sexta-feira, 15 de junho de 2012

Italianos no RS: os Petuco


Italianos no RS: os Petuco

Autoria de Diego de Leão Pufal


[acréscimos, dúvidas e correções escreva para diegopufal@gmail.com]

[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: PUFAL, Diego de Leão. Italianos no RS: os Petuco, in blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/] 

[aos amigos Teniza, Diego e Fabiana]
[atualizado em 17-02-2014].

A família Petuco como tantas outras já tratadas neste blog fixou-se no 4º Distrito de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, no entorno da Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes.
Esta região de Porto Alegre estava na ocasião em franco desenvolvimento e expansão, tanto em razão da forte onda imigratória das últimas décadas de 1800, com a vinda de muitos italianos, poloneses, alemães, russos, etc., como também em virtude da expansão industrial no período.
Segundo Alexandre Fortes (Nós do quarto distrito ...: a classe trabalhadora portoalegrense e a Era Vargas. Caxias do Sul: Educs; Rio de Janeiro: Garamond, 2004, pp. 31/32 e 49):
[...] Na primeira metade do século XX, Porto Alegre experimentou um acelerado processo de crescimento urbano associado à expansão de seu parque industrial, que se articulava a uma rede de transportes de médio e longo cursos (navegação fluvial, ferrovia e aviação civil). O distrito industrial, constituído originalmente pelos bairros Navegantes e São João, e que posteriormente se expandiria para toda a zona norte da capital, concentraria o crescimento populacional da cidade no período.
A emergência desses bairros, caracterizados pela proximidade entre áreas de moradia e local de trabalho, marcou um novo momento na configuração da classe trabalhadora na cidade, com um amplo predomínio do emprego fabril, uma mudança na escala quantitativa (número total e concentração de trabalhadores por unidade) e o desenvolvimento de formas de sociabilidade e estratégias socioeconômicas familiares bastante distintas das que caracterizavam o operariado porto-alegrense até então [...].
[...] Encontramos uma grande diversidade de origens e trajetórias na experiência de migrantes, internacionais e nacionais, que participaram da constituição e expansão da região industrial de Porto Alegre na primeira metade do século... Todas elas, entretanto, gravitam em torno do grande impacto gerado pela expansão da indústria, seja na geração de empregos diretos ou de oportunidade indiretas, como a expansão das obras urbanas e da demanda de consumo popular [...].

Justamente nesta parte da cidade ainda afastada de “Porto Alegre” e caminho para as antigas colônias alemãs, é que muitos emigrantes e imigrantes se radicaram, alcançando ao longo do século XX os bairros de São João, Passo de Areia e o antigo “Passo do Feijó”, hoje Alvorada. Estes imigrantes não só subsidiaram as indústrias locais, como proprietários ou como mão-de-obra, mas também trouxeram identidade à localidade e sem dúvida expandiram “as fronteiras” da zona norte de Porto Alegre.
Com os Petuco não foi diferente, pois a relação de compadrio e os próprios casamentos dos filhos do imigrante indicam a integração das diversas comunidades locais, afora outras etnias, bem assim o percurso de seus integrantes nesta região da capital gaúcha e, sem dúvida, sua contribuição para o seu desenvolvimento.
Os Petuco/Petucco vieram da região de Vicenza, na Itália, sendo que vários ramos emigraram para o Rio Grande do Sul (Porto Alegre, Quarta Colônia, Veranópolis, Jaguari e Silveira Martins), não se conseguindo estabelecer, contudo, a relação entre eles.
Para Porto Alegre vieram Bortolo e Francesco Petuco, possivelmente irmãos, chegados com suas respectivas esposas e filhos em 04 de dezembro de 1892, no paquete Camillo, tendo aquele permanecido em Porto Alegre, enquanto este seguiu para a colônia de Jaguari. Na oportunidade, assim constou do registro (AHRS, C-198):
·         Bortolo Petuco, 29 anos, casado, alfabetizado, com a esposa Luigia, 19 anos, casada, entraram no RS a 04/12/1892 no paquete Camillo, saindo em 08/12/1892 para Porto Alegre;
·    Francesco Petuco, 35 anos, casado, alfabetizado, com a esposa Maria, 30 anos, alfabetizada, com os filhos Ângelo, 2 anos, e Giuseppe, um mês, entraram no RS em 04/12/1892 no paquete Camillo, saindo em 06/12/1892 para Jaguari.
Tratar-se-á aqui do ramo de Bortolo Petuco (em alguns registros dado como Bertholdo ou Bartholomeu Petuco), chegado e estabelecido em Porto Alegre/RS, cuja genealogia segue, adotando-se as seguintes abreviaturas:
“n.” para nascido(a)
“bat.” para batizado(a)
“fal.” para falecido(a)
1. Bortolo Petuco (Bertholdo ou Bartholomeu Petuco), nascido a 24/08/1863, provavelmente na região de Vicenza, Itália, sendo filho de Francesco Petuco e Angela Nicolli ou Nicoli, não emigrados para o Brasil. Bortolo, em 1899, ao ser internado na Santa Casa de Porto Alegre, declarou ser "chacareiro" de profissão, residente nos Navegantes, casado. Casou-se na Itália com Luzia Pigato (no Brasil: Lúcia Pigato), nascida a 23/04/1873 na Itália, filha de Vincenzo Pigato (Vicente Pigato) e Santa Sartori.
Pelos registros eclesiásticos, sabe-se que Bortolo e esposa no ano de 1905 residiam na Rua do Prado (atual rua Lauro Müller), no bairro Navegantes, enquanto que, em 1908, na rua Kappel (atual rua Santo Guerreiro).
Foram encontrados doze filhos do casal Bortolo e Luzia, cujos nomes seguem:
2.1 Josephina Petuco, n. 1º/5/1894, em Porto Alegre, bat. 23/09/1894 na igreja de N. Sra. da Conceição, tendo como padrinhos Antônio Borsoi (a família Borsoi foi tratada neste blog, vide: http://pufal.blogspot.com.br/2011/04/italianos-no-rs-viii-os-borsoi.html) e Josephina Pigossi, de quem levou o nome. Possivelmente Josephina tenha falecido pequena, já que uma irmã levou o mesmo nome, o que era comum na época.
2.2 Serafina Petuco, n. 28/10/1895, Porto Alegre, bat. 21/01/1896, na igreja de N. Sra. da Conceição. A 06/04/1911 casou-se na igreja de N. Sra. dos Navegantes com Arthur Koch, n. Porto Alegre, filho de Wilhelm Koch e Maria. Encontrou-se um filho deste casal de nome José Koch, n. 06/06/1912, Porto Alegre.
Registro de batismo de Serafina Petuco:
"Aos vinte um de Janeiro de mil oitocentos e noventa e seis, nesta Matriz da Conceição, baptizei 
solennemente a Serafina, nascida a vinte oito de Outubro do anno passado, filha legitima de Petuco Bertholi Antonio e Pigato Lucia, estes italianos e aquella desta cidade; avos paternos: Petuco Francisco e Angela Nicoli, maternos: Pigato Vicente e Santa Pigato. Padrinhos: João Tonelli e Carolina Marchiotto. O Vigr. Encomen.do P.e Chrispim Joaq.m de Campos Chagas."
[livro 4 da Igreja de N. Sra. da Conceição, p. 52, AHCMPA]
2.3 Alba ou Albina Petuco, n. 21/09/1898, Porto Alegre, bat. 25/09/1898, na igreja de N. Sra. da Conceição. Casou em Porto Alegre, a 20/11/1915, na igreja de N. Sra. dos Navegantes, com Cândido Martini, n. RS, filho de Giovanni Martini e Ana Norosini, italianos. Pais, ao menos, de: Ana, Bortolino Martini.
2.4 Theresina Gioconda Petuco (= Teresa Petuco), n. 16/12/1899, Porto Alegre, bat. 23/06/1900, na igreja de N. Sra. dos Navegantes, onde casou a 12/9/1917 (igreja São João Batista) com Victório Martini, n. 1896, Porto Alegre, filho de Giovanni Martini e Anna Norosini. Pais, ao menos, de: Alberto Bortolino Martini.
2.5 Iracema Maria Petuco, n. 1º/02/1901, Porto Alegre, bat. 31/01/1904 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Casou-se (I) a 14/06/1919 na igreja de S. João Batista, Porto Alegre, com João Batista Martini, ali n. 1898, filho de Luís Martini e Mariana Santinon (?). Após, Iracema casou-se (II) com João Brero, filho de Antônio Brero e Margarida, deixando descendência.
2.6 Josephina Petuco, n. 11/09/1902, Porto Alegre, bat. 16/11/1902 na Igreja N. Sra. dos Navegantes. Casou-se a 29/10/1922 na igreja de São João Batista, em Porto Alegre, com Gustavo Adolfo Jacoby, n. 1894, Osório/RS, filho de Felipe Jacoby e Maria.
2.7 Ângela Petuco (ou Angelina Petuco), n. 18/01/1904, Porto Alegre, bat. 19/03/1904 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Casou-se a 16/12/1925 na igreja São João Batista em Porto Alegre com Antônio Carlos Bianchessi, n. 1904, Porto Alegre, filho de João Bianchessi e Catarina Lachini.
2.8 Giuseppe Petuco (ou José Petuco), n. 06/05/1905, Porto Alegre, bat. 07/09/1905 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. 
Registro de batismo de Giuseppe Petuco:
 "Aos 7 de Setembro de 1905, nesta Capella de N.ª S.ª dos Navegantes, baptizei solennemente a Giuseppe, nascido a 6 de Maio de 1905. Paes: Bortolo Petuco e Lucia Pigato. Avós paternos: Francisco Pettuco e Angela Nicoli. Avós maternos: Vincenzo Pigato e Santa Sartori. Padrinhos: Bortolo Barbieri e Maria Vicentin (D. C. rua do Prado Navegante) (Padre José. M. Moreau)."[livro 3 da Igreja de N. Sra. dos Navegantes, p. 16, AHCMPA]
Giuseppe Petuco casou-se a 05/02/1927 na igreja de São João com Idalina Soster, n. 18/09/1908, Porto Alegre, bat. 12/11/1908 na igreja de N. Sra. da Conceição, filha dos italianos Domenico Soster e Marieta ou Maria Parisotto, radicados em Porto Alegre, onde deixaram larga descendência.
Registro de casamento de José Petuco e Idalina Soster:
"Aos cinco dias do anno digo do mez de Fevereiro do anno de 1927, nesta egreja Matriz de São João, depois dos trez proclamas canonicos e demais formalidades prescriptas, por palavras de presente, na forma do Ritual, em minha presença e das testemunhas Pellegrino Soster e Victorino Martini, receberam-se em matrimonio José Pettuco e Idalina Soster; elle filho leg.mo de Bartholomeu Pettuco e D.ª Lucia Pigato, solteiro, com 21 annos de idade, nascido e baptizado nos Navegantes e residente nesta parochia; ella filha leg.ma de Domingo Soster e de D.ª Maria Parisoto, solteira, com 18 annos de idade, nascida e baptizada na parochia da Conceição nesta cidade e residente nesta parochia. Em seguida dei-lhes a benção nupcial. E para constar lavrei este termo que assigno. O Vigario (...)."
[livro 1 da igreja de São João do Passo de Areia, p. 82, AHCMA]
José Petuco e Idalina geraram nove filhos: Bortolino, Therezinha, Irma, Wilma, Antônio Alberto, Lauro, Breno, Francisco e Maria Lúcia Petuco.
Dos filhos de José e Idalina destaca-se:
3.1 Bortolino Petuco, n. 15/09/1927 no Passo da Mangueira, Porto Alegre, bat. 31/01/1928 na igreja São Pedro, e fal. em Alvorada. Em 15/09/1951, ao casar, declarou-se agricultor. Foi casado com Irma de Souza Feijó, n. 08/05/1933, Porto Alegre, onde fal. 07/07/2007, filha de Amperino de Souza Feijó e Hodilia Pastoriza, primos entre si e descendentes de conhecidas famílias de Viamão.
Bortolino e Irma foram pais de: Teniza Fátima Petuco que se casou com Nilo José do Nascimento, gerando Fabiana e Diego Petuco do Nascimento.
A família “Souza Feijó” teve origem no Rio Grande do Sul com a vinda de Manuel de Souza Feijó, açoriano da freguesia de São Roque, na Ilha de São Miguel, onde nasceu no ano de 1753, tendo falecido em 1835 em Viamão. Foi casado por três vezes, deixando quinze filhos nascidos em Viamão a partir do ano de 1784.
Já a família Pastoriza é descendente do espanhol Manuel Pastoril Rosales, nascido em meados de 1750 na freguesia de São Pedro de Damaso, bispado de Santiago, na Galícia, emigrado para Enseada de Brito/SC, passando por Laguna/SC e dali vindo para Viamão, onde deixou considerável descendência, traduzindo o sobrenome “Pastoril” para Pastoriza.
2.9 Santina Petuco (Santa Petuco), n. 06/06/1907, Porto Alegre, bat. 19/01/1908 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Casou-se a 05/09/1925 na igreja de São João Batista com Waldemar Antonello, n. 5/3/1905, Porto Alegre, filho dos italianos Giovanni Antonello e Emilia Semensato, casados em 30/04/1892 em Porto Alegre, neto paterno de Pietro Antonello e Maria Martini e, materno, de Baptista Semensato/Semezzato e Carolina.
2.10 Antônio Petuco, n. 09/03/1912, Porto Alegre, bat. 20/04/1913 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Foi casado, deixando descendência.
2.11 Anita Petuco, n. 18/09/1913, Porto Alegre, bat. 26/04/1914 na igreja de N. Sra. dos Navegantes.
2.12 Francisco Petuco, n. 04/04/1915, Porto Alegre, bat. 07/07/1915 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Talvez seja o mesmo Francisco Petuco que dá nome à rua em Porto Alegre.

Fontes:
- Arquivo da Igreja dos Santos dos Últimos Dias. Arquivo.
- Arquivo Histórico da Cúria Metropolitana de Porto Alegre (AHCMPA): livros de batismos da igreja de N. Sra. da Conceição; livros de batismos e casamentos da igreja N. Sra. dos Navegantes; livros de casamento da igreja S. João Batista e livros de batismo da igreja São Pedro.
- Arquivo Histórico do Estado do Rio Grande do Sul (AHRS): fundo colonização, livro de entradas de imigrantes (C198).
- FORTES, Alexandre. Nós do quarto distrito ...: a classe trabalhadora portoalegrense e a Era Vargas. Caxias do Sul: Educs; Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

Um comentário:

Rafael Petucco disse...

Me chamo Rafael almeida da silva, filho de Ricardo, neto de Maria Lucia Petuco, bisneto de José Petucco(Giuseppe), trisneto de Bortolo petucco. Tenho todos os papeis referente a cidadania dos mesmo da familia Petucco, quem tiver interessado favor entrar em contato via email RAFAELPETUCCO@GMAIL.COM ou pelos fone 93661296, 82692237. Abraços a todos