quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Os meus antepassados: uma miscelânea de origens!

Os meus antepassados: uma miscelânea de origens!
Autoria: Diego de Leão Pufal

***
[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: PUFAL, Diego de Leão. Os meus antepassados: uma miscelânea de origens!, in blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/]

***

Ao pesquisarmos os antepassados de qualquer pessoa, surpreendermo-nos com o número de famílias que compõe a ascendência de cada um. Partindo de nossos avós paternos e maternos, temos quatro famílias distintas, número que aumenta progressivamente a cada geração. Assim, na geração dos bisavós, por exemplo, temos oito famílias, na dos trisavós, 16, na dos tetravós, 32, enquanto que na geração dos nossos nono avós, chegamos ao número de 1.024 pessoas/famílias.

Considerando que a cada geração o número de avós dobra, em 20 gerações temos o impressionante número de 2.097.152 pessoas/famílias de quem descendemos. Como consequência, em determinada geração, o número de avós supera a população mundial estimada para a época, tornando inevitável, portanto, a existência de casamentos consanguíneos e o parentesco entre muitos, para não dizer com todos.

Contudo, a pesquisa genealógica nem sempre permite descobrirmos o nome de todos os nossos avós, pelos mais variados motivos: ausência de registros, registros incompletos, filhos naturais/ilegítimos, etc.

No meu caso, elaborei a tabela abaixo incluindo até a 10ª geração e atingindo meados dos anos de 1670/1680:

Geração
Pesq.
BRASIL
PT
POL
Itália
AL
FR
ESP
AR
RS
SC
SP
PR
MG
RJ
2ª) Pais
2
2
2
3ª) avós
4
4
4
4ª) bisavós
8
8
8
5ª) trisavós
16
16
13
2
1
6ª) tetravós
32
29
21
1
4
4
2
7ª) pentavós
64
62
22
2
1

1
3
2
8
8
2
1
8ª) hexavós
128
108
27
5
1
4

2
10
8
13
12
2
3
9ª) Heptávos
256
146
19
5
10
15
1
2
14
31
5
2
35
6
1
10ª) Octávos
512
242
6
8
28
15
2
38
89

1
43
9
2
1

Abreviaturas por ordem do gráfico:

- Nº = representando o número de antepassados em cada geração;
- Pesq. = o número de antepassados conhecidos até então. Por exemplo, na 8ª geração, dos 128 avós, já descobri 108 deles.
- BRASIL e abaixo os respectivos Estados = diz com a origem de cada avô. Por exemplo, sei que dos meus 62 pentavós conhecidos, 22 eram do Rio Grande do Sul (RS), 2 de Santa Catarina (SC) e 1 do Paraná (PR).
- PT = diz com os avós nascidos em Portugal (continental).
- AÇ = diz com os avós nascidos no Arquipélago dos Açores, em Portugal;
- POL = refere-se aos avós nascidos na Polônia, à época território russo, prussiano e austríaco.  
- AL = refere-se aos avós nascidos nos reinos que formaram a Alemanha atual;
- FR = refere-se aos avós nascidos na França;
- ESP = refere-se aos avós nascidos na Espanha e
- AR = refere-se aos avós nascidos na Argentina.


Analisando os dados, retiro uma série de conclusões que encontram respaldo na formação de territórios, na história das imigrações e migrações e tantas outras. Eis algumas delas:

- os meus oito bisavós nasceram no Rio Grande do Sul, compreendendo as décadas de 1880/1900.

- dos meus 16 trisavós, 13 eram gaúchos, enquanto 2 poloneses e 1 italiano. Nesta geração é que as imigrações italianas e polonesas estavam em alta no Rio Grande do Sul.

- a geração seguinte (6ª) dos 29 tetravós que descobri, 21 eram gaúchos, 1 açoriano, 4 poloneses, 4 italianos e 2 alemães. Novamente vemos aqui abrangidas a imigração italiana e alemã, com aumento nas gerações posteriores.

- na 7ª geração consta um avô natural da França, mas ainda predominando com 22 avós gaúchos, 2 catarinenses, 1 paranaense e 1 carioca, o que já dá uma ideia das migrações internas e dos que foram povoar o RS de alguma forma.

- na 9ª geração, o número de lusos (portugueses continentais e açorianos) é considerável, com 45 avós, assim como 45 avós brasileiros, seguidos por 35 avós alemães. Entre os avós brasileiros, 19 eram gaúchos, 5 catarinenses, 10 paulistas, 15 paranaenses, 1 mineiro e 2 cariocas, o que novamente permite traçar rotas de colonizações e migrações e sugerem a formação rio-grandense, ao lado de forte presença lusa e germânica.

- os muitos avós paranaenses na 10ª geração, atingindo os anos de 1670/1680, sinalizam que os meus antepassados por estas linhagens foram povoadores do Estado do Paraná, provenientes do Estado de Paulo, justamente por coincidir com as décadas iniciais da ocupação de Curitiba.

Portanto, várias análises são possíveis com estes dados, principalmente se combinados com datas limites e por localidades. Fazendo uma comparação de gerações em cada um dos locais mencionados, é possível remontar a própria povoação de algum Estado brasileiro, bem como encontrar e situar cada avô em um contexto temporal e espacial. 

Interessante notar, além disso, a verdadeira miscelânea de origens na minha ascendência com estas poucas informações trazidas: há avós vindos de vários estados brasileiros, a maior parte descendente de portugueses e com presença indígena e negra; lusos vindos do Continente e dos Açores, cujas ilhas foram povoadas por gente vinda de toda Europa (muitos dos Países Baixos, inclusive); poloneses, compreendendo prussianos, pomeranos, russos, austríacos e talvez ucranianos, italianos, alemães, franceses, espanhóis e ao menos um argentino. 

Não é à toa que, diante de tantos avós já conhecidos, com origens variadas, tenho parentescos inúmeros – como todos –, ligados por um ou mais antepassados em comum e em diferentes locais, especialmente em muitos municípios gaúchos e estados brasileiros. Não posso deixar de referir, por fim, que quanto mais avanço em minhas linhas ancestrais, mais parentescos entre elas encontro, como é o caso da família LEME, de origem belga, radicada em Lisboa, depois na ilha da Madeira até atingir São Paulo, da qual descendo mais de dez vezes, ratificando a informação de que, em dada geração, o número de avós supera a população estimada para a época.

domingo, 30 de outubro de 2016

Alemães no RS: os Schorn na região das Missões

Alemães no RS: os Schorn na região das Missões
Autoria de Zélce Mousquer
Edição e acréscimos por Diego de Leão Pufal

[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: MOUSQUER, Zélce e PUFAL, Diego de Leão. Alemães no RS: os Schorn na região das Missões, in blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/]

***
[publicado em 30/10/2016]
[atualizado em 21/11/2016]

***
CHRISTOPH SCHORN (no Brasil: NICOLAU CRISTÓVÃO SCHORN)[1] nasceu a 13.02.1779 na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha e faleceu a 30.4.1829 em São José do Hortêncio, no Rio Grande do Sul, Brasil, filho de[2] Wilhelm Schorn e Anna Christina Nahlen.
Nicolau casou a 26.12.1804 na cidade de Burg, conforme dados constantes no Familienbuch Reil-Burg 1632-1909 (informações repassadas por Dieter Loyo), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), com AGNES MÜLLER (no Brasil: Inês Anna Catharina ou Anna Elisabeth Müller ou Agnes Müller)[4], nascida a 23.04.1782 na cidade de Burg, Alemanha, e falecida a 2.8.1858 na Linha Hortêncio, em São José do Hortêncio, filha de Johann Müller e Marianne Laas, casados a 08.02.1763 em Burg (conforme dados constantes no Familienbuch Reil-Burg 1632-1909). Marianne ou Maria Anna Laas, por sua vez, foi filha de Johann Stephan Laas e Elisabeth Tillmann. 
Nicolau e Anna Catharina atravessaram o Atlântico a bordo do veleiro Olbers[5], que partiu do Porto de Bremen no dia 26.9.1828 e chegou ao Rio de Janeiro em 17.12.1828. Navio especialmente preparado para o transporte de pessoas, que levou 874 passageiros, entre eles muitas famílias que se radicaram na então colônia alemã de São Leopoldo, no sul do Brasil.
Embora a composição da tripulação seja até hoje desconhecida, pois a relação de passageiros foi extraviada ou destruída durante a 1ª Guerra Mundial, foi possível identificar as famílias tomando por base a relação de pessoas que na época (agosto de 1828) se encontravam na hospedaria Vor dem Bunten Thore de Bremen aguardando o embarque no Olbers, cujos nomes foram posteriormente confirmados com o registro de imigrantes de São Leopoldo. Desta forma, Hunsche os confirma como passageiros do Olbers.
O desembarque do casal e filhos deu-se no Rio de Janeiro a 17.12.1828, de onde foram transportados para Porto Alegre pelo Costeiro Marques de Viana.
A família SCHORN chegou a São Leopoldo/RS a 9.3.1828, constituída pelo casal Christoph e Agnes e seus oito filhos: Maria, Anna Catarina, Anna Barbara, Johann, Kunigunde, Mathias, Sebastian e Susanna. Após, todos se destinaram para os municípios de Feliz e São José do Hortêncio, onde sabemos que, a 2.5.1842, a viúva Schorn vendeu na última localidade, meia colônia a Frederico Leik.
As pesquisas indicam, ainda, que apenas o filho JOÃO SCHORN (Johann Schorn) (F6) se destinou à região das Missões, no Rio Grande do Sul, onde deixou descendentes. Os demais filhos de Christoph e Agnes viveram em São Leopoldo, São José do Hortêncio, Bom Jardim, Feliz, Santa Maria, Azevedo e outras.
Registro de óbito de Agnes Müller
[Igreja Católica de São José do Hortêncio – Arquivo Histórico da Cúria Metropolitana de Porto Alegre - AHCMPA]

***
Passemos agora à genealogia salientando que todos os filhos de CHRISTOPH SCHORN e AGNES MÜLLER são precedidos de um “F” de filho(a) e o respectivo número, este indicando a ordem de nascimento dos filhos. Os netos do casal vêm precedidos de um “N.” de neto(a) e assim sucessivamente (“Bn.” para os bisnetos; “Tn.” para os trinetos e “Qn” para quarto-netos).
Para se saber a filiação de determinado neto ou bisneto, deve-se verificar o “F.” e “N.” respectivamente que o precede, o que facilitado pelo recuo dos parágrafos a cada geração.
Além disso, utilizamos as seguintes abreviaturas:
“n.” para “nascido(a)”;
“bat.” para batizado(a)”.
“c/c” para “casado(a) com”
***
Filhos de CHRISTOPH SCHORN e AGNES MÜLLER:
F1. MARIA SCHORN (no batismo, Marianne Schorn), n. 22.12.1805[6] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha. Casou a 29.3.1829 em São Leopoldo/RS com Joachim Cristian Rohde, n. 1802, Hamburg, Alemanha, filho de Christoph Rohde e Agnes. Joachim emigrou da Alemanha, chegando a São Leopoldo a 9/3/1829. Pais de:
N1. Ana Catarina Rohde, n. 13.5.1830, bat. 23.5.1830, São Leopoldo/RS. Casou com Joseph Henz, n. Alemanha.
N2. Conrad Rohde[7] casou a 21.6.1859, São José do Hortêncio/RS com  Gertrud Bremm.
N3. Adam Rohde, n. 3.1.1834, bat. 16.3.1834, São Leopoldo/RS.
F2. ANA CATARINA SCHORN n. 18.06.1807[8] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha. Casou a 22.11.1829 em São Leopoldo/RS com o imigrante Pedro Frey, n. 1799,  Albigheim, Rheinland-Pfalz, Alemanha.
F3. MATHIAS SCHORN, n. 06.03.1810[9] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha, onde deve ter falecido ainda criança. Não emigrou para o Brasil e seu irmão mais velho levou o mesmo nome.
F4. ANNA BARBARA SCHORN n. 18.07.1812[10] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha. Casou a 7.10.1837 em Capela de Santana/RS com Nicolau Johann, n. 1809, Deustschland e fal. 28.8.1853, São José do Hortêncio/RS, filho de Anton Johann e Gertrud Schulz.
F5. JOHANN SCHORN, n. 11.12.1814[11] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha, onde faleceu a 31.01.1815.
F6. JOHANN SCHORN (JOÃO SCHORN)[12] n. 05.05.1816[13] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha e fal. 19.12.1899, São Miguel das Missões/RS. Casou com Ana de Almeida Pires, fal.16.3.1897 em Santo Ângelo/RS, onde foram moradores de seu 2º distrito, filha de Joaquim de Almeida Pires[14] (fal. 8.12.1884, Cruz Alta/RS) e Isabel Soares (fal. 19.7.1897, Cruz Alta/RS).
João e Ana tiveram o inventário de seus bens autuado em 1900 em Cruz Alta/RS, onde foram moradores. Foram pais de 10 filhos: Francisco, Elisário, João Henrique, Maria Inês, Manoel Agostinho, Arminda, Josefina, Ana, Joaquim e Carlota.
João Schorn foi citado pela historiadora Hilda Hübner Flores, referindo-se à Mariana Diehl:
(...) iniciou em rústicos lanchões, fabricados por hábeis artesãos renanos, como seu patrício João Schorn, e chegou à proprietária de, ao menos, duas embarcações importadas, uma das quais ocasionou a morte, por explosão da caldeira, do filho Luiz, aos 23 anos de idade.[15]
Filhos de João e Ana:
N1. major Francisco Schorn de Almeida n. por volta de 1834, Estância Velha/RS e fal. 29.1.1884, Júlio de Castilhos/RS. Casou em primeiro matrimônio a 29.10.1857 em Cruz Alta/RS com Maria Júlia Veríssimo, filha de Joaquim José de Almeida[16] (n. Itapetininga/SP) e Felicidade Maria Pereira (n. Viamão/RS), neta paterna de Luciano José de Almeida e Gertrudes de Oliveira e, materna, de Inácia Antônia. Francisco casou em 2º matrimônio, em Silveira Martins/RS (?) com Eliza Kruel, filha de Carlos Kruel Filho e Juliana Amélia Hockmüller[17], neta paterna de Carl Ludwig Wilhelm Kruel e  Juliana Bier e, neta materna, de Leonhard Hockmülller, marceneiro, n. 1783, Suíça e fal. Cruz Alta/RS a 19.06.1840 e de Marie Christine Wicke.  Sobre a família Hockmüller, acessar Genealogia Pitthan, disponível em: http://www.ozypinheiro.com.br/genealogiapitthan.html e, sobre a família Kruel, veja o blog Família Kruel, disponível em:  http://familia-kruel.blogspot.com.br/.
Houve do 1º casamento de Francisco 5 filhos: Palmira, Carlota, Francisco, Benigna e Josefina e, do segundo, 7 filhos[18]: Paulina, Belmira, Edmundo, Ana, Júlia, Francisca e Manoel João.
 

Tte Augusto Becker  e o Mj. Francisco Schorn (ou vice-versa).
Foto cedida por Neusa Becker.

Filhos do 1º matrimônio de Francisco com Maria Júlia:
Bn1. Carlota Schorn, n. 1857. Casou aos 22 anos, a 5.5.1881 em Cruz Alta/RS com  Cândido Winckerfelt (?), então com 25 anos, natural de Cruz Alta,  filho natural de Maria Luísa de Souza. Moradores na Vila Rica, Júlio de Castilhos /RS.
Bn2. Palmira Schorn, n. 23.12.1858, bat. 25.6.1859, Cruz Alta/RS.
Bn3. Benigno Schorn n. cerca de 1860. Foi morador em Passo Fundo (Nonoay)/RS.
Bn4. Francisco Schorn n. 5.11.1861, bat. 27, Cruz Alta/RS.
Bn5. Josefina Schorn casou a 26.6.1881 em Cruz Alta/RS com  Hipólito Fernandes Winckerfelt, 20 anos, filho de Fernando Frederico Winckerfelt e Margarida da Silva.
Filhos do 2º matrimônio de Francisco com Eliza Kruel:
Bn6. Paulina Kruel Schorn n. 11.5.1864 e fal. aos 67 anos, em 3.11.1931, distrito missioneiro de Entre-Ijuís. Casou em Santa Maria/RS com seu tio Carlos Augusto Becker, falecido cerca de 1932, filho do 2º casamento de sua avó Júlia ou Juliana Hockmüller (casamento ocorreu em 19.10.1852 Santa Maria/RS) com o tenente Augusto Becker[19], que faleceu aos 31 anos a 18.2.1862 em Cruz Alta/RS, de morte natural, filho de Guilherme Becker e Christina Auler. Paulina e Carlos Augusto foram pais de 9 filhos: Ernesto, João, Francisca, Júlia, Percival, Araci, Alcides, Osvaldo e Auta.
 
Carlos Augusto Becker a esposa Paulina Schorn e filhos
Foto de 1925, cedida por Neuza Becker/Santo Ângelo/RS.

Tn1. Ernesto Becker casou aos 27 anos a 28.7.1915 em Santo Ângelo/RS com Galdina Lemos, onde n. 25.9.1895, filha de Israel Procópio de Lemos[20] (n. Açores, Portugal) e Angélica Felisberta da Fonseca (de Proença?) (casaram a 10.1.1882 em Santo Ângelo, onde ambos faleceram), Avós paternos de Galdina foram José Daniel de Lemos e Anna Farias de Queiroz. Seus avós maternos foram: Manoel da Fonseca e Maria Luz da Fonseca.. Ernesto e Galdina foram pais de 1 filha localizada:
Qn1. Nair Lemos Becker
Tn2. João Becker Primo n. 13.2.1884 em Santa Maria/RS e faleceu 22.6.1975. Casou em 1915 em Santo Ângelo/RS com Catarina Alves da Fonsecan. 11.7.1894 e fal. aos 26 anos a 24.6.1922, filha de Lúcio José da Fonseca[21] (fal. aos 63 anos, a 27.3.1909 Santo Ângelo/RS) e Margarida Alves da Fonseca. Os avós paternos de Catarina foram: João José da Fonseca e Francisca Maria do Rosário. Seus avós maternos foram: Januário da Fonseca e Maria Nardes. Segundo consta no site Family Search, João Becker casou em 2ª núpcias com Isabel Gomes da Silva e, depois, com Elvira da Silva, com quem teve 2 filhos. Do primeiro casamento encontramos 3 filhos.
Tn3. Francisca Becker c/c .... Scherer
Tn4. Júlia Becker, n. 25.4.1889, Santa Maria e fal. 10.5.1955.
Tn5. Persival Becker n. 4.5.1897 em Santa Maria/RS. Casou em 9.4.1918 com Maria da Glória Reis, n. 30.7.1885, Inhacorá/RS e fal. 20.3.1961, filha de Delfino dos Santos Reis[22] (Santiago/RS) e Francisca Martins do Amaral (casaram a 20.9.1885, Santiago/RS). Os avós paternos de Maria da Gloria foram Amâncio Antônio dos Reis[23] e Maria Joaquina Taborda (Santiago/RS). Seus avós maternos foram João Antônio da Rosa e Claudina Martins da Rosa. Percival e Maria da Glória foram pais de 9 filhos: Cleny, Catarina, Dalflor, NIlza, Francisca, Aura, Alice, Júlia e Clinio. Percival e Maria da Glória foram pais de Cleny Becker que casou com Onécimo Ribeiro Nardes.
Tn6. Aracy Becker n. 16.2.1900, Santa Maria/RS.
Tn7. Alcides Becker bat. 2.8.1901, Santa Maria/RS e fal. 15.1.1929. Casou com Maria Alzira Reis, n. Corrientes, Argentina e fal. 2.8.1911.
Tn8. Osvaldo Becker, n. 20.12.1904 em Santa Maria/RS. Casou com .... França, pais de:
Qn1. Manoel Becker
Qn2. Júlio Becker
Qn3. Matuino Becker
Qn4. Elvio Becker
Qn5. Maria Becker
Qn6. Terezinha Becker
Tn9. Auta Becker                
Bn7. Belmira/Bibiana Kruel Schorn, moradora na Vila Rica (Júlio de Castilhos/RS), n. em torno de 1868.
Bn8. Edmundo Kruel Schorn n. 6.11.1872. Casou em 1906 com Antônia da Costa Vale, n. 12.2.1883, filha de Antônio da Costa Vale e Clarinda da Costa Vale, ambos naturais do RS. Pais de:
Tn1. Francisco Schorn
Tn2. Clarinda Schorn
Bn9. Ana Kruel Schorn moradora em Santa Maria/RS, n.cerca de 1875.
Bn10. Júlia Kruel Schorn moradora em Santa Maria/RS, n. 8.2.1877, Santa Maria/RS e fal. 10.4.1940 em Redentora/RS. Casou com o major Feliciano Jorge Albert, oficial do Exército vinculado ao 5º Regimento de Infantaria de Cruz Alta/RS e fal. 20.6.1963, Redentora/RS, filho de João Jorge Albert e Constância de Oliveira. Pais de 8 filhos, conforme informações enviadas por André Augusto Cella:
Tn1. João Jorge Albert n. 1891, casou em Júlio de Castilhos/RS, a 14.6.1925 com Carlota de Almeida Belmonte. 
Tn2. Maria Rita Albert n. 1898, casou em Júlio de Castilhos/RS a 25.3.1924 com Salustiano César. 
Tn3. Adalberto Jorge Albert
Tn4. Alzira Albert
Tn5. Carlinda Albert
Tn6. Feliciano Jorge Albert Filho
Tn7. Constância Albert
Tn8. Emilia Albert
Bn11. Francisca Kruel Schorn n. cerca de 1880, Estância Velha/RS, e fal. Santo Ângelo/RS, cerca de 1945. Francisca casou c. 1900 em Silveira Martins/RS com Flodoardo Matzenbacher, n. 14.3.1874, Estância Velha/RS e fal. 10.7.1945 em Santo Ângelo/RS, filho de Karl Matzenbacher e Anna Klara Lauer. Os avós paternos de Flodoardo foram Wilhelm Matzenbacher e Maria Madalena Müller. Segundo consta no site do Familysearch, Francisca e Flodoardo tiveram os filhos Licínio, Celina, Albano Osório, Almiro, Gentil, João Carlos, Clodoaldo e Benno Amandio Matzenbacher. 
Bn12. Manoel João Schorn[24] casou com Rosalina Kruel Helmek[25], filha de João Helmek, n. São Leopoldo/RS e Christiana Kruel, n. Cruz Alta/RS.
N2. Elisário Schorn de Almeida, fal. aos 78 anos a 22.9.1917 em Santo Ângelo/RS. Casou com Belarmina Francisca de Aguiar, fal. aos 65 anos a 1º.7.1913 ou 18.4.1914, Santo Ângelo/RS, filha de José Francisco de Aguiar[26] (fal. a 10.12.1855) e Maria da Luz Fontoura. Elisário e Belarmina, foram pais de 6 filhos: Cândido, Josefina, José, Maria Geralda, Rosa e Ana, que seguem:
Bn1. Cândido Schorn de Aguiar, com 53 anos em 1917. Casou com Josefa Lourença de Aguiar, filha de Lino Antonio de Aguiar e Luduvirges Pires. Pais de: Ana Schorn de Aguiar.
 Bn2. Josefina Schorn de Aguiar fal. solteira aos 75 anos, a 11.1.1945 Giruá/RS.
Bn3. José Schorn de Aguiar n. 6.7.1875, Catuípe/RS. Casou em 1891 em Giruá/RS com Rosalina Maria Peppe n.15.9.1880, no 2º distrito de Santo Ângelo/RS, filha natural de Fidenão Pepe e Maria Delfina da Conceição. José e Rosalina foram pais de 3 filhos localizados: Lindóia, Senhorinha e Maria Rita, que seguem:
Tn1. Lindóia Schorn, n. 14.2.1913 Giruá/RD, onde casou em 1932 com Pedro Soares de Oliveira, n. 29.6.1909 Santo Ângelo/RS, filho de Paulino Soares e Rosa Gomes de Oliveira, casados em São Luiz Gonzaga/RS. Os avós paternos de Pedro foram: Rufino Gomes de Oliveira e Mariana Maria Soares. Seus avós maternos foram: Carlos José da Silva/Carlos José Terêncio da Silveira e Maria Gomes de Oliveira.
Tn2. Senhorinha Schorn
Tn3. Maria Rita de Aguiar n. 4.5.1909, Santo Ângelo/RS, onde casou em 1920 com Alfredo Rufino Pinto, onde n. 30.7.1883,  filho do tenente-coronel João Antônio Pinto (fal. 10.9.1917 no 1º distrito de Santo Ângelo/RS) e Floripa Maria Pinto (ali fal. a 30.4.1920).
Bn4. Maria Geralda Schorn de Aguiar n. 24.12.1883, Santo Ângelo/RS, onde casou em 1920 com Joaquim Antônio das Chagas[27], n. 6.8.1886, 2º distrito de Santo Ângelo/RS, filho de Francisco Antônio das Chagas (fal. 15.12.1915 em Catuípe/RS) e Joaquina Antônia da Silva/Rodrigues (n.15.9.1859). Moradores no 1º distrito de Santo Ângelo.
Bn5. Rosa Schorn de Aguiar casou aos 23 anos, a 12.2.1898 Catuípe/RS com Filadelfo Corrêa Taborda, então 22 anos, filho de Pedro Corrêa Taborda[28] e Vicência Eloisa de Aguiar. Os avós maternos de Filodolfo foram Maria da Luz Fontoura,[29] que fal. 21.1.1904 em Catuípe/RS, e José Manoel de Aguiar.
N3. João Henrique Schorn n. 22.6.1852, Cruz Alta/RS, onde casou a 29.9.1873 com Henriqueta Júlia do Amaral, n. 2.11.1851, Cruz Alta/RS, filha de Mafalda Júlia do Amaral[30] (fal. 5.6.1897), moradores São Miguel das Missões. José e Henriqueta foram pais de 7 filhos: Ana, Quintila, Almiro, Trajano, Júlio, Natália e Joana, que seguem.
Bn1. Ana Schorn n. 11.12.1878 e fal. 10.9.1949. Casou a 12.11.1898 em São Miguel das Missões/RS com Manoel Boaventura Braga, n. 14.3.1869 e fal. 24.1.1939, filho de Delfino Rodrigues Braga e Porfiria Maria Corrêa da Luz, ambos do RS e moradores do distrito de São Miguel das Missões. Os avós paternos de Defino foram João Rodrigues Braga e Senhorinha Joaquina da Silva. Ana e Manoel foram pais de 14 filhos: Maria, Maria Celina, Verônica, Antônia, Teodomira, Delfina, Joana, José, Delfino, Porfírio, Faustino, Catarina, Francisco e Domingos. Ver neste blog a Família de João Rodrigues Braga.

Manoel Boaventura Braga e Anna Schorn no centro, acompanhado de filhos e filhas.
Fonte: Álbum do Partido Republicano, p. 609.

Tn1. Maria Schorn Braga (gêmea com Maria Celina?)
Tn2. Maria Celina Schorn Braga n. 21.10.1899, São Miguel das Missões, onde casou a 19.9.1918 no distrito missioneiro de São Miguel com Francisco Corrêa de Andrade, então 33 anos, filho de Urbano/Albano Pedro de Andrade e Maria Apolinária Burgdorff. Os avós paternos de Francisco foram Francisco Corrêa de Andrade[31] e Constância Maria de Jesus. Seus avós maternos foram o imigrante alemão Carlos Burgdorff e Escolástica Maria Cardoso. Ver a família Burgdorff neste blog.
Tm3. Verônica Schorn Braga
Tn4. Antônia Glória Schorn Braga
Tn5. Theodomira Schorn Braga
Tn6. Delfina Macimiana Schorn Braga
Tn7. Joana Schorn Braga
Tn8. José Rodrigues Braga
Tn9. Delfino Rodrigues Braga
Tn10. Porfírio Rodrigues Braga
Tn11. Faustino Rodrigues Braga
Tn12. Catarina Schorn Braga
Tn13. Francisco Boaventura Braga
Tn14. Domingos Rodrigues Braga
Bn2. Quintila Schorn n. 19.3.1882. Casou em 1919 em São Miguel das Missões, com Vicente Castanho, então 35 anos, n. 18.6.1883, filho de Felicidade de Toledo (n. RS e fal. em torno de 1910 em São Miguel das Missões).
Bn3. Almírio Schorn n. 2.9.1885, São Miguel das Missões.
Bn4. Trajano Schorn n. 2.11.1886, São Miguel das Missões.
Bn5. Júlio Schorn n. 25.4.1887, São Miguel das Missões.
Bn6. Natália Schorn n. 23.7.1888, São Miguel das Missões.
Bn7. Joanna Schorn n. 20.8.1892, São Miguel das Missões, onde casou em 1918 (o casamento religioso ocorreu a 5.11.1918 no mesmo distrito) com Virgílio Antonio de Moraes, n. 9.12.1895, mesmo distrito, filho de Pedro Antônio de Moraes e Cândida Nunes da Silva, nat. RS e moradores  de São Miguel das Missões. Os avós paternos de Virgílio foram: Ezequiel Antônio de Moraes e Cândida da Silva Morais. Seus avós maternos foram: Ramires Nunes da Silva[32], morador de São Luiz Gonzaga/RS e Silvana Maria da Conceição, ambos do RS.
N4. Maria Ignez Schorn n. 22.5.1855, Cruz Alta/RS e fal. 16.3.1915. Casou a 27.12.1881 em Cruz Alta/RS, com Leão Pedro de Moraes, então com 19 anos e fal. 12.3.1905, filho de Manoel Carlos/Teobaldo de Morais e Ana Antônia de Lima. Moradores em Cruz Alta/RS e Santiago/RS. Pais de 4 filhos. Os avós paternos de Leão Pedro de Morais foram Manoel Carlos /Teobaldo de Morais[33] e Ana Antonia de Lima.
Bn1. Achiles Schorn de Moraes, n. 10.9.1883, Cruz Alta/RS.
Bn2. João Schorn de Morais c/c Luiza Martins de Souza, fal. aos 23 anos, a 31.10.1911 em São Luiz Gonzaga/RS, filha de Manoel Martins de Souza e Arminda Schorn (?). 
Bn3. Jovino Schorn de Morais nasceu a 9.10.1887. Casou a 5.5.1921 em São Luiz Gonzaga/RS com Jovina Dutra, n. 18.10.1892, filha de Salustiano Antônio Dutra (fal. 18.4.1913) e Clara Moraes (fal. 25.12.1912).
Bn4. Universina Schorn de Morais, n. 5.3.1892, São Miguel das Missões. Casou com Afonso Leal Gomes.
Bn5. Alcino Schorn n. 1894, São Miguel das Missões/RS. Casou a  3.6.1916 com Ana Rita Fabrício da Silva, n. 5.3.1896, filha do tenente-coronel Valeriano Fabricio da Silva[34] e Maria Vieira Marques. Alcino foi prefeito de São Luiz Gonzaga/RS.
N5. Manoel Agostinho Schorn n. 8.8.1858 em São Miguel das Missões, onde fal. 21.6.1923. Casou a 24.7.1875, Cruz Alta/RS, com Catharina Goers, n. 3.9.1857, Cruz Alta/RS e fal. 26.6.1939 em Santo Ângelo/RS, filha de Frederico Guilherme Goers e Maria Ezequiela dos Santos, moradores em Cruz Alta/RS. Manoel e Catharina foram pais de 8 filhos: Catarina, Josefina, Ambrosina, Julieta, Marieta, Julieta, João e Iracema.

Catharina Goers
Fonte: Cemitério Municipal de Santo Ângelo/RS.


Manoel Agostinho Schorn
Fonte: Cemitério Municipal de Santo Ângelo/RS.



Antiga residência da Família de Agostinho Schorn, situada na esquina das Ruas Antunes Ribas e Três de Outubro, 
onde hoje existe o prédio do SESC – Santo Ângelo/RS.
A foto faz parte do cervo do Arquivo Histórico Municipal Augusto César Pereira dos Santos – Santo Ângelo/RS.

Bn1. Catarina Schorn n. 3.9.1857, Cruz Alta/RS.
Bn2. Josefina Schorn n. 27.12.1881, Cruz Alta. Casou a 29.9.1905, distrito de São Miguel das Missões (casamento religioso ocorreu a 2.9.1909 no mesmo distrito) com Joaquim Martins de Bittencourt, n. 24.5.1878, São Miguel das Missões e fal. novembro 1907[35], filho de Antero José de Bittencourt[36] (fal. cerca de 1910, São Miguel das Missões e Maria Angélica Martins (fal. no mesmo distrito). Os avós paternos de Miguel foram Joaquim José Ferreira de Bittencourt e Maria Joaquina da Trindade. Seus avós maternos foram Damaso José Martins natural e morador em Santa Ana do Rio dos Sinos (Capela Santana) e Leocádia Joaquina da Conceição.
Bn3. Ambrosiana Schorn n. 3.12.1884 em São Miguel das Missões, onde casou em 1905 (o casamento religioso ocorreu a 2.9.1905) com  Frederico Gerardo Rocco Câmara, n. Palermo, Itália, filho de Luigi Camara e (Anna) Catharina Gaetani, ambos da Italia e já falecidos em 1905. Pais de:
Tn1. Helena Camara
Tn2. Judite Camara
Tn3. Diva Camara
Bn4. Julieta Cornellia Schorn n. 16.9.1890 em São Miguel das Missões, onde casou a 8.10.1913 com Djalma Baptista Mousquer, ali n. 19.5.1886, filho de Alexandre Mousquer e Francisca Rosa Mousquer, ambos falecidos no mesmo distrito. Pais de:
Tn1. Elsa Schorn Mousquer
Tn2. Eloy Schorn Mousquer
Tn3. Alexandre Schorn Mousquer
Tn4. Fernando Schorn Mousquer
Tn5. Paulo Schorn Mousquer
Tn6. Irene Schorn Mousquer
Tn7. Olavo Schorn Mousquer
Tn8. Maria Dulce Mousquer
Tn9. Cecília Schorn Mousquer
Tn10. Manoel Schorn Mousquer
Bn5. Marieta Schorn n. 26.4.1893, no 3º distrito de Santo Ângelo/RS onde casou a 5.4.1930 com José Sillemon Azzi, n. 27.1.1890 em Tartus, Síria, comerciante e morador de Santo Ângelo/RS, filho de Sillomon Azzi (fal. 4.6.1926) e Janilla Sillemon (fal. 15.2.1928, ambos fal. na Siria). Marietta faleceu aos 45 anos, a 27.9.1933, distrito Missioneiro de Entre-Ijuis.
Bn6. João Schorn n. 23.12.1897 em São Luiz Gonzaga/RS e fal. 8.6.1972, São Borja/RS. Casou a 28.2.1921 em São Luiz Gonzaga/RS com Amália Schwabe Moura, n.12.5.1902, filha de Carlos Francisco Schwabe (n. 20.11.1860) e Gertrudes Rezende de Moura (n. 17.3.1863). Os avós paternos de Amália foram Karl August Schwabe e Amalie Therese Franz Schwabe. Seus avós maternos foram  Bartholomeu Rezende de Moura e Maria Flora Rezende de Moura.
Tn1. Augusto Schorn
Tn2. Carlos Francisco Schorn
Tn3. Marlize Schorn     
                             João Schorn, Amália e filhos.
Foto obtida em: http://www.geni.com/people/Jo%C3%A3o-Schorn/6000000016651783323, disponibilizada no site por Ivete Bandeira Portella

Bn7. Iracema Schorn n. 30.8.1900 no 3º distrito de Santo Ângelo/RS, onde casou em 1929 com Henrique Las Heras, natural da Argentina (Bagé).    
N6. Arminda Schorn n. 23.1.1859 em Cruz Alta/RS e fal. 14.9.1894 em São Luiz Gonzaga/RS. Casou a 16.3.1882 em Cruz Alta/RS com Manoel Martins de Souza, n. 30.12.1859 em Torres/RS e fal. cerca de 1947, São Luiz Gonzaga/RS, filho de Jesuíno Martins de Souza e Luiza Francisca de Souza/Maria de Jesus. Pais de 5 filhos localizados: Venutiano, João, Filogono Antonio, Luiza e Pedro.
Bn1. Venutiano Schorn de Souza n. 30.12.1882, São Luiz Gonzaga/RS.
Bn2. João Martins de Souza c/c Geraldina Vieira Duarte.           
Bn3. Filogonio Antonio de Souza Schorn n. por volta 1887/1888, São Luiz Gonzaga/RS e fal. 9.7.1980 em Porto Alegre/RS. Casou a 28.2.1917 São Luiz Gonzaga/RS com Francisca Holsbach, n. 25.8.1896 e fal. cerca de 1995 Porto Alegre/RS, filha de Eustáquio(?) Holsback e Fausta Lourença, conforme informações extraídas do site Familysearch. Pais de:
Tn1. João Schorn de Souza
Tn2. Armando Holzbach de Souza
Tn3. Filogonho Schorn de Souza
Bn4. Luiza Martins de Souza faleceu aos 23 anos, a 31.10.1911 em São Luiz Gonzaga/RS, c/c João Schorn de Moraes, filho de Leão Pedro de Moraes e Maria Inês Schorn?     
Bn5. Pedro Schorn de Souza
N7. Josefina Schorn c/c Hipólito Fernandes de Oliveira, filho de Fernando Frederico Hipólito e Margarida da Silva Ribeiro. Josefina e Hipólito foram pais de 2 filhas localizadas:
Bn1. Floripa de Oliveira Schorn casou no distrito missioneiro de Santa Tecla com Francisco José dos Reis.
Bn2. Felipa de Oliveira Schorn n. 3.3.1884, São Miguel das Missões.
N8. Ana Schorn c/c Manoel Martins de Souza (cunhado ?)
N9. Joaquim de Almeida Schorn nat. Cruz Alta/RS e fal. assassinado em São Luiz Gonzaga/RS, onde era vereador, conforme Relatórios dos Presidentes das Províncias Brasileiras: Império - 1830 a 1889 - PR_SPR_00119_252263 – edição 1, p. 114, disponível pela Biblioteca Nacional/RJ, em: http://memoria.bn.br/docreader/DocReader.aspx?bib=252263&pagfis=3171&pesq=. Joaquim teve o inventário de seus bens autuado em 1888 no mesmo município. Casou a 7.1.1871 em Cruz Alta/RS com Antônia Vieira, n. Cruz Alta/RS, filha de João José Vieira e Maria Pacheco. Joaquim e Antonia tiveram 3 filhos localizados:
Bn1. João Elizário Schorn, n. São Luiz Gonzaga/RS.
Bn2. Canuto Schorn n. 15.1.1882, São Luiz Gonzaga/RS.
Bn3. Maria Ninfa Schorn n. 1º.3.1885, São Luiz Gonzaga/RS.
N10. Carlota Schorn n. 4.4.1861, Cruz Alta/RS. Casou com Januário Antônio da Trindade.

Família Schorn/Bittencourt - Da E/D: Josefina Bittencourt, Alcides Schorn Bittencourt, João Schorn, não identificada (filha da Julieta), Julieta Schorn Mousquer, Amália Schwabe (em pé), Augusto Schwabe Schorn (sem nitidez), não identificada (filha da Julieta, na frente de Augusto), .....filha da Julieta, ......filha da Diva,.....filha da Julieta, Homero Schorn Bittencourt, Diva (em pé)  nora da Josefina.
Crianças sentadas à frente da mesa: Helena filha da Ambrosina, Diva filha da Ambrosina, Judite filha da Ambrosina.
A foto faz parte do acervo do Arquivo Histórico Municipal Augusto César Pereira dos Santos de Santo Ângelo/RS 
(postagem de 21/12/2009) - A identificação da foto foi realizada por Ivete B. Portella.


F7. KUNIGUNDE SCHORN, n. 27.12.1818[37] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha. Casou com Philipp Müller, n. Alemanha.
F8. MATHIAS JOSEPH SCHORN (Matias José), n. 04.06.1820[38] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha e fal. 1º.10.1917, São Sebastião do Caí/RS. Casou a 9.4.1845, Capela de Santana/RS, com Helena Krewer, nascida 1821/1826, Alemanha e fal. 24.4.1900, afogada no Rio Forqueta (Petry), em São Sebastião do Caí/RS, filha de Christoph Krewer e Barbara Thomaz (imigrantes).


Registro do casamento de Mathias José Schorn, do acervo do AHCMPA.
Bn1. Mathias Schorn fal. 9.5.1904, São Sebastião do Cai/RS. Casou a 13.2.1888 em Feliz/RS com Carolina Teuschel(?), n. em torno de 1864?,  Bohemia, Áustria? e fal. 12.01.1944, Santo Ângelo/RS, filha de Carl Teuschel[39] (n. cerca de 1840 Bohemia, Áustria e fal. Ijui/RS?) e de Caroline Waechter (n. cerca de 1842 Bohemia/Áustria? e fal. logo após imigrar, cerca de 1877 em Caxias do Sul/RS?). Pedro José e Carolina foram pais de 12 filhos:
Tn1. Rodolfo Schorn n.em torno de 1886.
Tn2. Florentina Schorn n. 11.11.1888, Feliz/RS. 
Tn3. Spaldino/Espaldino Schorn n. 20.2.1890 no RS, c/c Olga Kaiser, n. 8.3.1891 no RS, filha de Felippe Kaiser Filho e Maria Kaiser, ambos do RS e moradores de Santo Antônio da Patrulha/RS.
Tn4. Rosalina Schorn n. 18.7.1891, Feliz/RS.
Tn5. Reinoldo Schorn n. 21.2.1893, Feliz/RS.
Tn6. Bertha Schorn n. 23.9.1894, Feliz/RS.
Tn7. Gaetano Schorn n. 13.12.1895, Feliz/RS.
Tn8. Raymundo Schorn n. 13.8.1897, Feliz/RS.
Tn9. Maria Emília Schorn n. 14.3.1899, Feliz/RS.
Tn10. Valentim Schorn n. 20.3.1890, Feliz/RS.
Tn11. Rinaldo Schorn com 4 anos, em 1904.
Tn12. Carlos Schorn
Bn2. Maria Helena Schorn (vem citada no site Familysearch) n. 1864 e fal.  16.2.1908 em Forqueta (Caxias do Sul/RS), onde casou a 14.7.1896 com Carlos Jacob Kerhrwald n. cerca de 1861. Pais de:
Tn1. Helena Nalina Kehrwald
Tn2. Anna Carolina Kehrwald
Tn3. Jacob Kehrwald
Tn3. Christiana Elisabeth Kehrwald
Tn4. Ernesto Pedro Kehrwald
Tn5. Paulina Helena Kehrwald
Tn6. Avelino Kehrwald
Bn3. Margareth Schorn n. em torno de 1866 e casou cerca de 1886 com Wilhelm Kehrward.
F9. ANNA MARGARETHA SCHORN, n. 29.08.1822[40] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha, onde fal. 05.09.1822.
F10. SEBASTIÃO (SEBASTIAN) SCHORN, n. 19.03.1825[41] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha. Casou a 23.8.1858 em São José do Hortêncio/RS, com Magdalena ou Helena Hecke, n. Alemanha, filha de Pedro Mathias Hecke e Elisabeth Müller.

                                                    Registro de casamento de Sebastião Schorn [AHCMPA]
N1. Pedro Schorn n. 5.9.1864, São José do Hortêncio/RS.
F11. SUSANNA MARGARETHA SCHORN (Susana Margarida), n. 05.11.1827[42] na cidade de Burg (Mosel), distrito de Bernkastel-Wittlich, no estado de Renânia-Palatinado (Rheinlad-Pfalz), Alemanha e fal. aos 82 anos a 23.4.1909 na Picada Feliz/RS. Casou  a 17.11.1846 com Miguel (Michel) Nedel, n. 24.9.1824, Klüsserath, Trier, Rheinland-Pfalz, Alemanha e fal. 23.11.1894 na Picada Feliz (atual município de Feliz), com cerca de 70 anos, filho dos imigrantes Johann Joseph Nedel, n. Klüsserath e fal. São José do Hortêncio, e Catharina Thümmel, n. Heidenburg, Trier e fal. RS.
 
Registro de óbito de Susana Margarida Schorn [AHCMPA]
Pais de:
N1. Maria Nedel c/c Bento Griebler.
N2. Mathias Nedel c/c Margarida Kirsch.
N3. Margarida Nedel c/c Miguel Finkler.
N4. Sebastião Nedel c/c Maria Krewer.
N5. José Nedel
N6. Helena Nedel c/c Jacob Hahn.
N7. Catharina Nedel c/c Romão Varella ou Raimundo Varella.
N8. Bárbara Nedel c/c José Bohn.
N9. Anna Nedel c/c Alberto Hastenteufel.
***
FONTES:
- Arquivo Histórico da Cúria de Santo Ângelo: Livros de matrimônios, nascimentos e óbitos de Santo Ângelo e seus antigos distritos.
- Arquivo Histórico da Cúria Metropolitana de Porto Alegre (AHCMPA): livros de batismos, casamentos e óbitos.
- Arquivo Público do Estado do RS (APERS): inventários, testamentos, habilitações para casamentos, livros dos tabelionatos de Santo Ângelo e seus antigos distritos.
- Arquivos pessoais de Pedro Almiro Fauth e Neuza Becker.
- BUSANELLO, Pio (padre). Arquivo pessoal disponível em genealogia manuscrita, disponível no Museu Antropológico Diretor Pestana/Divisão de documentação/UNIJUI/RS (MADP, AI 0.6.3. Padre Pio Busanello C.15 (genealogia manuscrita).
- Cemitérios Municipais de Santo Ângelo/RS e São Miguel das Missões/RS, conforme pesquisa in loco por Zélce Mousquer.
- Centro de História da Família - Igreja Mórmon. Microfilmes do Registro civil de Santo Ângelo/RS, Cruz Alta/RS, São Miguel/RS, São José do Hortêncio/RS, Azevedo/RS e Feliz/RS.
- CONRATH, Ulrich. Arquivo pessoal, disponível no site http://gedbas.genealogy.net/person/show/1165467174
- FLORES, Hilda Agnes Hübner. Alemães na Guerra dos Farrapos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1995.
- HUNSCHE, Carlos H. e Astolfi, Maria. O quadriênio 1827-1830 da Imigração e Colonização Alemã no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: G&W Artes Gráficas, 2004, vol. 3.
- Jornal A Federação de 4.12.1907, edição 282, p.  2.
- MICHALSKI, Raul. Genealogias Teuschel e Zappe, disponíveis em: https://sites.google.com/site/genealogiasachszappeporrmm/Home/arv_teuschel
- MITTELMANNS, Charles. Genealogia da Família Mittelmann. Disponível em http://gw.geneanet.org/mittelmann?lang=en&pz=fernanda&nz=mittelmann&ocz=0&m=N&v=schorn
- MOUSQUER, Zélce Darclé. Blog da família Kruel, disponível em http://familia-kruel.blogspot.com.br/
- MOUSQUER, Zélce Darclé. Família Mousquer – Uma imigração francesa no sul do Brasil. Porto Alegre: EST, 2008.

- NARDES, João Augusto Ribeiro. Ribeiro Nardes: uma família do Brasil. Editora AGE,  2013.

- PETRY, Hugo Egon e DULLIUS, Werner Mabilde. Cemitério das Colônias Alemãs no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Editora Gráfica Metrópole, 1985.
- PINHEIRO, Ozy – Famílias Hockmüller/Genealogia Pitthan, disponível em: http://www.ozypinheiro.com.br/genealogiapitthan.html
- Relatórios dos Presidentes das Províncias Brasileiras: Império - 1830 a 1889, disponíveis no site da Biblioteca Nacional/RJ.
- ROSA, Gilson Justino da. Imigrantes Alemães 1824-1853. Porto Alegre: EST, 2005.
- TIMM, Octacílio B. e GONZALES, Eugenio (org. e editores). Álbum ilustrado do Partido Republicano Castilhista – RGS. Porto Alegre: Livraria Selbach de J.R da Fonseca e Cia, 1934.




NOTAS:
[1] No registro de matrimônio dos filhos Mathias e Anna Schorn, o nome dos imigrantes aparece grafado como Cristovão Joannes e Ignez Joannes. Já em WOLF a imigrante seria Ana Elisabete Müller. Em HUNSCHE (2004, p. 189): “Podemos afirmar, em relação às 157 famílias do Olbers: onde figura Preussen como pátria, os imigrantes provêm, preferentemente, da zona de Trier e do Rio Mosela. Vale lembrar, que a Alemanha, como hoje a conhecemos, teve suas fronteiras definidas em 1871, com Bismark,que reúne sob a coroa da Prússia, os diversos estados com língua comum.”
[2] Conforme pesquisa de Ulrich Conrath, disponível em: http://gedbas.genealogy.net/person/show/1165467174
[4] Conforme registro de nascimento da neta Maria, filha de João “Schorne” Ana de Almeida Pires, os nomes dos imigrantes aparecem grafados como Cristóvão Joannes e Ignez Joannes.
[5] Informações obtidas em HUNSCHE (2004, p. 189; 1415-1417).
[6] Conforme pesquisa de Ulrich Conrath, disponível em: http://gedbas.genealogy.net/person/show/1165467174
[7] Conforme Genealogia da Família Mittelmann. Disponível em http://gw.geneanet.org/mittelmann?lang=en&pz=fernanda&nz=mittelmann&ocz=0&m=N&v=schorn
[8] Conforme pesquisa de Ulrich Conrath, disponível em: http://gedbas.genealogy.net/person/show/1165467174
[9] Idem.
[10] Idem.
[11] Idem.
[12] Hilda Agnes Hübner Flores, citando João Schorn e referindo-se à Mariana Diehl (FLORES, 1995, p. 60): “(...) iniciou em rústicos lanchões, fabricados por hábeis artesãos renanos,como seu patrício João Schorn, e chegou  a proprietária de, ao menos, duas embarcações importadas, uma das quais ocasionou a morte, por explosão da caldeira, do filho Luiz, aos 23 anos de idade.”
[13] Conforme pesquisa de Ulrich Conrath, disponível em: http://gedbas.genealogy.net/person/show/1165467174
[14] Joaquim de Almeida e Isabel foram pais de:
1. Ana de Almeida Pires c/c João Schorn
2. Joaquim de Almeida Pires c/c Maria de Moura Fogaça.
3. Fausta Pires de Almeida moradora de Cruz Alta/RS.
4. Isabel de Almeida Pires moradora de Santo Ângelo/RS.
5. Antonio de Almeida Pires morador de Santo Ângelo/RS.
6. Maria de Almeida Pires moradora de Cruz Alta /RS.
7. José de Almeida Pires
[15] FLORES, 1995, p. 60.
[16] Joaquim José de Almeida e Felicidade casaram a 8.1.1824 em Alegrete/RS e foram pais:
1. Maria Júlia Veríssimo c/c Francisco Schorn de Almeida.
2. Angélica Hilária de Almeida casou c/c João de Deus Carvalho.
[17] Juliana ou Júlia Amélia casou em 2ª núpcias com o tenente Augusto Becker.
[18] Conforme genealogia manuscrita do Padre Pio Busanello, no Museu Antropológico da UNIJUI/RS.
[19] De acordo com Neuza Becker, o tenente Augusto Becker foi para o RS para treinar milícias na cidade de Rio Pardo/RS, tendo, mais tarde, transferido-se para a Picada do Arenal, próximo ao local onde hoje se encontra a Base Aérea de Santa Maria/RS. Em NARDES (2013, 242) lemos que os Becker migraram para Santo Ângelo/RS em 1904, tendo sido pai de 4 filhos.
[20] Israel Procópio de Lemos e Angélica foram pais de 3 filhos localizados:
1. Galdina Lemos c/c Ernesto Becker.
2. Felisberto Daniel Lemos c/c Jeovenila de Queiróz Flores.
3. José Lemos da Fonseca c/c Maria da Conceição de Castro, viúva de Leandro Alves da Fonseca).
[21] Lúcio José (fal. aos 63 anos, a 27.3.1909 Santo Ângelo/RS) e Margarida foram pais de:
1. Fausta Alves da Fonseca c/c Afonso Rosa de Aguiar.
2. Nicanor Alves Fonseca
3. Leandro Alves da Fonseca c/c Maria da Conceição de Castro
4. Salustiana Alves da Fonseca
5. Otacília Alves da Fonseca c/c Hortêncio de Assis Brasil de Deus/Antunes Fernandes.
6. Catarina  Alves da Fonseca c/c João Beck Primo
7. Amantina Alves Fonseca
8. Elvira Alves da Fonseca (faleceu solteira).
9. Laudelina Alves Fonseca
10. Margarida Lima da Fonseca c/c Joaquim Antunes Alberto.
[22] Delfino dos Santos Reis e Francisca foram pais:
1. Maria da Glória Reis c/c Percival Becker.
2. João Antonio dos Reis c/c Belarmina Taborda.
3. Maria Alzira Reis c/c Alcides Augusto Becker.
4. Gervásio dos Reis c/c Cássia Cabral.
5. Maria Joaquina dos Reis c/c Amandio Araújo e Silva
6. Claudina dos Reis c/c Carlos Verri.
7. Perciliano dos Reis c/c Jorgina Araújo.
8. Emília dos Reis c/c Bruno Zanella.
[23] Amâncio dos Reis (paulista) e Maria Joaquina foram pais de:
1. Emília Reis c/c Felizardo Farias de Lima.
2. Francisca dos Reis
3. Balbina dos Reis c/c João Alberto de Borba.
4. Francelina Ribeiro dos Reis c/c Vidal Rolim de Moura.
5. João Amâncio dos Reis
6. Amâncio Antônio dos Reis c/c Perpétua Taborda
7. Delfino Antônio dos Reis c/c Francisca Martins do Amaral.
8. Gertrudes dos Reis
9. José Antônio dos Reis 
10. Firmina Reis
[24] Dúvidas em relação aos filhos deste casal. O Pe. Pio Busnello cita 6 filhos (de forma confusa) em seus manuscritos genealógicos/ UNIJUI/RS.
[25] É provável que Rosalina tenha casado em 2ª núpcias.
[26] José Francisco de Aguiar e Maria da Luz foram pais de:
1. José de Aguiar
2. Belarmina Francisca de Aguiar c/c Elisário Schorn de Almeida.
3. Lino Antonio Aguiar c/c Eduvirges.
4. Vicência de Aguiar        
[27] Joaquim Antônio das Chagas casou com Virgilina Alves das Chagas, falecida aos 29 anos, a 4.12.1916 no 2º distrito de Santo Ângelo/RS filha de Pedro Alves da Silva e Ana Cecília de Almeida, com quem teve 4 filhos.
[28] Pedro Corrêa Taborda e Vicência foram pais de 3 filhos localizados:
1. Filodolfo Corrêa Taborda c/c Rosa Schorn de Aguiar.
2. Maria Vidalina Corrêa Taborda c/c Felipe Marques dos Santos.
3. Campolina Corrêa Taborda c/c Isidro Antonio da Silva.
[29] Maria da Luz filha de João Borges da Fontoura e Francisca Rosa de Jesus.
O casal Maria da Luz e Jose Manoel foram pais:
1. José Antunes de Aguiar
2. Belarmina Schorn de Aguiar
3. Lino Antonio de Aguiar
4. Vicência Eloisa de Aguiar cc Pedro Corrêa Taborda.
5. Isabel da luz Fonseca
6. Angélica da Luz Fonseca
[30] Mafalda foi mãe de:
1. Henriqueta do Amaral c/c João Henrique Schorn.
2. Castorina da Cunha Pessanha c/c Manoel Carpes de Carvalho (Cruz Alta/RS).
3. Gomercinda da Cunha Pessanha (Cruz Alta/RS).
4. João da Cunha Pessanha c/c Vicentina de Moraes.
5. Alcebíades da Cunha Pessanha c/c Amélia Ribeiro Severo.
6. Aristides da Cunha Pessanha c/c Lidia Caetana.
7. Etelvina da Cunha Pessanha c/c João Frederico Fucks?
8. Eduarda Julia do Amaral
9. Antonio da Cunha Pessanha c/c Lídia Caetana da Cunha.
[31] Francisco José Machado e Constança Maria, filha de Camilia dos Santos Ferreira, foram pais de:
1. Delfina Corrêa de Andrade c/c Virgilio José Machado.
2. Maurílio Corrêa de Oliveira c/c Turíbia da Silveira Pastoriza.
3. Crescêncio Corrêa de Andrade c/c Vitalina Santos de Oliveira.
4. Albano Pedro de Andrade c/c Maria Apolinária Burgdorff.
5. Brígida Corrêa de Andrade c/c seu tio Mariano de Oliveira (irmão de sua mãe).
6. Crescência Corrêa de Andrade c/c Vitalina dos Santos Oliveira.
[32] Ramires e Silvana, falecida a 29.7.1876, Santo Ângelo, filha de João Antônio de Vargas e Demétria Maria da Conceição, foram pais de:
1. Maria Nunes da Silva c/c Vicente Ribeiro Lemes
2. Generoso(a) Nunes da Silva
3. Serafim Nunes da Silva c/c Maria Francisca da Conceição (Rodrigues?).
4. Ana Nunes da Silva
5. Emilia Nunes da Silva, moradora de São Luiz Gonzaga/RS.
6. Cândida Nunes da Silva c/c Pedro Antonio de Moraes.
7. Salustiano Nunes da Silva, morador de São Luiz Gonzaga/RS.
8. João Nunes da Silva
9. Hortêncio Nunes da Silva.
[33] Manoel e Ana foram pais:
1. Olimpio de Moraes
2. Ana Lopes Carneiro c/c João Martins Carneiro.
3. Sebastiana Moraes do Amaral c/c Benjamim Constant do Amaral.
4. Elvira Rodrigues de Moraes c/c João Lopes do Amaral.
5. Rosa Lopes de Moraes
6. Laudelina Moraes
[34] Ver neste blog: Família Ferreira de Moraes/Ferreira Bicca.
[35] Jornal A Federação, de 4.12.1907, número 282, Biblioteca Nacional do RJ.
http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=388653&pesq=schorn
[36] Antero José e Maria Angélica foram pais de:
1. Joaquim Martins de Bittencourt c/c Josefina Schorn.
2. Amélia Martins de Bittencourt c/c Emerencio Teodoro Ferreira.
3. Adélia Martins de Bittencourt c/c Leocádio Ribeiro Lemos(es)/ Paz Maciel (?)
4. Aparício Martins de Bittencourt c/c Adelaide Pereira dos Santos.
5. Angélica Martins de Bittencourt c/c Ricardo Antunes/Rodrigues Padilha.
6. Adália Martins de Bittencourt c/c Hildebrando do Nascimento e Silva.
7. Aníbal Martins de Bittencourt c/c Justina Santos de Oliveira.
8. João Martins de Bittencourt c/c Brandina ou Bernardina Baptista do Nascimento.
[37] Conforme pesquisa de Ulrich Conrath, disponível em: http://gedbas.genealogy.net/person/show/1165467174
[38] Idem.
[39] Sobre a família Teuschel, acessar: Genealogias Teuschel e Zappe -https://sites.google.com/site/genealogiasachszappeporrmm/Home/arv_teuschel
[40] Conforme pesquisa de Ulrich Conrath, disponível em: http://gedbas.genealogy.net/person/show/1165467174
[41] Idem.
[42] Idem.