sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A família Pufal (II): origem do nome, emigração e genealogia

A FAMÍLIA PUFAL (II): origem do nome, emigração e genealogia

Autoria de Diego de Leão Pufal 

[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte:  PUFAL, Diego de Leão. A família Pufal (II): origem do nome, emigração e genealogia in blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/] 
[atualizado em 19/10/2015]


I) ORIGEM E SIGNIFICADO DO NOME

O pássaro upupa epops que teria dado
origem ao sobrenome Pufal
(http://www.quantum-conservation.org/ESB/HOOPOE.html)
O sobrenome PUFAL é de origem germânica e provém de um pássaro, chamado em latin de upupa epops [em alemão, puvogel][1], em razão de seu “puf” característico, como se pode ver da fotografia ao lado:
Conforme as pesquisas apontam, a família originou-se da  Pomerânia, localizada no norte da Polônia e da Alemanha, na costa sul do Mar Báltico, entre as margens dos Rios Vístula e Odra.
Durante os séculos XIX e XX seus integrantes espalharam-se no então reino da Prússia, em cidades hoje pertencentes à Polônia, à Alemanha, à Rússia e à Ucrânia. A movimentação de alguns membros da família Pufal, durante esses séculos, assim como de muitas outras famílias, deu-se em busca de novas oportunidades, principalmente trabalho, conflitos, casamentos e, é claro, em virtude das grandes guerras mundiais.
Já no século XX muitos emigrantes Pufal destinaram-se às Américas do Sul e do Norte. O sobrenome registra-se em alguns países da América Latina: Brasil, Paraguai e Argentina, assim como nos Estados Unidos e Canadá.
A grafia do sobrenome, por sua vez, apresenta diversas formas: PUFAHL, PUPHAL, PUFALL, POPHAL, POWALSKI e PUWALLA; e algumas corruptelas verificadas durante as pesquisas, tanto na Alemanha, Prússia e Polônia, assim como no Brasil. São elas: POUPHAL, PUFF, PUFFAL, PUFFALD, PUFALL, PUHFAL, PUVAL, PUFALT, e as principais versões em polonês: PLOWINSKI e PUFALSKI[2], e, no Brasil: BUFFALT, BUFFAL e RUFALL. 
Atualmente, o sobrenome Pufahl no Brasil é grafado sem a letra “h” – PUFAL –, apesar de algumas exceções.  
Registra-se, por fim, que a pronúncia correta do nome é “fal”, ou seja, deve-se observar a tonicidade da sílaba “Pu”, e não como chamam, erroneamente, no Brasil – “Pufál”.


II) A EMIGRAÇÃO PARA O BRASIL

Alguns ramos da família Pufal/Pufahl emigraram para o Brasil, estabelecendo-se no Estado do Rio Grande do Sul. Desses, já se conseguiu encontrar cinco, que seguem:
1) os filhos de Karl Adolf Pufahl e Justine Büttner:
- Jacob Pufal, em 1890 para Veranópolis/RS;
- Eduard Pufal, na década de 1910, para Porto Alegre/RS, e
- Rosalie Pufal Gliese, em 1929, para Porto Alegre/RS.
2) Adolf Pufal, 35 anos, com a esposa Hulda, 30 anos, chegados no Rio Grande do Sul em 05/07/1912 (C-527, AHRS), dados como alemães-russos, com os filhos:
- Ewald, 11 anos;
- Agate, 10 anos;
- Elsa, 8 anos;
- Adolfina, 7 anos;
- Friedrich Pufal, 6 anos;
- Bertha Pufal, 4 anos;
- Frieda, 2 anos.
3) Johann (Friedrich) Pufal, 40 anos, com a esposa Christina, 40 anos, chegados no RS em 05/07/1912 (C-527, AHRS), dados como alemães-russos, emigrados junto com o antecedente, com os filhos:
- Friedrich, 13 anos;
- Samuel, 8 anos;
- Martha, 6 anos, e
- Wilhelm, 2 anos.
4) Cristiano Pufal, nascido em 27/08/1899 na Polônia-Russa, filho de Gottlieb Pufal e Juliana. Casou com Rosalie Wilhelm, nascida na Polônia-Russa e emigrados para Santa Rosa e região, pais de:
- Ewald Pufal, n. em 1923 na Polônia, imigrado para o interior do RS, casado com Emma Deuschle.
5) Hermann August Pufahl (ou Germano Pufahl ou Pufal), nascido a 20/10/1869, Rússia, agricultor, emigrado para Ijuí/RS, residente na Linha 27 de General Firmino, então 3º distrito de Ijuí, com a esposa Júlia ou Juliana Schmidt, agricultora, nascida a 14.10.1863, Rússia. Emigraram em 1928 para o Brasil. Pais de:
- Emma Pufahl, nascida em Roszciszce, Volhynia;
- Edmund Pufal, nascido em 20/06/1898 - Rozyszcze, Volhynia;
- Richardt, n. em Roszciszce, Volhynia; 
- Helene Pufahl
- Ewald Albert Pufahl (Evaldo Pufahl), n. 10.03.1907, Plaszew, Rozyszcze, bat. Roszciszce, Volhynia, agricultor. Casou a 29.07.1932 em General Firmino com Hulda Hanisch, n. 01.02.1915, RS, filha de Luiz H. (n. 29.09.1875, Rússia) e de Paulina (n. 18.02.1876, Rússia). Foi testemunha do casamento: Richard Pufahl, n. Polônia, casado, 32 anos, agricultor (Fonte: Hab. Cas. de Gen. Firmino, n.º 37/1932, APRS);
- Ella Pufahl, n. 01/02/1910, Roszciszce, Volhynia, Rússia. Casou a 09/01/1929 em General Firmino, 3º distrito de Ijuí, com Guilherme Wichmann, n. 25/06/1906, Rússia, agricultor, filho de Miguel W. e Christina, ele com 62 anos e ela com 49 anos, residentes em General Firmino em 1929. (Fonte: Hab. Cas. RC de General Firmino, proc. n.º 05/1928 - APRS). Foi testemunha do casamento Edmundo Pufahl;
- Hedwich Pufahl (Hedwig Pufahl), n. 06/05/1913, Zapust, Polônia. Casou a 22/03/1933 em General Firmino com Guilherme Jungton, n. 28.02.1910, RS, agricultor, res. na Linha 27 de Gen. Firmino, filho de Gottlieb J. (n. 25.08.1882, Alemanha) e Paulina (n.15.08.1883, Alemanha) (Fonte: Hab. Cas. RC de Gen. Firmino, proc. 21/1933 - APRS). Foi testemunha do casamento: Alberto Pufahl.
- Albert Pufahl
Embora poucas as famílias Pufal e variações emigradas para o Brasil, se comparadas com outros sobrenomes, atualmente os seus descendentes são em número bem considerável, podendo ser encontrados pelo país (no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Paraná e Mato Grosso) e em países vizinhos (Argentina e Paraguai principalmente).
Porém, aqui vou tratar do meu ramo direto, os descendentes de Karl Adolf Pufal/Pufahl, cuja descendência segue.


III) DESCENDÊNCIA DE KARL ADOLF PUFAL E JUSTINE BÜTTNER:

1. KARL ADOLF PUFAHL (ou apenas Adolf Pufahl/Pufal), nascido a 22/02/1834 na cidade de Jasieniec Stary, Przedecz (Wloclawek), Bydgoszcz, hoje Polônia, e falecido entre os anos de 1892 e 1912 possivelmente em Zyrardów, Skierniewice, Polônia. Era filho de Joachim Heinrich Pufahl (também Heinrich Pufalski, nascido em 1808 na província de Kutno e falecido a 05/02/1858 em Goczki Niemieckie, Polônia) e de Susanne Hoffmann (nascida em 1809 em Liliopol, Przedecz, Kutno, Polônia e falecida a 20/12/1885 em Marianowska, Volínia, Ucrânia), neto materno de Matthias Hoffmann (nascido em 1788 em Aschenfurt, Prússia) e Anna Katherine Fechner – todos com ascendência e descendência descritas em http://textor.dk/przedecz/html/dat12.htm#44, pelo genealogista JAN TEXTOR (polonês de nascimento e residente em Copenhagen, Dinarmarca - também descendente das famílias Büttner e Hoffmann e, portanto, parente dos Pufal). 
Sobre Karl Adolf Pufahl desconhece-se sua profissão, apenas que foi luterano e migrou para Zyrardów após 1861, provavelmente em razão do seu progresso enquanto cidade têxtil. Zyrardów é uma pequena cidade da Polônia, a 43 km de Varsóvia, localizada na província de Skierniewice.
Foi casado duas vezes, a primeira a 23-11-1852 em Przedecz com Juliane Weber, nascida em 1835 em Golskie, Holendry, Polônia e falecida a 18-02-1864 em Jasieniec Stary, filha de Wilhelm Weber e Eva Düsterhöft. Desse casamento houve quatro filhos: August, Wilhelm, Emilie e Mathilde Pufal, falecida na infância, sem mais informações.
Karl Adolf casou a segunda vez, a 08-05-1864, em Przedecz, Polônia, com Justine Büttner (ou Bittner/Buettner), chamada de mamuska ou babuska, nascida a 08-09-1836 em Liliopol, Przedecz e falecida entre 1912 e 1920 em Zyrárdow, filha de Karl Büttner e Henriette Textor.
Justine Büttner Pufal - babuska ou mamuska - em foto de 1912, Zyrardów, Polônia. Pelos trajes, vê-se que a família estava de luto, possivelmente em razão do falecimento do patriarca Karl Adolf Pufal ou do genro Adolf Gliese. Foto do acervo de Adolpho Gliese.
Do casamento de Adolf e Justine houve quatro filhos:
·         Jacob Pufal
·         Eduard Pufal
·         Martin Pufal
·         Rosalie Pufal
Os Pufal em Zyrárdow, Polônia em 1912, quando da visita do filho Jacob Pufal 
à mãe e aos irmãos. Fotografia do acervo de Adolph Gliese (Porto Alegre).
Legenda: [sentadas] Emilie Doppler Pufal; Justine Büttner Pufal e 

Aniela Dukaczewski Pufal; [em pé]: Jacob Pufal, Rosalie Pufal Gliese, 
Eduard Pufal e Martin Pufal
2.1 JAKOB PUFAHL (no Brasil: Jacob Pufal), nascido a 08 de março de 1867, Zychlin, Kutno, Polônia e falecido a 10 de outubro de 1941, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, sepultado no cemitério São José dos Alemães, em Porto Alegre, cujo túmulo infelizmente não mais existe.
Jacob Pufal em 1912 
em Zyrardów, Polônia.
Jacob, a esposa Anna Julianna e o cunhado emigraram no ano de 1890 para o Rio Grande do Sul, chegando na serra gaúcha, na cidade de Veranópolis em novembro do mesmo ano. 
A viagem da Europa para o Brasil foi feita no navio Frankfurt, saído do porto da Antuérpia, na Bélgica, e chegado a 25/10/1890 no Rio de Janeiro. Dois dias depois, a família foi encaminhada à hospedaria da Ilha das Flores, no Rio e, depois para o Rio Grande do Sul.
Neste mesmo navio emigrou Emilie Doppler com sua família, a qual veio a ser a segunda esposa de Jacob Pufal.
Viúvo em 1891, Jacob casou-se novamente com a sua conterrânea, Emília Doppler, também emigrada em 1890 para Veranópolis com a mãe, irmãos, cunhados e sobrinhos.
Após, em meados de 1894, a família mudou-se para Porto Alegre, possivelmente em busca de melhores oportunidades, local em que Jacob poderia exercer a sua profissão de construtor com melhores chances.
Jacob Pufal em 
Porto Alegre, 
+/- 1930/1935.
Nessa linha, escreveu Günter Weimer (Arquitetos e Contrutores no Rio Grande do Sul, Santa Maria: UFSM, 2004, p. 140) sobre Jacob Pufal "há poucas informações disponíveis a respeito deste construtor atuante em Porto Alegre a partir do fim da Primeira Guerra Mundial. Em 1919, estava estabelecido com uma firma construtora de nome Jacob Pufal & Filhos, na Av. Minas Gerais (que desapareceu com a abertura da Av. Farrapos), 12 ou 16. Em 1922, construiu a sede do ainda chamado `Football Club Porto Alegre` na época, na esquina da Rua José de Alencar com a Gonçalves Dias. Era o pai de Eduardo e João Luiz".
Certidão de nascimento de Jacob Pufal, em russo. A original encontra-se em sua habilitação de casamento, Veranópolis/|RS, 1892 (APRS). Tradução: documento expedido pela paróquia de Santo Augusto ou Augustine, Província de Varsóvia (divisão administrativa: Warsaw Gubernia). Certidão de nascimento de Pufal Yakob nasceu em Zhikhlin (Zychlin, em 05 ou 17/3 de 1868 - duas datas em razão dos calendários juliano e gregoriano), filho de Adolf e Yustina Bitner. Expedido em Lovich (?), 03/03/1889."









Jacob Pufal e Emilie
Doppler Pufal -
1912 em Zyrardów,
Polônia
Assim como seu pai, Jacob casou duas vezes, a primeira com Anna Julianna Fehler, nascida em 1871 em Zyrardów, Polônia, e falecida a 20 de novembro de 1891 em Alfredo Chaves, hoje Veranópolis, Rio Grande do Sul, Brasil, filha de Daniel Fehler e de Julianna Kuber[3], não emigrados para o Brasil. Desse casamento não houve descendentes. Provavelmente Anna Julianna tenha falecido no parto de seu filho, considerando a carta enviada aos pais na Polônia quando anunciada a gravidez, não obstante a história contada na família de que Jacob Pufal teria assassinado acidentalmente sua esposa, quando limpava uma arma de fogo.
Jacob casou em segundas núpcias, a 25 de janeiro de 1892 em Alfredo Chaves, hoje Veranópolis, com Emilie Doppler, nascida a 03 de novembro de 1866 na cidade de Lodz, Lodz, Polônia, e falecida a 03 de agosto de 1944 em Porto Alegre/RS, sepultada junto com o marido, filha de Heinrich Doppler e de Franziska Kwiatkowska.  
Convite de enterro de Jacob Pufal
Jornal o Correio do Povo, 1941.
pesquisado por Viviane W. Velloso
  
Emilie Doppler Pufal - Porto Alegre
em meados de 1930/1935.
Fotógrafo: João Luiz Pufal
Jacob e Emília após virem para Porto Alegre, também se estabeleceram no 4º Distrito, mais precisamente na Avenida Minas Gerais, que depois sofreu desapropriações para formar a atual Avenida Farrapos. A família residia entre a Avenida São Pedro e a Rua Moura Azevedo, ao lado do cunhado Julius Nitzke (casado que foi com Mariana ou Maria Doppler, irmã de Emília). 
Jacob e Emília tiveram cinco filhos:
·         João Luiz Pufal
·         Rosália Pufal
·         Adolfo Pufal
·         Eduardo Pufal
·         Ida Emma Pufal, que seguem:

Fotografia da bíblia de Emília Doppler
Pufal, em alemão, pertencente à
neta Thalita Jonas Tomazolli.
Fotografia da bíblia de Emília
Doppler Pufal, em alemão, com os
nomes de seus filhos e respectivas
datas de nascimento.
3.1. JOÃO LUÍS PUFAL, nascido a 08 de dezembro de 1892, em Alfredo Chaves, hoje Veranópolis, e falecido a 10 de agosto de 1957 em  Porto Alegre, sepultado no cemitério São José dos Alemães, cuja biografia pode ser lida em: http://pufal.blogspot.com/search/label/Jo%C3%A3o%20Luiz%20Pufal.
Julieta Corrêa
Pufal e João
Luiz Pufal -
Porto Alegre,
+/- 1930.
João Luiz Pufal em fotografia para sua carteira de
identidade, de 1924 (Gabinete de Identificação
e Estatística Criminal, reg. n.º 3.596). "Caracteres
Chromáticos": cutis: branca; barba: feita; Olhos aureola
da íris castanhos,  peripheria claros; cabellos:
castanhos médios; bigode: raspado. Com 1m64ctms."
João Luiz Pufal casou em primeiras núpcias, na Capela São José dos Alemães, a 16-07-1914, Porto Alegre, com Florentine Therese Jacks (Flora), de quem não conseguimos fotografia, apenas imagem do registro de seu casamento:
Registro de casamento de João Luiz Pufal e Florentina Jacks (Capela São José dos Alemães, Porto Alegre, livro 2, pág. 60 - AHCMPA) "Aos dezeseis de Julho de mil novecentos e quatorze na Capella provisoria de São José dos Allemães perante mim e em presença das testemunhas Pedro Castello e Antonio Nitzke depois de proclamados e confessados receberam-se em matrimonio João Luiz Pufal e D.ª Florentina Jacks; elle filho legitimo de Jacob Pufal e Emilie Doppler, e ela filha legitima de Gabriel F. H. Jacks e D. T. Luiza Waisshan; ambos moradores d´esta Capital. P. Aloisio Kades, Capellão-Cura da Capella de são José."
A ascendência de Florentina é:

I. Joachim Heinrich Jacks, *1796, Sulfed Oder Elmenshorst, Dinamarca (atual Elmshorn, Holstein-Schweig, Alemanha) e +30-06-1831, São Leopoldo, assassinado por um escravo. Casou com Katharina Grimms, *1790, Staulben, Hannover, Alemanha, filha de Heinrich Grimms. Joachim e Katharina chegaram em São Leopoldo/RS na primeira leva de colonos alemães em 25-07-1824, juntamente com dois filhos (Johann Heinrich e Johann Joachim Jacks), passageiros do Bergantim São Joaquim Protector, recebidos pelo presidente da província em 18.07.1824, e do veleiro transatlântico Anna Louise[4]. Foram pais de:

II. Johann Heinrich Jacks, *1818, Sulfed Oder Elmenshorst, Dinamarca (hoje Elmshorn, Holstein-Schweig, Alemanha) ou em Stubben, Hannover, Alemanha e +06-05-1874, São Leopoldo/RS, onde foi alfaiate e agricultor. Casou a 06-02-1843, São Leopoldo, com Anna Katharina Martini, *22-01-1818, Womradt, Hunsrück, Alemanha, e +17-06-1889, São Leopoldo/RS, filha de Johannes Martini[5] (*__-12-1794, Laufersweiler, Hunsrück, Alemanha e + São Leopoldo/RS, casado a 19-02-1818 em Womrath) e de Anna Katharina Vier (*02-03-1794, Dickenschied, Hunsrück, Alemanha e + em 1827 ao atravessar o Atlântico), n.p. Johannes Martini (*27-08-1761, Morscheid, Hunsrück, Alemanha, oo 16-11-1784, Laufersweiler; ferreiro de profissão; filho de Nikolaus Martini e Margaretha Ertz, casados em Morscheid em 06-02-1759) e de Anna Elisabeth Fostum (*14-08-1757, Laufersweiler, e +19-02-1822, Bundenbach, Alemanha; filha de Johann Peter Fostum e Maria Elisabeth, *Forstum), n.m. Johann Adam Vier (*05-03-1763, Dickenschied, oo 05-02-1789, Kirchberg, teria falecido na Polônia-Russa para onde migrou em 1810 com a mulher e um filho; Johann era filho de Johann Nicolaus Vier, *1728, Dickenschied, onde oo 03-05-1756 e +14-12-1788 e Anna Elisabeth Kuhn, *1721, Dickenschied e +30-10-1804) e de Catharina Elisabeth Heck (*22-01-1770, Dickenschied, filha de Johann Leonhard Heck, *18-10-1730, Dickenschied, onde oo 27-09-1756 e +30-11-1777 e de Maria Magdalena Wolff, *1743, Metzenhausen e +06-12-1797, Dickenschied). Johann Heinrich Jacks e Anna Catharina Martini foram pais de dez filhos, dentre eles:

III. Franz Gabriel Heinrich Jacks (Gabriel Jacks como era conhecido), *11-10-1857, São Leopoldo e +27-01-1926, Porto Alegre. Entre 1886-1889 Franz Gabriel Heinrich Jacks foi proprietário de um armazém de secos e molhados e açougue, além de ser fabricante de linguiça, com estabelecimento de pequeno ou médio porte no Caminho Novo, na atual Rua Voluntários da Pátria, em Porto Alegre[6]. Casou a 1º-05-1886, Porto Alegre, com Anna Therese Louise Weisshand, *23.06.1869, Berlin-Stadt Alemanha e +20-06-1941, Porto Alegre, filha de Friedrich Weisshand[7] (*cerca de 1820 em Reichenau/Moglin bei Reichenow ou Berlin e de Charlotte Hannemann (*1825, Berlin-Stadt, Alemanha e +07-08-1901, Porto Alegre). Gabriel Jacks e Anna Weisshand foram pais de três filhos[8], dentre eles:

IV. Florentine Therese Jacks (Flora Jacks Pufal), *04-04-1893, Porto Alegre, onde batizada (igreja luterana) a 01-05-1898, local onde também faleceu a 27-11-1923, em consequência do parto de sua última filha, Dorothy Pufal. Casou com João Luis Pufal.
João Luís Pufal casou em segundas núpcias no oratório particular da noiva (sic), sendo registrado o ato na Igreja São Geraldo, a 02 de setembro de 1924, em Porto Alegre, com Julieta Corrêa da Silva.



Julieta Corrêa Pufal - 1930.

Julieta Corrêa Pufal - Porto Alegre, 1925.


Julieta Corrêa da Silva (vó Julieta) nasceu no dia 1º de outubro de 1900 em São Leopoldo/RS, onde foi batizada a 18 de novembro do mesmo ano, e faleceu a 16 de agosto de 1988 em Porto Alegre/RS, tendo sido sepultada junto com o marido. Julieta era filha de Raymundo Corrêa Ferreira da Silva e Maria Paulina Mayer – tratados neste blog (v. http://pufal.blogspot.com/search/label/Raymundo%20Corr%C3%AAa%20da%20Silva), neta paterna de José Corrêa Ferreira da Silva e Carolina Henriette Koch, neta materna de Jacob Mayer e Katharina Kilpp.

Bodas de Prata de Julieta Corrêa Pufal e João Luiz Pufal
Porto Alegre, 1949.
A família de João Luiz Pufal residia na Avenida São Pedro, esquina com a Avenida Bahia, no 4º Distrito de Porto Alegre, em casas projetadas e construídas por João Luiz Pufal. João Luiz foi pai de oito filhos, sendo que três deles faleceram quando ainda eram crianças. 
Filhos do primeiro casamento de João Luiz Pufal: 
  • Jorge Marcelino Jacks Pufal
  • Júlio Clóvis Pufal
  • Edith Pufal
  • Dorothy Pufal
Filhos do segundo casamento de João Luiz Pufal:
  • Pedro Corrêa Pufal
  • Paulo Corrêa Pufal
  • Julieta Corrêa Pufal
  • Beatriz Corrêa Pufal, que seguem:
Jorge Marcelino Pufal
em meados de 1930.
4.1. Jorge Marcelino Jacks Pufal, nascido a 31 de março de 1916 em Porto Alegre, onde foi batizado a 07 de dezembro de 1919, na igreja de N. Sra. das Navegantes e falecido a 11 de julho de 1972 em São Paulo/SP. Casou a 27 de setembro de 1941 na igreja São Pedro em Porto Alegre, com Cecy Antunes Alves Freire, nascida a 03 de abril de 1919 em Vila Iguaçu/PR, e falecida a 04 de julho de 2002, Cuiabá/MS, filha de Edmundo Antunes Alves Freire (*1891; militar) e Doralina Machado Goulart (*1893). Jorge, Cecy e filhos saíram de Porto Alegre e foram para São Paulo, capital, posteriormente, para Cuiabá, no Mato Grosso. Pais de Juarez, Bolívar, Washington, Angélica Maria e Cristóvão Pufal, com descendência em Cuaiabá, MS; Natal/RN; São Paulo/SP.
Jorge Marcelino Pufal foi mecânico em Porto Alegre. Na década de 1960 mudou-se para São Paulo. Após, seus filhos e viúva foram residir em Cuiabá, no Mato Grosso.
Jorge Marcelino Pufal com os irmãos
Pedro e Paulo Pufal,
em meados de 1933/1935. 
4.2. Júlio Clóvis Pufal, nascido a 1º de julho de 1919 em Porto Alegre, onde foi batizado a 07 de dezembro de 1919, na igreja de N. Sra. das Navegantes, e falecido a 18 de dezembro de 1919 na Santa Casa de Porto Alegre de gastroenterite.
4.3. Edith Pufal, nascida a 17 de julho de 1920 em Porto Alegre, onde foi batizada a 17 de julho de 1921 e ali falecida a  28 de dezembro de 1921.
Bodas de Prata de João Luiz Pufal e Julieta Corrêa Pufal - Porto Alegre, 1949. Em pé: Jorge Marcelino Jacks Pufal, Julieta Corrêa Pufal, Pedro Corrêa Pufal, Helmuth Luis Schmidt Pufal (no colo), Odette Luiza Schmidt Pufal, Paulo Corrêa Pufal, Lori Blanck Pufal e Beatriz Corrêa Pufal. Sentados: João Luiz Pufal e Julieta Corrêa Pufal.
4.4. Dorothy Pufal, *19-11-1923, Porto Alegre, onde batizada a 18-02-1924, e +13-03-1924, meses depois de sua mãe.
Filhos do segundo casamento de João Luiz Pufal:

4.5. PEDRO CORRÊA PUFAL (gêmeo de Paulo), nascido a 10 de junho de 1925 em Porto Alegre, onde foi batizado a 05 de setembro de 1926, na igreja São Geraldo, e faleceu a 18 de janeiro de 1991, Cidreira/RS. Casou a 14 de dezembro de 1946 em Porto Alegre com Odette Luiza Schmidt, nascida a 26 de dezembro de 1928 em  Porto Alegre, onde faleceu a 10 de outubro de 2015, filha de Helmuth Schmidt Filho e Luiza Pierina Scorcioni (v. http://pufal.blogspot.com/search/label/Scorcioni). Pedro e Odette foram pais de dois filhos: Helmuth Luis (meu pai) e Pedro Armando Schmidt Pufal.
Pedro e Paulo Pufal.
Pedro Corrêa Pufal
(Porto Alegre, por volta 1943)
Pedro e Paulo Pufal, Porto Alegre, 1925.


Pedro e Paulo Pufal, Porto Alegre, 1926.
4.6. Paulo Corrêa Pufal (gêmeo de Pedro), nascido a 10 de junho de 1925 em Porto Alegre/RS, onde foi batizado a 05 de setembro de 1926, na igreja São Geraldo, e falecido a 05 de maio de 1994, sepultado no cemitério São João. Paulo foi comerciante de peças automotivas, com empresa estabelecida no 4º Distrito. 
Julieta Corrêa Pufal, João Luiz Pufal, Lori Blanck Pufal, Paulo Corrêa Pufal,
Maria Bertha H. Rapp Blanck e Ricardo R. E. Blanck. Porto Alegre, 1948.
Casou na mesma cidade a 20 de dezembro de 1948, com Lori Blanck, nascida a 30 de agosto de 1927 em  Porto Alegre, filha de Ricardo Rudolfo Edmundo Blanck (Edmundo Blanck) e de Maria Bertha Hedwig Rapp - cuja ascendência foi tratada neste blog (v. http://pufal.blogspot.com/search/label/Blanck). Pais de uma única filha: Graziela Blanck Pufal.
4.7. Julieta Corrêa Pufal (Julietinha), nascida a 09 de outubro de 1930 em Porto Alegre e batizada a 03 de maio de 1931 em Hamburgo Velho (hoje bairro de Novo Hamburgo) e falecida a 20 de dezembro de 2007 em Porto Alegre, sepultada no cemitério São João. 
Julieta Corrêa Pufal (Julietinha) e Walmir Giordani.
Porto Alegre, 1953.
Casou na mesma cidade a 12 de fevereiro de 1953 com Walmir Francisco Giordani, nascido a 23 de setembro de 1927 em Porto Alegre, onde faleceu a 04 de junho de 2000, cuja ascendência foi tratada neste blog (v.http://pufal.blogspot.com/search/label/Giordani). Em 1953 Julieta e Walmir eram bancários. Após, tornaram-se comerciantes, estabelecidos com uma livraria – Livraria Mundial –, na esquina da Avenida São Pedro com Avenida Bahia, no 4º Distrito de Porto Alegre. 
Pais de três filhos: 
- Paulo Roberto Pufal Giordani, comerciante;
- Josiane Rita Pufal Giordani, adovgada, e
- Marcelo Pufal Giordani, comerciante.
4.8. Beatriz Corrêa Pufal, *14-09-1936, Porto Alegre. Casou a 27-09-1958 em Porto Alegre com Nelson Catharino Machado (Machado), *25-11-1935, Porto Alegre, filho de Nelson Espíndola Machado e Rita Osório. O casal reside em São Gabriel, onde é comerciante e pais de dois filhos: Carlos e Álvaro Pufal Machado.
João Luiz Pufal, Jorge Marcelino Pufal, Arthur Corrêa da Silva,
Julieta Corrêa Pufal, Pedro e Paulo Corrêa Pufal e
Julieta Corrêa Pufal - São Leopoldo, +/- 1932.
3.2. Rosália Pufal, nascida a 16 de fevereiro de 1895 em Porto Alegre, onde foi batizada a  14 de abril do mesmo ano na na igreja N. Sra. da Conceição e falecida a 24 de abril de 1968 em Porto Alegre
Registro de batismo de Rosália Pufal (Igreja N. Sra. da Conceição, Porto Alegre, livro 3, pág. 99, AHCMPA) "Aos quatorze de Abril de mil oitocentos e noventa e cinco, nesta Matriz da Conceição, baptizei solemnemente a Rosalia, nascida nesta cidade a vinte sete de Fevereiro do corrente anno, filha legitima de Jacob Pufall e Emilia Pufall, polacos; avós paternos: Adolpho Pufall e Justina Pufall, maternos Doppler Jasinski e Francisca Jasinski. Padrinhos: Antonio Seminski e Maria Lachi. O Vigr.º Encommen.do P.e Chrispim Joaq.m de Campos Chagas."
Casou a 12-12-1914, na igreja de N. Sra. das Navegantes, Porto Alegre, com Ricardo Jonas, *01-08-1892, Porto Alegre, onde bat. 29-12-1892, na igreja de N. Sra. da Conceição, e +24-11-1982, Porto Alegre. A família residiu inicialmente na Avenida Minas Gerais, defronte aos pais, tios e irmãos. Após, para a abertura da Avenida Farrapos, os terrenos dos Pufal foram desapropriados, fazendo com que mudassem para a Avenida São Pedro.
Ricardo Jonas era filho de Emílio Guilherme Jonas (*1871, Alemanha[9] e +1905, Porto Alegre) e de Rita Amália Teixeira (*RS, +13-12-1919, Porto Alegre), neto paterno de Richard Jonas (*cerca de 1842/1845, Alemanha e +24-09-1928, Porto Alegre) e Maria Wilhelmine (*1847, Alemanha), neto materno de Antônio Ferreira Teixeira (*cerca de 1835 ..., RS e já + em 1918) e de Luísa Teixeira Torres (*1837, RS e +21-11-1918, Porto Alegre). Ricardo foi comerciante em Porto Alegre. 
Rosália e Ricardo foram pais de:
Registro de casamento de Rosália Pufal e Ricardo Jonas (Igreja N. Sra. dos Navegantes, livro 2, p. 38v, AHCMPA): "No dia doze de Dezembro de mil novecentos e quatorze na matriz de N. S. dos Navegantes perante mim e das testemunhas Sabino Teixeira e Alexandre Nitzke, depois de terem  realizado os tres pregões do estylo receberam-se em matrimonio Ricardo Jonas com d. Rosalia Bufal; elle é filho legitimo de Guilherme Jonas e Amalia Jonas; ella é filha legítima de Jacob Bufal e Emilia Bufal. Ambos são naturaes deste estado e moradores deste curato. Para constar  fiz este termo que assignei. P. Felippe Diehl."


Thalita Jonas, Paulo Pufal, Ricardo
Jonas, Pedro Pufal e Ironita Jonas
(na fila da frente, da esquerda para
direita). Yolanda Jonas, Julieta Pufal,
Emília Doppler Pufal, Suely Jonas,
Rosália Pufal Jonas e Tatiana Jonas
(na fila de trás). Porto Alegre,
fotografia de 1928/1929.
4.1. Yolanda Jonas, *05-11-1915, Porto Alegre. Casou a 21-09-1937, Porto Alegre com Urano Napoleão Borne, *11-10-1911, Porto Alegre, filho de Henry François Borne (= Henrique Francisco Borne), *cerca 1874, França, e Bertha Kramm, *1880, Rússia e +08-03-1935, Porto Alegre, n.p. François Borne (*cerca 1850, França) e Maria Philomena (+na França), n.m. Reinald Kramm e Julianna, naturais da Rússia. Yolanda e marido foram proprietários das Lojas Colombinas em Porto Alegre. Pais de cinco filhos: Henrique Roni Borne; Euterpe Magali Borne; Eneida Laura Borne; Ubirajara Perci Borne e Sílvia Yolanda Borne.
4.2. Tatiana Jonas, *05-10-1916, Porto Alegre, onde casou com Ramiro Stringhini Filho, *13-04-1911, Porto Alegre, onde faleceu, filho de Ramiro Stringhini (*1889, RS, +20-04-1929, Porto Alegre) e de Emília Roeder ou Rödel (*Porto Alegre), n.p. Giácomo (Jacobo) Stringhini e de Palmira Magnini, ambos da Itália, n.m. Roberto Rödel e de Anna Maria. Pais de três filhos: José, Maria Jonas e Jessi James Stringhini.
4.3. Suely Jonas, *31-03-1919, Porto Alegre. Casou com Antônio Rubem Martins, *23-11-1914, Lajeado/RS, filho de Albino Luiz Martin e de Maria Olívia Nochang. Pais de quatro filhos: Rose Marie Martins; Marco Antônio Martins; Jaime Bayard Martins e Ana Maria Martins.
4.4. Talitha Jonas, *11-06-1921, Porto Alegre, onde faleceu em 2010. Ali casou a 28-09-1946, com Rubens Mairesse Tomazzoli, *20-08-1920, Ijuí, e +2004, Porto Alegre, filho de Teodoro Tomazzoli e de Elvira Mairesse. Pais de uma única filh: Marília Tomazzoli.
4.5. Ironita Jonas, *1924, Porto Alegre, onde faleceu. Casou (I) a 22-05-1943, Porto Alegre, com Dario da Silva de Oliveira, filho de Zeferino Soares de Oliveira e de Irene da Silva. Casou (II) com Emílio Antônio Schiavon. Pais de duas filhas: Nina Rosa Oliveira e Maria Thereza Schiavon.
4.6. Ricardo Danton Jonas, *16-12-1927, Porto Alegre, onde casou a 07-01-1950 com Hilda Mignoni, *10-10-1928, Porto Alegre, filha de Guilherme Mignoni e Gregória. Pais de três filhos: Celeste Jonas; Dulcemar Jonas e Máximo Ricardo Jonas (Max Jones).
3.3. Adolfo Pufal, nascido a 07 de fevereiro de 1897 em Porto Alegre, onde foi batizado a 18 de abril de 1897 na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, e faleceu a 18 de julho de 1967, Porto Alegre, sepultado no cemitério São João. 
Registro de batismo de Adolfo Pufal (Igreja N. Sra. da Conceição, Porto Alegre, livro 5, pág. 37v, AHCMPA) "Aos dezoito de Abril de mil oitocentos e noventa e sete, nesta Matriz da Conceição, baptizei solemnemente a Adolpho, nascido a sete de Fevereiro do corrente anno, filho legitimo de Jacob Püfal e Emília Püfal, allemães; avós paternos Adolpho Püfal e Justina Püfal, maternos Henrique Dopler e Francisca Dopler. Padrinhos: Bento da Rocha Fernandes e Marianna Niska."
Adolpho e Alayde Pufal (atrás); (amigo), Ayrton Edu Pufal, Edith Pufal, Agenor Pufal, José Antônio Carlos e Lucila Pufal. [fotografia cedida por D. Maria Júlia Rolim Pufal]
Adolpho foi construtor, "(...) intitulava-se desenhista e arquiteto, e suas atividades profissionais datam do fim da década de 1920", conforme Günter Weimer in Arquitetos e Contrutores no Rio Grande do Sul, Santa Maria: UFSM, 2004, p. 139).
Registro de batismo de Alayde Rolim (Igreja N. Sra. do Rosário, livro 28, pág. 194, AHCMA) "Aos dezesete de Setembro, de miloitocentos e noventa e seis, nesta Matriz, baptisei solennemente a Alayde, nascida a vinte e nove de Abril do anno corrente, filha de Ernesto da Silva Rolim e Maria da Glória da Silva Rolim; avós paternos: Maximiano da Silva Rolim e Maria Afra da Silva Silva Rolim; maternos: Antônio Alves Rolim e Mauricia Ignacia Rolim. Foram padrinhos: os avós maternos. E para constar, mandei fazer este termo que assigno. O. Castobile Hyppolyto."
Casou em Porto Alegre por volta de 1919 com Alayde Rolim, nascida a 29 de abril de 1896 em Porto Alegre, onde foi batizada a 17 de setembro de 1896 na igreja N. Sra. do Rosário e falecida a 23 de dezembro de 1963 em Porto Alegre.
Alayde era filha do Dr. Ernesto da Silva Rolim, médico-homeopata, e Maria da Glória Alves Rolim, ambos de Porto Alegre. Neta paterna de Maximiano José da Silva Rolim e de Maria  Afra Meireles e, neta materna, de Antônio Alves Pereira Rolim e Maurícia Inácia da Silveira [Maximiano José da Silva Rolim e Antônio Alves Pereira Rolim eram primos-irmãos, netos de Raulino Pereira da Silva e Clara Antônia da Silva. Adolfo e Alayde foram pais de cinco filhos:
Eduardo Pufal, Alayde Rolim
Pufal, Edith Pufal, José
Antônio Carlos Pufal
e Lucila Terezinha Pufal, em
meados de 1935/1936.
Fotografia restaurada
por Milena Campos.
4.1. Agenor Pufal (Genô), *20-10-1920, Porto Alegre. Solteiro, sem descendência.
4.2. Ayrton Edu Pufal, *07-09-1922, Porto Alegre, onde batizado (igreja de N. Sra. das Navegantes) a 01-01-1923, e +19-01-1999, Gravataí. Ao casar, declarou ser motorista. Casou (I) a 29-12-1943, Porto Alegre (Igreja S. João Batista) com Maria Francisco, *1925, Porto Alegre, onde faleceu, filha de Miguel Francisco e de Hortência. Ayrton Edu casou (II) a 15-03-1952 (Igreja São João Batista) com sua prima segunda Maria Júlia Rolim, *25-07-1920, Porto Alegre, filha de Franklin Alves Rolim e Clarinda de Ávila de Oliveira.
Não houve descendência do primeiro matrimônio, apenas do segundo, com três filhos: Jorge Caiçara Rolim Pufal, Élbio Luís Rolim Pufal e Iara Maria Rolim Pufal.
4.3. Edith Pufal (Êdy) *10-04-1926, Porto Alegre, onde fal. 15-08-1946.
José Antônio Carlos 
Pufal e Lucila Pufal, 1932.
4.4. José Antônio Carlos Pufal (gêmeo com Lucila), *01-11-1932, Porto Alegre, onde faleceu a 24-02-1987. Casou a 13-09-1952 (Igj. São João) com Glair Castorina de Lima, *19-04-1935, Porto Alegre, filha de Marcílio Lima e de Justina. Glair reside em Cachoeirinha. Pais de: Airton Jorge Luiz Pufal, César Heleno Pufal e Tómas Edison Pufal.
4.5. Lucila Terezinha Pufal (Cila), gêmea com José Antônio, *1º-11-1932, Porto Alegre, e +20-04-2002, Gravataí. Casou com Anaurelino do Bonfim Ferreira. Pais de um filho: Nelson Pufal Ferreira.
3.4. Eduardo Pufal, *24-07-1899, Porto Alegre, onde bat. 05-11-1899, na igreja de N. Sra. dos Navegantes, onde +31-03-1964 (sepultado no Cemitério da Santa Casa). 
Registro de batismo de Eduardo Pufal  (Igreja N. Sra. dos Navegantes, Porto Alegre, livro 1, pág. 29, AHCMPA). "Aos 5 de Novembro de 1899, nesta Capella de N.ª S.ª dos Navegantes, baptizei solemnemente a Eduardo, nasc. a 24 de Julho de 1899, filho legítimo de Jacob Pufal e de Emilia Pufal. P.P. Julio Nicky (sic) e Paula Müller. (Desta Avenida Minas Geraes)."
Eduardo era construtor, assim como seu pai e irmãos. A seu respeito escreveu Günter Weimer (Arquitetos e Construtores no Rio Grande do Sul, Santa Maria: UFSM, 2004, p. 139): "Eduardo Pufal: Nasceu em Porto Alegre, em 24.7.1899, como filho do construtor Jacob Pufal. Intitulava-se projetista-construtor e era sócio de seu irmão, João Luiz Pufal, para o qual projetou sete prédios, dentre os quais o Cine-Teatro Orfeu, em 1922, quando ambos ainda trabalhavam como o pai. Seu registro no CREA (n. 666) foi cancelado em 1948, por ter sido cassada sua carteira "por ato desabonador". A partir de então, todas as obras da empresa passaram a correr sob a responsabilidade do irmão que era o construtor enquanto Eduardo elaborava os projetos".  Antes disso, Eduardo era proprietário da empresa Mendelski & Pufal em Porto Alegre, com seu sogro ou cunhados. Em 1934, o italiano Miguel Constanza notificou (processo n. 87, 1 cartório cível de Porto Alegre, APRS) Eduardo Pufal, como então sócio concordatário da massa falida da referida empresa. 
Eduardo casou a 03-06-1922, Porto Alegre (igreja de N. Sra. dos Navegantes), Porto Alegre, com Domenica Francisca Mendelski, *03-04-1903, Porto Alegre, onde batizada a  03-04-1904 e falecida em 1993 em Viamão/RS.
Registro de batismo de Domenica Francisca Mendelski (Igreja N. Sra. dos Navegantes, livro 2, página 82v, AHCMA) "Aos tres de Abril de mil nove centos e quatro, nesta Capella de Nossa Senhora dos Navegantes, baptizei solennemente a Domenica Francisca, nascida há um anno e oito mezes, filha de Miguel Mendelski e de Anna Mendelska. Avós paternos Alexandre Mendelski e Maria Mendelska. Avós maternos: Miguel Dolinski e Maria Dolinska. Foram Padrinhos: Miguel Chmielewski e Anna Mendelska. (Desta Avenida Ernesto Fontoura) Padre José Martinho Moreau. Cura."
Domenica era filha de Miguel Mendelski e Alexandra Anna Dulinska, ambos naturais da Polônia e casados em 24/06/1899 em Porto Alegre (Igreja N. Sra. dos Navegantes), e neta paterna de Alexander Mendelski e Anna Marianna, ambos da Polônia, e neta materna de Miguel Dulinski e Maria, também poloneses. Eduardo e Domenica foram pais de:


à esquerda, Lettia Eunice Mendelski Pufal, Eduardo Pufal,
Domenica Mendelski Pufal, Flávio Tarquínio Pufal e ...
4.1. Flávio Tarquinio Pufal, *22/04/1923 em Porto Alegre, onde falecido a 23/12/1988. Casou a 18/12/1948 em Porto Alegre, com sua prima irmã, Lettía Eunice Mendelski, *23/02/1930 em Porto Alegre, onde faleceu a 25/06/1989, filha de Eugênio Mendelski e de Lydia Sartori, naturais de Porto Alegre, neta paterna de Miguel Mendelski e de Ana Dolinska (acima citados) e materna de Pedro Sartori e Maria Castelan. Pais de dois filhos: Gerson Antônio e Roger Mauro Pufal.
4.2. Tasso Olimpio Pufal, *03/06/1926 em Porto Alegre, onde faleceu em 1989. Solteiro, sem descendência.
4.3. Homero Pufal, *11/02/1933 em Porto Alegre, onde faleceu em 04/05/1999. Casou (divorciados) com Selma da Rocha, filha de Íris Guterres Rocha e de Otiliana. Casou em segundas núpcias, com quem não deixou descendência, Milta Pacheco de Oliveira. Houve do primeiro casamento o filho: Ricardo Augusto Pufal.
3.5 Ida Emma Pufal, *12/10/1902, Porto Alegre, onde faleceu com dois anos quatro meses, a 01/02/1905.
Assinaturas de Emília Doppler e filhos no inventário de Jacob Pufal. Porto Alegre, 1941.
2.2. Eduard Pufal, *1875 possivelmente em Zyrardów, Polônia e falecido em Porto Alegre, por volta de 1940 (asilo Padre Cacique). Faleceu solteiro, sem descendência. Segundo Adolpho Gliese, Eduard Pufal era do partido comunista russo e veio ao Brasil, passando também por outros países da América do Sul para propagar as ideias. Seria ateu, mas faleceu no Asilo Padre Cacique em Porto Alegre, pedindo à Deus.  

Emília Doppler Pufal, Jacob
Pufal e Eduard Pufal
Porto Alegre, meados de 1935/1937.

Eduard Pufal, em 1912,
Zyrardów.
Eduard Pufal, em fotografia
da década de 1900/1910,
Zyrardów, Polônia.
2.3. Martin Pufal [Marcin Pufal], *1876, possivelmente em Zyrardów, Polônia, onde faleceu em 1935. Ali casou com Aniela Dukaczewski, ali nascida em 1877 e falecida em 1951 na Alemanha, provável filha de Martin Dukaczewski. O casal permaneceu em Zyrardów com a mãe Justine Büttner. Após a morte de Martin - Marcin Pufal, em polonês - , Aniela mudou-se com os filhos para a Alemanha. 


Aniela D. Pufal e Martin Pufal  - Zyrardów, 1912.

Martin Pufal, em fotografia da década de 1900/1910 - Zyrardów. 
Martin e Aniela tiveram oito filhos: Jan Pufal (Jochen), emigrado para Toronto no Canadá; Carl (Karol) Pufal, falecido na Alemanha na década de 1940; Rudolf Pufal, emigrado para os Estados Unidos, onde faleceu em 1960; Boleslaw Pufal, falecido em 1943 na Polônia; Martin Pufal, falecido em 1950 na Polônia; Marianna (Mary) Pufal, falecida na Polônia, Leokadia Pufal (Lola), falecida em Torono, Canadá em agosto de 2000, e Josefa Pufal, falecida em 1947 na Alemanha, onde casou com Karl König.


Fotografia da década de 1930 (posterior a 1935) em Zyrardów.
Sentados: Karol Pufal (Carl Pufal), Aniela D. Pufal e Jan Pufal;
Em pé: Rudolf, Leokadia, Boleslaw, Mary, Martin e Josefa Pufal.
Do acervo de Kazimir Martin Pufal (Toronto) e Adolpho Gliese (Porto Alegre)
 2.4. Rosalie Pufal, *29/04/1879 possivelmente em Zyrardów, Polônia e falecida a 30 de setembro de 1944 em Porto Alegre. Casou na Polônia com Adolf Gliese (falecido na Polônia entre 1910 e 1912). Rosalie está sepultada no cemitério Luterano Americano, em Porto Alegre, para onde emigrou com dois filhos em 1929. Pais de:
Rosalie Pufal Gliese
em Hameln,
Alemanha, 1924.
Casamento de Martha Gliese e Hermann Scheffler na cidade de Hameln,
Alemanha em 1924. Na primeira filha, da esquerda para direita, vê-se
Rosalie Pufal Gliese (4ª). Na terceira fila (o primeiro da direita para esquerda)
vê-se Adolf Gliese. Já na última fila (o segundo da esquerda para a direita),
vê-se Reinhold Gliese. Fotografia do acerco de Adolpho Gliese. 
Rosalie e Adolf foram pais de três filhos, que seguem:
Rosalie Pufal Gliese,
Zyrardów, 1912, já viúva.
3.1. Martha Gliese, *08/10/1901, Zyrardów, Polônia e falecida a 28/06/1933 em Hameln, Alemanha, onde casou em 30/10/1924 com Hermann Scheffler, *19/08/1898, Hameln e onde +23/05/1982. Pais de dois filhos: Gunther Scheffler e Helga Scheffler (casada com Alfred Drommershausen).
3.2. Reinhold Gliese, *09/03/1905, Zyrardów, Polônia e falecido em Porto Alegre. Casou com Anna Dropp, *1910, Polônia e falecida em Porto Alegre. Pais de três filhos: Rudolfo, Erwin e Erica Gliese.
3.3. Adolf Gliese, *17/02/1907, Zyrardów, Polônia e falecido a 03/11/1981, Porto alegre. Casou com Gertrud Fliegner, *21/06/1908, Zyrardów, Polônia e fal. 10/10/2004, Porto Alegre, filha de August Ernest Fliegner e Paula Henriette Mohring. Pais de dois filhos: Adolpho Ernesto Gliese [quem muitas informações e fotos emprestou para a presente pesquisa] e Gisela Gliese.
***


IV) ÁRVORE ESQUEMATIZADA (4 gerações)


1. KARL ADOLF PUFAHL
oo1 Juliane Weber
oo2 Justine Büttner, pais de:
2.1 JACOB PUFAL
oo1 Anna Julianna Fehler
oo2 Emilie Doppler, pais de:
3.1 João Luiz Pufal    
oo1 Florentina Therese Jacks
oo2 Julieta Corrêa da Silva, pais de:
4.1. Jorge Marcelino Jacks Pufal
4.2. Júlio Clóvis Jacks Pufal (+ na infância)
4.3. Edith Jacks Pufal (+ na infância)
4.4. Doroth Jacks Pufal (+ na infância)
4.5. Pedro Corrêa Pufal
4.6. Paulo Corrêa Pufal
4.7. Julieta Corrêa Pufal
4.8. Beatriz Corrêa Pufal                   
3.2. Rosália Pufal oo Ricardo Jonas, pais de:
4.1. Yolanda Jonas
4.2. Tatiana Jonas
4.3. Suely Jonas
4.4. Talitha Jonas
4.5. Ironita Jonas
4.6. Ricardo Danton Jonas
3.3. Adolfo Pufal oo Alayde Rolim, pais de:
4.1. Agenor Pufal
4.2. Ayrton Edu Pufal
4.3. Edith Pufal
4.4. José Antônio Carlos Pufal
4.5. Lucila Terezinha Pufal
3.4. Eduardo Pufal oo Domenica Francisca Mendelski, pais de:
4.1. Flávio Tarquínio Pufal
4.2. Tasso Olympio Pufal
4.3. Homero Vinício Pufal
3.5. Ida Emma Pufal (+ na infância)
2.2 Eduard Pufal (+ solteiro)
2.3. Martin Pufal oo Aniela Dukaczewski, pais de:
3.1. Jan Pufal 
3.2. Karol Pufal
3.3. Rudolf Pufal
3.4. Boleslaw Pufal
3.5. Martin Pufal
3.6. Mary Pufal
3.7. Leokadia Pufal
3.8. Josefa Pufal
2.4. Rosalie Pufal oo Adolf Gliese, pais de:
3.1. Martha Gliese oo Hermann Scheffler, pais de:
4.1. Günther Scheffler
4.2. Helga Scheffler
3.2 Reinhold Gliese oo Anna Dropp, pais de:
4.1. Rudolfo Gliese
4.2. Erwin Gliese
4.3. Erica Gliese
3.3. Adolf Gliese oo Gertrud Fliegner, pais de:
4.1 Adolpho Ernesto Gliese
4.2. Gisela Gliese

***
BIBLIOGRAFIA
- Arquivos pessoais e entrevistas com: GLIESE, Adolpho; GIORDANI, Julieta Pufal; MACHADO, Beatriz Pufal; PUFAL, Ayrton Edu; PUFAL, Odette Luiza Schmidt; GLIESE, Gertrud Fliegner; PUFAL, Kazimir Martin (Toronto, Canadá); MARTINS, Sueli Jonas; TOMAZOLLI, Thalita Jonas; NIEWINSKI Filho, Estácio; PUFAL, Gerson Antônio; ROSA, Gilson Justino da.
- AHCMPA (Arquivo Histórico da Cúria Metropolitana de Porto Alegre): livros de batizados, casamentos e óbitos de Porto Alegre/RS.
- AHRS (Arquivo Histórico do Estado do Rio Grande do Sul): Códices de chegada de imigrantes;
- APRS (Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul): talões do registro civil dos cartórios de Porto Alegre; inventários; testamentos e habilitações de casamento.
- CHC (Centro Histórico Cultural da Santa Casa de Porto Alegre): livros de sepultamento e internações.
- GANS, Magda Rosvita. Presença teuta em Porto Alegre no século XIX - 1850-1889. Porto Alegre: UFRGS,
- GOTTSCHALD, Max. in Deutsche Namenkunde
- HUNSCHE, Carlos H. O Biênio 1824/1825 da Imigração e Colonização Alemã no RS. Porto Alegre: A Nação, 1975.
- IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS (Igreja Mórmon): https://www.familysearch.org/
- Livros da Comunidade Evangélica de Porto Alegre e São Leopoldo.
- ROSA, Gilson Justino da. Imigrantes Alemães 1824-1853. Porto Alegre: EST, 2005.
- TEXTOR, Jan. http://textor.dk/homepage/
- WEIMER, Günther. Arquitetos e Contrutores no Rio Grande do Sul. Santa Maria: UFSM, 2004.


AGRADECIMENTOS: Jan Textor (Dinamarca); Kazimir Martin Pufal (Toronto); Adolpho Gliese; Gilberto Filinkoski; Gilberto Magroski; Leonardo Leoni Janczak e Vanessa Gomes de Campos.



[1] Max Gottschald, in Deutsche Namenkunde, às fls. 474/475
[2] Essas variantes do sobrenome em polonês me foram alcançadas pelo parente e pesquisador Jan Textor, radicado em Copenhagem, Dinamarca.
[3] Daniel Fehler ou Feller e a esposa Julianna Kuber não vieram para o Brasil, apenas os filhos seguintes: a) Emilie Feller, *03-04-1859, Lodz, Polônia, viúva de Schwidnizka, casou a 21-10-1891, Porto Alegre (igreja luterana) com August Conrad, *11-12-1857, filho de Johann Conrad e Emilie Schwartz;
b) Johann Fehler ou Feller, *1872, Lodz ou Zyrárdow – veio para o Brasil com a irmã Anna Julianna e o cunhado Jacob Pufahl; em 1890 contava 18 anos de idade, analfabeto, católico, russo, solteiro, estabelecido em Veranópolis, na Linha General Osório, sem mais notícias.
[4] Hunsche, Carlos H. O Biênio 1824/1825 da Imigração e Colonização Alemã no RS, p. 239.
[5] Chegado em São Leopoldo a 16.12.1827, viúvo, com três filhos. Provavelmente viajou no veleiro holandês Epaminondas, que partiu de Amsterdã em 7.7.1827 e chegou no RJ em 28.9.1827. Foi transportado ao Sul pelo bergantim Conceição Imperador. Aviso de 24.10.1827.
[6] GANS, Magda Rosvita. Presença teuta em Porto Alegre no século XIX - 1850-1889. Porto Alegre: UFRGS, p. 55.
[7] Eis o que consegui apurar da FAMÍLIA WEISSHAND:
1. FRIEDRICH WEISSHAND, *cerca de 1820 em Moglin bei Reichenow (sic) ou Reichenau ou Berlin, Alemanha. Lá casou com Charlotte Hannemann, *1825, Alemanha e +07-08-1901, na Santa Casa de Porto Alegre, tendo sido sepultada no cemitério da Instituição. O casal e filhos emigraram para o Brasil em meados de 1880/1882, estabelecendo-se em Porto Alegre/RS; de religião luterana. Pais de, no mínimo, quatro filhos:
2.1. Friedrich Wilhelm Erdmann Weisshand, *28-05-1859, Reichnow, Alemanha. Foi ferreiro em Porto Alegre, onde casou a 21-02-1885, com Maria Auguste Philippine Collin, *27-11-1868, filha de Andreas Collin e Amalie Inez Espig.
2.2. Anna Auguste Therese Weisshand, *03-12-1862, Moglin bei Reichenow, Alemanha e +09-06-1921, Porto Alegre, onde casou a 17-06-1882, com Carl Werkäuser, *19-03-1858, Idar, Birkenfeld, Alemanha, alfaiate em Porto Alegre, filho de Philipp Werkäuser. Pais de:
3.1. Oscar Werkäuser, *08-01-1898, Porto Alegre, onde casou a 13-01-1923, com Dida  Bordone, *04-06-1898, Porto Alegre, filha de Alberto Bordone e Alexandrina Traub.
2.3. Johann Friedrich Wilhelm Weisshand (Frederico Weisshand), *11-03-1864, Reichenau, Alemanha. Em 1906 era proprietário de uma “ferraria” em Porto Alegre, na Av. Cristóvão Colombo, n. 109. Casou a 24-12-1886, Porto Alegre, com Carolina Catharina Saar, *12-12-1868, Porto Alegre, filha de Carl Saar (*1842, Hambuch, Alemanha) e de Caroline Dorothea Jacks, acima citados. Pais de:
3.1. Guilherme Carlos Weishand, *15-12-1889, Porto Alegre. Impressor. Casou a 24-04-1909, São Leopoldo, com Maria Guilhermina Sepp, *13-12-1897, Argentina, filha de Johann Sepp (ou Hepp) e Wilhelmine. Pais de: 
         4.1. Siloca Clara Weisshand, *21-01-1910, S. Leopoldo, onde casou a 26-04-1930 com Luiz Crussius Neto, *24-12-1903, filho de Luiz Crussius Filho e Palmira. 
            4.2. Íria Maria Weisshand, *07-04-1918, São Leopoldo.
3.2. Elvira Luiza Weisshand, *cerca de 1896, Porto Alegre, onde casou a 24-10-1914 com Antônio Baptista da Silva, *1886, Pelotas, filho de José Baptista da Silva e Amélia.
3.3. Olinda Weisshand, *28-04-1899, Porto Alegre.
3.4. Oscar Olof Weisshand, *13-07-1900, Porto Alegre, onde casou com Alice Rosenhaim, *25-01-1907, Porto Alegre, onde +31-01-1993, filha de Manuel Rosenhaim e Maria Amélia. Pais de: 
            4.1. Gelcy Weisshand, *11-12-1927, Porto Alegre.
            4.2. Jeanette Theresinha Weisshand, *05-11-1929, Porto Alegre.
3.5. Amalie Adolfine Weisshand, *08-12-1903, Porto Alegre.
2.4. Anna Therese Louise Weisshand, *23-06-1869, Berlin Stadt, Alemanha e +20-06-1941, Porto Alegre, onde casou a 01-05-1886 com Franz Gabriel Heinrich Jacks, acima citados.
[8] Eis os filhos de Gabriel Jacks e Anna T. L. Weisshand: 
         1) Arthur Wilhelm Jacks, *18-04-1887, Porto Alegre, onde em 1941 já era falecido, sem descendentes, visto não ter sido mencionado como herdeiro no inventário materno, nem descendente seu.
         2) Amanda Maria Jacks, *1889, Porto Alegre, onde casou com Eduardo da Costa Brandão, *Campo Novo, Cruz Alta/RS, filho de Manuel da Costa Brandão e Joaquina Ferreira de Souza. Pais de: Edmundo Jacks Brandão, Leontina Jacks Brandão, Nadir Jacks Brandão, Orvalina Jacks Brandão, Eduardo Jacks Brandão, Paulo Jacks Brandão e Pedro Jacks Brandão.
          3) Florentina Therese Jacks, acima citada, casada com João Luiz Pufal.
       4) Luciano Pedro Jacks, *08-02-1898, Porto Alegre, onde c/c Luiza Odette, pais de: Jeremias Gabriel Jacks, *19-03-1930, Porto Alegre, onde c/c Olívia Zílio, sendo pais de: Ulisses Zílio Jacks, *10-10-1956, Porto Alegre e Alexandre Jacks, *19-02-1969, Porto Alegre.
[9] Segundo o neto Maximiliano Jonas, Emílio Guilherme Jonas seria inglês (Willian Emil Jonas), natural de Londres, cuja naturalidade ocultava.

5 comentários:

FGomes disse...

Diego, excelente trabalho sobre os PUFAL . Parabéns .
Flávio Gomes , advogado, semi-genealogista em horas vagas, e colega do RS-GEN .

Anônimo disse...

Diego, legal seu trabalho, parabens. Sou Silvia Borne, filha de Yolanda, neta de Rosalia Pufal.Gostei muito de ler sobre os Pufals e lembrei de muitas historias que minha mae contava sobre seus avos e tios. Abraco, Silvia

Viviane disse...

Especial, Amigo. Parabéns!
Viviane

Anônimo disse...

Parabéns pela criatividade e capricho de guardar as fotos tão antiga.

Eliani disse...

Parabéns,seu trabalho ficou ótimo, bem documentado e ilustrado com as fotos.