagundes, enquanto que a
 menina a própria d. Jelina.
Fotografia de Aline M. B. do Amaral.
Waldenor e Jelina foram pais de sete filhos, conforme informações repassadas pela descendente Aline Monique Blank do Amaral: Benevenuto, Manoelito, Miguelito, Maria José, Boaventura, Luiz Gonzaga Fagundes do Amaral (c/c sua prima Maria do Rosário Fagundes, filha de Pacífico Fagundes e Mariana de Lima) e Lídia.
Casamento de Maria do Rosário Fagundes e Luiz Gonzaga Fagundes do Amaral
Legenda (da esquerda p/ direita): Boaventura, Benevenuto, Lídia, Benta (esposa de Miguelito), Miguelito, Manoelito (criança), Jelina, Maria do Rosário, Luiz Gonzaga, Waldenor e Aureolina (vó gorda).
Fotografia enviada pela neta do casal Aline M. B. do Amaral.
Qn3. Camilo Cortes do Amaral (Negro), c/c Benta Vieira do Amaral.
Qn4. Melvin Matheus Cortes do Amaral (Petena), c/c Maria C. do Amaral.
Qn5. Boaventura Cortes do Amaral (Ventura), c/c Mariana Cortes do Amaral.
Qn6. Lídia Cortes do Amaral (Lira), c/c Francisco Barbosa Reis - Chico, fazendeiro no Cadeado.
Qn7. Jovelina Cortes do Amaral (Filha), c/c Heitor Ribas Alegretti
Qn8. Neli Cortes do Amaral
N4. Digna Antônia do Amaral nascida em torno de 1815. Encontrava-se solteira em 1852.
N5. Boaventura Penides do Amaral nasceu em torno de 1816, Lages/SC e faleceu em 6.4.1875, Cruz Alta /RS, casado com Maria Fausta de Moura nascida em torno de 1821 e falecida em 07.03.1895, Cruz Alta/RS, filha do Cap. Fidélis Militão de Moura[19], nascido na Lapa, Paraná e falecido em 28.4.1878 Cruz Alta/RS (filho de Manuel de Moura Cardoso[20] e Maria Inês da Silva) e de Teresa Maria de Jesus falecida em 1869 (filha de Germano Teixeira da Silva e Felicia Maria do Sacramento/de Jesus que faleceu em torno de 1867 em Palmeira/RS). Em 1877, Maria Jacinta registra seu testamento (Palmeira das Missões/RS), com autorização do pai para dispor livremente de seus bens.
N6. Alda Brandina do Amaral, nasceu em Lages/SC, casada com Joaquim Gomes Gonçalves, natural de Portugal, sem descendência.

N7. Maria das Dores do Amaral nascida em torno de 1822.


FONTES:
ALVES, Luiz Antônio. Memorial Açoriano. Edição do autor: tomo 45.
BORGES, Patrícia. Arquivo pessoal.
Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS): inventários, testamentos, medições de terras, habilitações de casamento e livros do registro civil.
CAVALARI, Rossano Viero. A Gênese da Cruz Alta. Cruz Alta: UNICRUZ, 2004.
Cúria de Santo Ângelo: registros de batismos, casamentos e óbitos da Igreja Católica.
DOMINGUES, Moacyr. Presença Açoriana em Santo Antônio da Patrulha. Porto Alegre: EST, 1993, org. por Véra Maciel Barroso.
Leme, Luiz Gonzaga da Silva. Genealogia Paulistana.. SP, Livraria Duprat, 1903 a 1904, 9 volumes. Disponível em: http://buratto.org/paulistana
MOUSQUER, Zélce Darclé. Família Mousquer, uma imigração francesa no sul do Brasil. Porto Alegre: EST, 2008.
NUNES, Cláudio (org.) Genealogia Tropeira . Disponível na internet.
OLIVEIRA, Sebastião F. de. Aurorescer das Sesmarias Serranas. Porto Alegre: EST, 1996.
RICHA, Lênio Luiz. Genealogia Brasileira: Títulos Perdidos. Disponível em: http://www.genealogiabrasileira.com/titulos_perdidos/cantagalo_ptfreitas.htm
SILVEIRA, Hemetério José Veloso da. As Missões Orientais e seus antigos domínios.
SILVEIRA, Valdenei. Família Silveira. Disponível em: http://gw5.geneanet.org/
SOARES, Mozart Pereira. Santo Antônio da Palmeira. Porto Alegre: Belz, 1974.
ZAMBERLAM, Jurandir. Boa Vista do Cadeado suas origens missioneiras à município do século 21. Porto Alegre, Palloti, 2002.


NOTAS:
[1] Maria de São Boaventura casou em 2ª núpcias, a 16.9.1783 com o alferes José Raposo Pires, também chamado de José Furquim de Camargo, nascido em 1716 e já viúvo de Francisca Cardoso Bueno, falecida em 1782 em Lages/SC. José faleceu onde dias após o casamento com Maria de São Boaventura, não deixando descendência deste consórcio. Maria casou-se, então, em 3ª núpcias com João Damasceno de Córdova, nascido em 1743 em Santos/SP e fal. 1806, com quem teve a filha Ana Maria do Amaral, casada com Mateus José de Souza.
 Sobre este terceiro casamento de Maria com João Damasceno de Córdova, nos diz a pesquisadora Patrícia Borges: "Maria de São Boaventura casou em terceiras núpcias com João Damasceno de Córdovacom quem promoveu banhos, no ano de 1785. João Damasceno antes, fora antes morador em Cotia e, por ter sido padrinho de batismo de um filho de D. Maria, sua noiva, esse parentesco espiritual serviu de impedimento para a celebração do matrimônio. Pelo fato da oradora se achar infamada com o orador (João Damasceno) este quase foi morto pelos seus inimigos e pelos parentes da noiva que o ameaçavam. Foi necessária a intervenção do vigário de Lages, o Padre Antônio Antunes de Campos que escreveu a 1º de novembro de 1784: “Os oradores são pessoas brancas, de boa qualidade, da oradora falo [com] mais conhecimento por ser nacional de São Paulo, e do orador inda que é filho de Santos, tenho informação que é de gente boa. Os haveres de um, e outro são módicos, mas não deixarão de ter meios de viver parcamente. A necessidade de casar o orador com a oradora é muito grande, pois só assim se remediarão as conseqüências funestas, que poderão tornara suceder. Tudo é público. Tem a oradora os filhos que declaram em um dos artigos. O que tudo sei por serem meus fregueses.” Apenas a 13 de fevereiro de 1786 o Bispo de São Paulo, D. Frei Manuel, concedeu a dispensa matrimonial aos oradores (Fonte: Antigos Proprietários Rurais de Lages - Marcelo Meira Amaral Bogaciovas - Prêmio ASBRAP 1999).
Do casal Córdova- Amaral , em 1804, os seguintes filhos: 
*Antônio Lins e Córdova, c.c. Balduína Maria de Souza, filha de Mateus José de Souza e Clara Maria de Ataíde; 
*João Damasceno de Córdova, nascido pelo ano de 1788; 
*Maria Flávia do Nascimento, bat. 17/IX/1788, em Lages, onde faleceu em 3/VI/1820; 
*Ana Maria do Amaral, chamada também de Ana Damasceno de Córdova, bat. 26/X/1793, onde casou em 8/VI/1813 com Mateus José de Souza (Filho), filho de Mateus José de Souza e de Clara Maria de Ataíde. (Fonte-Genealogia Tropeira, em SANTA CATARINA, LAGES E NORDESTE DO RIO GRANDE DO SUL/ SÉCULOS XVII, XVIII E XIX / VOLUME II - em João Damasceno de Córdova).
[2] Geneal. Paulistana, Tit. Taques Pompeus, Vol 4, p. 308
[3] Geneal. Paulist. Tít Cubas, Vol 6, p. 202
[4] Geneal. Paulist., Tít. Siqueiras Mendonças, Vol. 7, p. 496.
[5] Geneal. Paulist. Tít. Taques Pompeus, Vol 4, p. 307
[6] Geneal. Paulist. Tít. Taques Pompeus, Vol 4, p. 307
[7] Escholastica faleceu em 1725, foi 1.º casada com o sargento-mor Bento do Amaral da Silva que, segundo escreveu Pedro Taques, era natural do Rio de Janeiro, da nobre família dos Amaraes Gurgeis daquela capitania, f.º do coronel José Nunes do Amaral, morador que foi na cidade do Rio de Janeiro, e de Maria de Arão Gurgel, esta (segundo escreveu Taques em dúvida) f.ª de Tacen Gurgel, o francês, e de Izabel do Amaral. O grande cabedal desta casa veio a consumir-se com o tempo depois da morte de Bento do Amaral, não só pela divisão entre os muitos herdeiros que deixou, como pelo 2.º casamento da viúva Escholastica com José Pinto Coelho de Mesquita, o qual, de distinta qualidade como ramo da ilustre casa do Bom Jardim, não teve o tino economico preciso para a conservação de tão grande fortuna, e veio a falecer pobre deixando um f.º Ignacio José que faleceu solteiro
[8] Geneal. Paulist., Tit. Godoys , Vol 6, p. 121, 142
[9] Geneal. Paulist., Tit Taques Pompeus, V4, p. 304
[10] Manuel Gonçalves Cadime cuja nobreza consta dos autos de justificação do seu neto Sebastião do Prado Cortes, em Geneal. Paulist., Tít. Alvarengas, Vol 5, p. 396.
Sua descendência pode ser pesquisada em:
[11] Mecia era filha de Maria Ribeiro de Alvarenga e seu 2º esposo Domingos da Silva, falecido no sertão, Tit Alvarengas, Vol 5. p 376. Mecia casou pela segunda vez com João Corrêa Marvão, natural da freguesia de Caçaraba, Rio de Janeiro, falecido em 1684, com quem teve o filho Thomaz Corrêa marvão, sem descendência. Genealogia Paulistana, Tit. Alvarengas, Vol. 5, p.396, com geração em Genealogia. Paulistana, Tít. Taques Pompeus, Vol. 4. p. 304
[12] Geneal Paulistana, Título Lemes, Vol 2, p. 352
[13] Geneal. Paulist., Tít. Taques Pompeus, Vol 4, p. 301
[14] Manuel Pedroso de Moraes (omitido em Geneal. Paulist. Tit Alvarengas, vol. 5, p. 443), citado em http://www.genealogiabrasileira.com/titulos_perdidos/cantagalo_ptportes.htm, era filho de Gaspar Corrêa Moreira e Ana Pedrosa (o) de Morais; neto de Manuel Rodrigues Moreira e Maria Bicudo; bisneto de Francisco Álvares Torres e Margarida Gonçalves (1ª) Guiomar de Alvarenga (2ª).
[15] Rosa Maria de Jesus nasceu em torno de 1726, Taubaté, casou em torno de 1741, Taubaté, com Manuel Pedroso de Moraes, moradores Caçapava 1765, f. de Gaspar Correia Moreira e Ana Pedroso de Moraes, com: (AS. 2.199, Geneal. Paulist.. 5.443 e 7.458).
[16] Antônio Ferreira Penide natural da Ilha do Pico, Açores e Maria Inácia (filha de Antônio Pereira Frade e 1.Beatriz de Rosa São José), tiveram os filhos:
2.Perpétua Penide batizada em 1775 em Santo Antônio da Patrulha/RS.
3.Paulo Penide batizado em 1776, Santo Antônio da Patrulha/RS.
4.Ana Penide batizada em 1778, Santo Antônio da Patrulha/RS.
5.Maria Penide batizada em 1780, Santo Antônio da Patrulha/RS.
6.Fabiana Penide batizada em 1781, Santo Antônio da Patrulha/RS.
7.Antônio Penide batizado em 1783, Santo Antônio da Patrulha/RS.
8. Joana Antônia Penide casada com Manuel Antônio do Amaral. 
Genealogia da Família Silveira: http://gw5.geneanet.org/
[17] Encontramos a genealogia do imigrante português Antônio Pereira Frade e Beatriz/Brites Rosa de São José, em Presença Açoriana em Santo Antônio da Patrulha. Porto Alegre: EST, 1993, org. por Véra Maciel Barroso, pg 178-181.
[18] Francisco Telles casou-se em primeiras núpcias com Generosa, que tiveram os filhos:
1. Maria Francisca Telles da Silva casada com João Telles da Silva, filho de Antônio Telles de Souza e Ana Gertrudes da Silva.
2. capitão Francisco Telles da Silva, nascido em São Francisco de Paula, casado com Ana Eludeges (?) da Silva.
3. Eduardo Telles da Silva natural e batizado em Lages/SC, casou em Cruz Alta/RS com sua sobrinha Maria Joana da Silva, filha de João Telles da Silva e Maria Francisca da Silva. Casou em 2º matrimônio com Bibiana Telles do Amaral.
4. Manuel Telles da Silva casado com Maurilia da Anunciação Amaral, filha de Manuel Antônio do Amaral e Joana Antônia de Jesus. Sem descendência.
5. João Telles da Silva casado com (I) Maria Francisca da Silva e (II) com Bibiana do Amaral.
6. Ana casada com Tomás Mendes de Mascarenhas, moradores na Província de Corrientes.
7. Francisca casada com Balduíno Fogaça de Almeida.
8. Olivério Telles de Souza casado com Benevenuta Telles de Carvalho.
9. Maria Cândida casada com Sinfrônio Olímpio Barreto do Amaral, moradores em Vacaria.
Francisco casa em 2º matrimônio em 1850, com Bernardina Penides do Amaral, filha de Manuel Antônio do Amaral e Joana Antônia de Jesus, cunhada de seu filho Manuel Telles da Silva. Do segundo casamento houve os filhos:
10. Manuel Telles de Souza
11. Simplício Telles de Souza
12. Vidal Telles de Sozua
13. Jacinta Telles casada com Delfino Soares do Amaral, filho de Fortunato Penides do Amaral e Zeferina Soares de Azevedo.
14. Amélia Telles da Silva.
[19] Cap. Fidelis Militão de Moura e Theresa Maria de Jesus foram pais:
1. Maria Jacinta/fausta de Moura c/c Boaventura Penides do Amaral.
2. Lucidoro de Moura Reis c/c Gertrudes Maria da Conceição.
3. Cap. Militão Ferreira de Moura c/c Perpétua Felicidade de Melo.    
4. Clarinda Felicidade de Moura c/c Manoel Bento de Almeida.
5. Florinda Maria de Moura c/c Jerônimo Antunes de Camargo.
6. Herculana Maria de Moura, casada com Prudêncio Antônio da Silva, José Vicente de Moura e Silva eTristão Nunes Gonçalves.
7. Senhorinha Maria de Moura c/c Tristão Muniz Gonçalves.
8. Galdino Isidoro de Moura c/c Maria Isidora de Moura, Perpétua Felicidade de Mello e Maria Joanna da Conceição.
9. Joaquim Ferreira de Moura c/c Gertrudes Crescência de Moura.
10. Maximiana Ângela de Moura c/c Luiz Minho Flores.
11. Serafim de Moura Reis c/c Maria Rosália de Moura e Silva e com Christina Müller.
12. Alexandrina de Moura c/c Cap. Vicente Ferreira Brizola.
[20] Manuel de Moura Cardoso natural de Santiago da Lustosa, arcebispado de Braga, filho de Gregório Ferraz Cardoso e Maria Ferreira de Moura, casou em 1º núpcias com Gertrudes Maria de Barros natural da Villa de Curitiba e filha de Arseques Ferreira de Barros e Francisca de Jesus Albuquerque.
Manuel de M. Cardoso casou em 2º núpcias com Maria Inês da Silva, natural da Villa do Príncipe, filha de Manuel Simões e Joana Pereira da Silva.
Filhos do 1º casamento de Manuel com Gertrudes:
1. Maria Gertrudes de Moura casada com Laureano José Ramos.
2. Mathilde de Moura casada com José Thomas da Silva.
Filhos do 2º casamento de Manuel com Maria Inês:
3. Fidelles Militão de Moura casado com Teresa Maria de Jesus.
4. Ana Rosa de Moura casada com Vicente José da Silva, moradores Palmeira/RS.
5. José de Moura e Silva casado com Constancia de tal, moradores nas Missões. 10 filhos.
6. Alexandre Honorato de Moura
7. Serafim Antônio/Anastácio de Moura. 5 filhos.
8. Manuel Florêncio/Francisco de Moura (faleceu solteiro em 18.10.1871, Palmeira das Missões/RS)http://gw5.geneanet.org

41 comentários:

JG disse...

Olá.
Que belo trabalho.
Procuro ancestrais do meu pai José Rufino Teixeira, mas perco o rumo quando aparece o nome Bicudo, citado em sua nota 14-Maria Bicudo.
Meu pai era filho de Manoel Ignácio Teixeira e Brazília Mendes Teixeira. Neto de Benedito Eduardo Teixeira e Maria José Teixeira (avós paternos), e José Florêncio Mendes e Anna Mendes (avós maternos). Nasceu em 1922 em Balsa Nova-PR e faleceu em 1964 em Curitiba-PR. Essa família se espalhou pela Lapa, São João do Triunfo, Campo Largo, Porto Amazonas. Tudo no Paraná. E antes disso não encontro nada. Mas, consta que haveria uma ligação com a família Bicudo do RS, graças a Antonio Rodrigues Bicudo, pai de Maria José Teixeira, avó do meu pai.
Outra nota que me chamou a atenção foi a 19- ...filha de Germano Teixeira da Silva, pois meu nome é João Germano Teixeira.
Abs e parabéns.

João Germano (de Curitiba)

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Prezado João Germano,
Obrigado pelo contato! Há um ótimo historiador do Paraná que publicou vários livros sobre a região de Porto Amazonas, Castro, ... José Carlos Veiga Lopes. Além disso, a Igreja dos Mórmons disponibilizou quase todos os livros do registro civil do Paraná, sendo possível a pesquisa on line. Se quiseres maiores informações me escreva. Atenciosamente, Diego.

GermanoCWB disse...

Olá Diego.
Obrigado pela atenção e pelas dicas.
Vou procurar essas publicações e, provavelmente, precisarei de sua ajuda no futuro.
Obrigado de novo e boa sorte.

Karina R. Amaral disse...

Olá,
Gostaria de parabenizar o seu trabalho, achei muito interessante..
Sou da região de Lages e meu nome é Karina Rodrigues do Amaral, gostaria de saber onde posso procurar por meus ancestrais, eu quero montar a árvore genealógica da minha família.

Agradeço a atenção.

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Obrigado Karina. Me escreva em privado (diegopufal@gmail.com) que passo o contato de uma amiga que poderá te ajudar. Saudações, Diego.

tito disse...

Ola Diego! Em primeiro lugar quero parabenizá-lo. É um excelente trabalho.
Sou descendentes dos Amaral de Santa Maria RS. Meu bisavô chamava-se Francisco Gonçalves de (do) Amaral, casado com Firmina Quintilliana de Amaral. Meu Avô Virgilio Gonçalves de Amaral, nascido em 1871 e casado com Margarita Baracchini, imigrante italiana.
Não consegui encontrar nenhuma pista relativa aos ascentrais de meu bisavô.
Aguardo uma orientação.

Alda Maria da Silva Amaral disse...

Gostaria de saber sobre minha familia
Pedro belo do Amaral casado com Maria da conceição Amaral da Cidade de Tabira PE

alda-amaral@ig.com.br

lassants sants disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Prezado Lucyrio, obrigado pelo contato. É possível encontrares mais dados da tua genealogia. Escreva para diegopufal@gmail.com que te passo algumas dicas. Saudações.

Gushi Gushi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silvia disse...

Parabéns pelo trabalho, adorei, chegou aos meus bisavós maternos Joaquim Soares do Amaral e Zelina Cortez do Amaral. Minha mãe tem o mesmo nome da avó dela em homenagem ( Zelina Amaral)o meu avo pai dela chama-se Camilo Cortez do Amaral. Trabalho excelente.

Silvia Amaral

Silvia disse...

OI, entre em contato comigo que tenho como passar os filhos do Joaquim Soares do Amaral com a Zelina Cortea do Amaral (meus bisavós)e netos e bisnetos.
silvya_amaral@hotmail.com

Obrigata

Silvia Amaral

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Obrigado Sílvia!

Anônimo disse...

Ola, busco saber mais sobre meus decendentes. Sou neta de Pedro Gonçalves do Amaral, casado com Enedina Antunes do Amaral

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Olá, de onde eram os teus antepassados e onde moravam?

Aline Blank do Amaral disse...

Olá, fiquei muito feliz em encontrar a história da família Amaral. Me chamo Aline Monique Blank do Amaral, filha de Cloedir Vicente Fagundes do Amaral, neta de Luís Gonzaga Fagundes do Amaral, bisneta de Waldenor Valente Cortes do Amaral. Portanto, posso auxiliar na busca por mais informações dos descendentes de Tn6. Eugênio Ventura do Amaral + Aureolina Cortes do Amaral.

Parabéns pelo magnífico trabalho!

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Obrigado Aline pelo contato e ficamos feliz tenha gostado do trabalho. Se você tiver novos dados, fotografias antigas e quiseres nos mandar, agradecemos. Aproveitamos para perguntar se não tens parentesco com os Blanck que postamos emhttp://pufal.blogspot.com.br/2008/08/famlia-blanck.html ?
Saudações.

'renan disse...

Olá! Bom, eu tenho dados e fotos sim. Posso enviar para vocês. Meu bisavô Waldenor Valente Cortes do Amaral faleceu há mais de 20 anos. Já o meu tio-bisavô Boaventura Cortes do Amaral morreu ano passado com mais de 100 anos.
Em relação aos Blank (ou Blanck),meu vô, Nélio Blank, recorda que o pai dele, Alfredo, tinha irmãos mas os nomes deles não constam no post (Fritoldo, Arnoldo). Olhando o post sobre os Blanck realmente me intrigou a coincidência de nomes (com Pedro Alfredo Ricardo Carlos Henrique Blanck).
Também procurei informações no blog sobre a família Molinari (Molinaro, Mulinari), por parte de minha vó materna. Ela inclusive viajou para Guaporé/RS para tentar encontrar parentes mas a idade impossibilitou uma investigação mais profunda.
Abraços98

'renan disse...

Comentário acima enviado por Aline Monique Blank do Amaral.

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Olá Aline, se puderes mandar as fotografias antigas para o meu e-mail (diegopufal@gmail.com), agradeço.
Sobre os Blank: pode se tratar de outro ramo, pois achei vários chegando no RS. Sabes o local em que os teus se estabeleceram e datas aproximadas?
Dos Molinari, querendo, me passe por e-mail os dados que tens, pois tenho livros de Guaporé e região e talvez possa ajudá-la. Sds, Diego.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos disse...

Ola a todos!
Gostaria de saber onde encontrar informações sobre o lado Amaral de minha família. Meu avo nasceu em Santa Vitoria do Palmar (RS) e migrou para Rio Grande. Curiosamente, ele foi batizado com o sobrenome de minha bisavó (Amaral). O meu bisavô tinha sobrenome Mendonça e nasceu em Portugal. Alguém por gentileza sabe informar onde encontro mais informações? Eu tenho os nomes completos dos meus bisavós. Grato!!
Marcos Amaral Torres

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Olá Marcos, o interessante seria buscar o registro de casamento dos teus bisavós em Santa Victória do Palmar, junto ao cartório de registro civil ou igreja católica. Saudações, Diego.

Sérgio Amaral Campos Campos disse...

Boa Noite Pessoal!! Gostaria de saber se os Amarais Campos ou Campos dos Amarais de Piracicaba tem sua genealogia com a Família Amaral. Meu pai se chamava Antônio Kerches (= Perches ) de Campos e minha mãe se chamava Zelia Nancy de Amaral Campos. Sendo que meu Avô paterno era Kerches de Aguiar e minha Avó paterna Ferraz de Campos. Minha mãe tinha o nome de solteira de Barbosa do amaral.E-mail: sergio.acampos@ig.com.br. Atenciosamente!!

Sérgio Amaral Campos Campos disse...

Boa Noite Pessoal!! gostaria de saber se os Amarais Campos ou Campos dos Amarais tem alguma ligação com a origem da Família Amaral Portuguesa citada no texto. Meu Pai se chamava Antônio Kerches ( =Perches ) de Campos e minha Mãe Zélia Nancy de Amaral Campos. Meu avô paterno se chamava Jacob Kerches de Aguiar e minha Avó paterna se chamava Benedita Ferraz de Campos. Minha Avó Materna também tinha no sobrenome Barbosa. Se alguém puder colaborar. Meu e-mail é sergio.acampos@ig.com.br. Atenciosamente!!

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Prezado Sérgio, infelizmente não temos a ligação, até porque várias ramos do Amaral emigraram para o Brasil. O ideal é tentar buscar certidões mais antigas, como a de nascimento da tua mãe, a fim de saber os nomes dos avós dela, teus bisavós e assim sucessivamente.

Anônimo disse...

olha caro Diego meu tresavo se chamava benevenuto do amaral gostaria de saber se aquele benevenuto da foto do casamento pode ser meu avo ?

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Olá! Terias que tentar conseguir a certidão de nascimento do teu bisavô, filho do Benevenuto do Amaral, para ver onde nasceu, quem foram seus pais e avós. Com estas informações talvez consigamos fazer a ligação.

Anônimo disse...

Olá! Parabéns pela pesquisa.
Tenho feito uma grande procura pela linhagem da minha familia Correa que vem de Porto Amazonas e gostaria de mais informaçoes sobre os registros civis dos mormons que vc citou acima para o João germano. Obrigada
marianecorrea@outlook.com

Anônimo disse...

Há um erro bem claro nas datas do José Francisco de Moraes Navarro: "faleceu a 16/11/1782 em Lages/SC), que casaram em 16.09.1783"... Veja também as datas de nascimento dos filhos...quase todas anterior a morte dele!

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Prezado(a), realmente houve equívoco na data de casamento de José Francisco de Moraes Navarro. A data de 16.09.1783 refere-se ao segundo casamento de Maria de São Boaventura com o alferes José Raposo Pires, cuja retificação já foi feita no blog, além de alguns acréscimos. Obrigado!

Profº. Ananias Almeida disse...

Boa Tarde, Diego. Em primeiro lugar, parabéns pelo blog, realmente, é um excelente trabalho. Gostaria de saber como posso encontrar mais informações sobre a família Ferrando, da antiga região de Palmeira das Missões, embora eu seja de Criciúma-SC. Dos poucos documentos que encontrei, o mais antigo é um óbito de DOVATHEO FERRANDO, 1912, no caso, este senhor seria meu tetra-avô, todavia, as informações contidas em seu óbito nada dizem sobre o seu passado, pois consta "de filiação, idade e naturalidade ignorada". Grato.

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Obrigado Ananias! O que mais sabe sobre Dovatheo Ferrando? Ele foi casado com quem e que época aproximada? Sabe dizer os nomes dos filhos e locais onde teriam nascido?
Sds., Diego.

Profº. Ananias Almeida disse...

Olá Diego, agradeço por responder, também não pude deixar de ver que tens ligação com Forquilhinha-SC (lecionei lá em 2014). Bom, quanto ao Dovatheo Ferrando, tudo em relação a este senhor é meio que um mistério. Antes de começar minhas buscas, "incomodei" muita gente da família, o que me foi contado é que ele veio da Argentina para o Rio Grande entre 1890 e início de 1900. O interessante é que, embora não se tenha um registro bem detalhado do Dovatheo, encontrei as certidões de nascimento e casamento do neto dele, Luiz Gomes Ferrando (meu bisavô), e olha que interessante, quanto a mãe do Luiz (Joséfa Gomes Ferrando), consta como "natural da República da Argentina", neste mesmo documento, o Dovatheo consta como natural do estado do Rio Grande do Sul, porém, em sua certidão de óbito, consta como "filiação, idade e naturalidade ignorada". Por isso o mistério. Também tenho nomes de seus filhos e de suas duas esposas, porém sem datas.

Dovatheo Ferrando foi casado primeiramente com Jacintha Rodrigues de Almeda, da qual ficou viúvo, assim, casou-se com Antonia Gomes Ferrando. Quando de seu falecimento (1912), deixou os filhos Vicente, Manoel, Josepha, Antonio, João e Hermelindra Pereira Ferrando, de 20, 19, 18, 16, 14 e 10 anos de idade respectivamente. Nada encontrei ainda sobre um de seus filhos, exceto o óbito de João na cidade de Coronel Bicaco-RS (não sei se me ajudaria solicitar o inteiro teor desta certidão). Até agora, os documentos que encontrei estavam na cidade de Redentora-RS. Tenho solicitado pesquisas seguindo um mapa de desmembramento da antiga região de Palmeira das Missões, o qual me foi fornecido pelo Ofício da cidade de Palmeira, mas, até então, nada encontrei sobre Josepha (Joséfa) e Dovatheo apenas o óbito.

Quanto aos documentos em inteiro teor que tenho hoje em mãos: Óbito de Dovatheo Ferrando, Nascimento e casamento de Luiz Gomes Ferrando. E quanto aos locais de nascimento, a família sempre esteve pela região de Palmeira das Missões: Campo Novo, Santo Augusto, Três Passos, Tenente Portela, São Martinho, Três de Maio...

Desculpe o texto muito longo. Abraço.

DIEGO DE LEÃO PUFAL disse...

Olá Ananias, famílias da fronteira e Missões sempre encontramos dificuldades! O fato de na certidão de óbito de Dovatheo Ferrando constar naturalidade diversa e filiação ignorada, pouca coisa diz, por depender do conhecimento do declarante, que muitas vezes sequer conhecia o falecido. As naturalidades e datas também costumam variar ...

Bom, mas vamos aos fatos. Primeiramente tenho o Dovatheo como DOROTHEO Ferrando (acredito que seja erro de leitura do cartório o nome Dovatheo), natural do RS, lavrador, casado em Palmeira das Missões, filho de HORÁCIO Ferrando e Joana Pires (?). Dorotheo foi casado com Jacinta Rodrigues de Almeida, natural do RS, filha de José Rodrigues do Amaral (que não consegui ligar ainda aos demais) e Joaquina. Tenho outra filha do casal Dorotheo e Jacinta: Elvira, nascida a 15/09/1890 em Palmeira das Missões, que deve ter falecido antes do pai.

Diante disso, considerando que os cartórios iniciaram, em regra, com a Proclamação da República, eu solicitaria à cúria de Santo Ângelo e de Cruz Alta o registro de casamento de Dorotheo e Jacinta, para ver se diz a naturalidade deles e demais detalhes, para depois prosseguir a pesquisa.

Acredito que Ferrando seja italiano e bem pode ter vindo pela Argentina, a justificar a informação existente.

Moro em Forquilhinha atualmente, mas sou do RS. Vou ver se tenho mais anotações deste pessoal. Falamos por e-mail: diegopufal@gmail.com

Abraço, Diego.

Darlan Notas disse...

Boa noite!
sou da família do Amaral sou natural de Canguçu RS meu avó era leoncio silveira do Amaral
meu bisavo era Marcelino silveira do Amaral filho e morreu em 1889 mais ou menos tem que conferir as datas tem como saber de que reguião eles vieram para o rio grande do sul.

Diego de Leão Pufal disse...

Olá Darlan, infelizmente não tenho informações para te ajudar na pesquisa genealógica. Possivelmente com esta composição "Silveira do Amaral" os teus antepassados tenham vindo dos Açores, mas só mesmo fazendo a pesquisa para confirmares. Querendo, escreva à Oficina das Origens (oficinadasorigens@gmail.com), pois talvez possam te auxiliar.

Supermercado Amaral disse...

PARABÉNS AO CRIADOR E AOS COLABORADORES DO SITE,SOU APAIXONADO PELA HISTORIA DA NOSSA FAMÍLIA,TATARANETO DO CAPITÃO BOAVENTURA SOARES DO AMARAL,E GOSTARIA DE SABER EM QUE POSSO ACRESCENTAR A ESSE LINDO GESTO E INICIATIVA DE NÃO DEIXAR SE PERDER NO TEMPO NOSSA LINDA TRAJETÓRIA DE VIDA!?

Diego de Leão Pufal disse...

Obrigado! Ficamos felizes que tenha gostado do blog. Se você tiver fotografias antigas e dados a acrescentar, podes mandar para o e-mail diegopufal@gmail.com que retifico o blog, com os devidos créditos. Grato!

fernando amaral disse...

Boa Noite

Muito bem sou da Familia Amaral da Cidade de Garanhuns, minha avó paterna e da cidade de Carpina-PE-zona da MATA de Pernambuco, gostaria muito de saber se tenho familiares em comum.

Diego de Leão Pufal disse...

Prezado Fernando, para saber se há algum parentesco, só mesmo fazendo a genealogia da tua família.