terça-feira, 15 de maio de 2012

Poesias de Mário da Silva Brasil


Poesias de Mário da Silva Brasil

Desde julho de 2008 venho veiculando neste blog algumas poesias do meu bisavô Mário da Silva Brasil, as quais foram escritas em sua grande maioria na década de 1910, na cidade de Porto Alegre.Muitas delas foram publicadas nos jornais da época, já outras ficaram registradas em seu caderno.

Para que as obras de Mário da Silva Brasil não fiquem no esquecimento, disponibilizo mais uma de suas poesias, preservando-se a escrita da época:
 Dever 
Amar?! Para que amar sem ser amado
Si o amor é illusão, sonho, chiméra,
Para quem já me foi muito sincera
E, hoje em dia, me tem abandonado?!

Para que volvo às cinzas do passado
Si ainda vejo florida a primavera
Viçosa de meus annos? Nem quizéra
Rever o que já tenho atraz deixado,

Si não fôra autolhar a cada instante
Aquella que jurou-me ser constante,
E que ingrata me foi, em realidade,

Esquecel-a é um dever, e com razão,
Pois tenho agora a fervida amizade
De quem amo e a quem dei o coração!

Porto Alegre, 21-8-1910.

39 comentários:

Dr. Brasil disse...

SONETO DO AMANHECER
Brasil Andrade Holsbach

Boa-noite não digo mais
porque a noite é sempre boa:
see somos nós desiguais
a noite não se destoa.

Mas dizer um boa-noite
faz bem a qualquer pessoa:
afasta com forte açoite o mal do pensar atoa.

Contemple a bela hora
do parto do novo dia
envolto no rubro-véu:

raia pungente aurora,
rasga-se a fantasia,
tinge-se todo o céu!...

Sou cidadão honorário de Guaíra (PR), procurador jurídico aposentado, advogado e parecerista em final de carreira, professor de direito constitucional e direito administrativo na reserva, pescador militante, amante da boa música (aluno de teclado), ex-aluno de pintura e de pirogravura). Sou filho de Henrique Andrade Holsbach e Glória Lola Rodrigues Holsbach, neto de Jovino e Generosa, bisneto de Henrique Holsbach, marido de Ilza Avila Dornelles Holsbach, pai de ILzaneiva, Ilsonei e Brasil, avô de Pedro, Amanda e Bianca, todos de sobrenome Avila Vargas Dornelles Andrade Holsbach. Primo de Nery da Costa (desembargador federal da 3a. Região, filho no Nery e da prima-irmã Argemir Holsbach) Visito parentes no Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul.
Contato: holsbach.dr.brasil@gmail.com

Dr. Brasil disse...

FURACÃO A VISTA :aviso amigo aos gaúchos (gremistas e colorados)

O FURACÃO E O URUBU

Autor: Brasil Andrade Holsbach


Tadinho do corvo
tinha cara de bom
mas por duas vezes
bicou o furacão

(viu no que deu?)

Só 4 golzinhos
mais 4 revezes
tremeu sobre as pernas
e se escrafedeu.

(Não mais se entendeu?)

Tal chuva de gol
o carioca enguliu
não mais se aguentou
e de quatro caiu.

(P'ra onde sumiu?
-De quarto caíu?!...
Teria virado
um pinto pelado?)

Na terra carioca
foi rei do Maraca

fez gol quatro vezes
trombou no Menezes
de cabeça tonta
pedindo sua conta.

Guaira (pr), 19.09.2013 - 21,30h
Rio de Janeiro - Maracanã - CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE: 4
flamengo............................... 2

No Dorival Brito
Também fez bonito
Com um gol de placa
Penteou a macaca.

(22.09.2013- 21,30h)

Dr. Brasil disse...

O FURACÃO E O URUBU

Autor: Brasil Andrade Holsbach


Tadinho do corvo
tinha cara de bom
mas por duas vezes
bicou o furacão

(viu no que deu?)

Só 4 golzinhos
mais 4 revezes
tremeu sobre as pernas
e se escrafedeu.

(Não mais se entendeu?)

Tal chuva de gol
o carioca enguliu
não mais se aguentou
e de quatro caiu.

(P'ra onde sumiu?
-De quarto caíu?!...
Teria virado
um pinto pelado?)

Na terra carioca
foi rei do Maraca

fez gol quatro vezes
trombou no Menezes
de cabeça tonta
pedindo sua conta.

Guaira (pr), 19.09.2013 - 21,30h
Rio de Janeiro - Maracanã - CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE: 4
flamengo............................... 2

No Dorival Brito
Também fez bonito
Com um gol de placa
Penteou a macaca.

(22.09.2013- 21,30h)

Brasil disse...

O FOTÓGRAFO DE CAXIAS
- Brasil Andrade Holsbach -

Convocou o senhor de tudo
Patrick, predestinada mente,
Para, não mais que de repente,
Extasiar-nos a todos mudos.

De benesse não se reclama
nem da magia de um porvir.
Cumpre-nos apenas repartir,
pois amamos e Deus nos ama.

Quem da terra mirou o céu,
co’ a presteza de quem não erra
e que da noiva flagrou o véu,
do céu fotografa a terra.

De Guaíra (PR) p/Caxias do Sul (RS), 16 de junho de 2014.
(Homenagem post mortem a Patrick Becker)

Brasil disse...

O FOTÓGRAFO DE CAXIAS
- Brasil Andrade Holsbach -

Convocou o senhor de tudo
Patrick, predestinada mente,
Para, não mais que de repente,
Extasiar-nos a todos mudos.

De benesse não se reclama
nem da magia de um porvir.
Cumpre-nos apenas repartir,
pois amamos e Deus nos ama.

Quem da terra mirou o céu,
co’ a presteza de quem não erra
e que da noiva flagrou o véu,
do céu fotografa a terra.

De Guaíra (PR) p/Caxias do Sul (RS), 16 de junho de 2014.
(Homenagem post mortem a Patrick Becker)

Brasil disse...

ZUADA TRICOLOR PAULISTA
- Brasil Andrade Holsbach-
(refrão cantado)
O Badi
o badá
Eu vi
São Paulo a-
panhá ,,,

(falando baixinho: E CLÉU neles..).

(declamado)
O gol co’a mão
do São Paulo
salvação
salvou o paulista
da maior
humilhação.

(repete o refrão: o BADI... o badá... e CRÉO neles)

E o time
do milhão
pra empatá
c’o FURACÃO
teve que apelar
p´ra chutar
bola de mão.
(Atlético Paranaense 2x2 São Paulo – Uberlândia, 28.05.2014 – brasileirão)
EM TEMPO
(Receita milionária p´ra curar dor de corno tricolor e afinar a voz da torcida atleticana: pegue pato, ganso, “Muriçoca”, tempere com o “coentroavante fabuloso” mexa com a mão e ferva tudo na panela de pressão da torcida sãopaulina até a véspera do campeonato mundial e no dia seguinte esquente o peito da caveira fanática rubro-negra na ARENA DA BAIXADA durante a copa de 2014. Berro e xingação ao gosto do torcedor... direitos autoriais reservados pela lei da “Fiofó”)

Brasil disse...

29984263

Brasil disse...

MEU QUERIDO BEIJA-FLOR
Brasil Andrade Holsbach

Um beija-flor veio pousar
na palma da minha mao
p’ra comigo aliviar
sua triste solidão.

Não me sinto mais sozinho
na morada tão modesta.
O mais belo passarinho
veio em casa fazer festa.

Imensa sabedoria
revela o Senhor meu Deus
na plenitude do seu amor.

Inesgotavel alegria
me traz a ave dos céus
meu querido beija-flor.

Brasil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Brasil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Brasil disse...

UMA TORCEDORA ITALO-BRASILEIRA
Brasil Andrade Holsbach

O Uruguai
Inda não sai.
Pegou a Azurra,
deu-lhe uma surra.

Faz pouco mal
para Marcinha,
bela sobrinha
binacional.

Azurra vai embora,
torce o nariz.
Ninguem diz
que ela chora...

Da rede ela vê
sob o céu anil
na sua TV
ganhar o Brasil

Itala e’ tetra
Brasuca, penta..
Tem nove titulos
Pouco s’esquenta.

Para Marcia Holsbach Beltrame,,minha afilhada-sobrinha – uma torcedora binacional
Uruguai 1 x 0 Italia (FIFA world cup 2014)
Guaira, inicio do inverno de 2014

Brasil disse...

MEUS SETENTA E TRÊS
Brasil Andrade Holsbach

Neste meu aniversário
não fiquei dentro do armário.
Marianinha e Salomão
me estenderam sua mão.
Até o Fábio e o Denir
me abraçaram a sorrir
(vieram de Ponta Porã).

De Cascavel o irmão Haroldo
se encontrou com o Jovino
e em Guaíra sob o toldo
foi churrasco do grã-fino:
três irmãos se abraçando,
a curtir no pé de manga
(e o amor da mãe vibrando).

Em Curitiba Ilza e filha
com Jandira e Pantomil
completaram a família
p’ra saudar o pai Brasil.
(que a saúde do ilsonei
é p’ra nós suprema lei).


Quando se ama distante
Não se briga a cada instante.
Nunca me senti sozinho,
vou seguindo meu caminho
(posso até viver errante).

A mensagem de Ilzaneiva
perfumou meu coração
qual na árvore a seiva
é pura vida e emoção;
lenitivo para a alma
ora aquece ora acalma
no repasso do compasso
da vidinha do paizâo.
(p’ros meus filhos sou campeão).

Uma família Deus me deu
p’ra me dar felicidade
Quem na terra vive o céu
não tem peso na idade
e é melhor o ar das águas
que o ar de qualquer cidade.
(Dia doze deste mês
Entrei nos setenta e três)...



Brasil Andrade Holsbach disse...

DIA DO CONTABILISTA – 24.04.2015

Lembrei-me do CRC pr 10.297- meu número na primeira profissão conquistada a duras penas depois de um longo período de prática como auxiliar de contabilidade exercida em Toledo com Frederico Adão Ebling e Ondy Hélio Niederauer (Escritório de Comércio e Contabilidade – 1956, 1957); Auto Mecânica Toledo Ltda. (1958-1959, na frente do bar do Fachin - sairia dali o último ministro do Supremo Tribunal Federal Luis Edson Fachin?); Empório Toledo Ltda. (Egon Pudell, Antônio Mazurek, Jurgen Klaus Fritz Bercht, Lúcia, Oscar Ruaro) e continuada em Guaíra com Nodovir de Almeida Prohmann e o Serviço de Navegação da Bacia do Prata (1960 a 1967). Para chegar até lá , fundei o Colégio Comercial de Guaíra (Escola Técnica de Contabilidade) - a primeira escola noturna de Guaíra - com a missão de viabilizar o acesso ao curso superior a quem trabalhava de dia, a exemplo da atual médica nefrologista Zuleika Ferreira de Almeida. Fui auxiliado pelos alunos (tesoureiro Sgt. Aureliano Gutierrez e secretário Ermínio Vendrúscolo) que se dispuseram a compor a primeira turma ao lado de Milcíades Mancilha Sampaio, Félix Thomé, Luziano Welter Sgt Nilo da Cunha, Sgt Martins, Sgt. Jesus Toré Comim e outros. Para ter a entidade mantenedora exigida pelo Ministério de Educação e Cultura, consegui apoio da direção da Campanha Nacional de Educandários Gratuitos (CNEG) nas pessoas de Kurt Walther Hasper (Prefeito e presidente local); presidentes estaduais Arnaldo Faivro Busato (médico e deputado federal – um político certamente governador do Paraná não fora prematuramente ceifado pelo câncer) e Brig. Mário Calmon Eppinghaus (atualmente nome de praça de Curitiba pós morte de acidente aéreo); Felipe Tiago Gomes (idealizador e fundador da Campanha, cuja amizade me contagiara na fundação do setor local de Guaíra contemporâneo à fundação do Ginásio Industrial Presidente Getúlio Vargas) chancelou a confiança do sucesso do empreendimento – a exemplo do papel desempenhado pela presidente da FENASP Lizair Guarino de Moraes Guerreiro mais tarde minha incentivadora na fundação de outro educandário especial: a Sociedade Pestalozzi de Guaíra propulsora do projeto de decreto-legislativo que em 1911 me honrou com título de cidadão honorário da minha segunda cidade, já que a primeira é Amambay – cidade matogrossense onde abri os olhos para a luz do mundo terreno. Para vencer a barreira do tempo supri a inexistência do xerox pela fotocópia. Que era fotocópia? – A foto da cópia, na ocasião exercida pelo fotógrafo Vitoldo Tadeu Grus, expressou-se nas fotografias tiradas dos documentos dos professores dentre os quais os diplomas do promotor Rogério Luz, primeiro Diretor do Colégio, do juiz de direito e mais tarde desembargador Sidney Mora, do promotor Eduardo Plinta Troian, autenticadas pela tabelioa Nélida Esther Zeballos Rolon. Como quem queria a escola era eu (para não estudar fora de Guaíra), paguei tudo o que me exigiu o MEC, inclusive essas fotocópias, autenticações, e os livros comprados em Curitiba na Companhia Editora Nacional.
Depois da aula inaugural uma simples fórmula solucionou a manutenção da Escola: administradores e diretores trabalhavam de graça. No fim do mês o tesoureiro, que tudo documentava e contabilizava, dividia pelo número de aluno o total das despesas com giz e professores e o resultada era a mensalidade dos alunos. A fórmula, legalizada em ata, resultou numa auto-gestão sem déficit nem superávit – só quebrada quando Milcíades Mancilha Sampaio e eu transferimos espontaneamente mandato e gestão à pessoa que trocou por comunidade a palavra gratuita (CNEG transformou-se em CNEC), passou a remunerar as funções dantes múnus público, empregou parentes, fechou a escola de contabilidade e, para não falir, vendeu mais da metade dos 24.200m2 (um alqueire paulista) do imóvel doado pela Prefeitura para o funcionamento da CNEC.

Brasil Andrade Holsbach disse...

Registro esta memória no dia do contabilista para homenagear os amigos, colegas e alunos, que me acompanharam numa época de aventuras e desventuras, num lugar e num tempo em que se vivia honestamente uma vida feliz, ouvindo o marulhar das águas, dormindo sob o afago da briza, aquecendo-se na luz do sol. Lembro-me da filhinha Ilzaneiva quase meia noite a respirar o doce aroma do sete-capotes e da guabirobeira na melodia das 7 Quedas. Nas noites quentes a sinfonia das corredeiras transmudava-se em palco de sonhos da frágil criança...Seu anjinho da guarda a embalava sobre o abismo das águas e ela vencia o medo: dormia...
Quem tiver olhos p´ra ver e ouvidos p´ra ouvir, ainda hoje - na Peruzzi, na Ilha Grande, na barranca do Paraná - dorme e sonha na noite cálida do estio guairense – muitas vezes no barco com a carretilha na mão... ouvindo a saracura e o sussurro da corredeira...

Brasil disse...

FESTA EM PONTA PORÃ
- Brasil Andrade Holsbach –

Amanhece o dia
só alegria
nesta manhã
de Ponta Porã.

Tudo de “bão”
pr’o amigo Fabão
com seu violão
tocando o festão.

No costume
da fronteira
faça festa
bem faceira,

toque viola
bem lijeira
no sertão,
na ribanceira...

Não esqueça
mais de nada,
da cerveja
bem gelada...

do bom lenço
no pescoço
e do churrasco
no sal grosso.

No clarear da madrugada
ouço a voz da passarada
a chilrear qual campanário
p’ra brindar teu aniversário.

Chegou a hora
de ir embora.
Na distância,
estou por fora...

Só te envio
meu abraço
p´ra aliviar
o meu cansaço,

enquanto espero
em melhor dia
partilhar
tua alegria.

Curitiba, aniversário de Fábio Teixeira Dorneles,
dia frio de outono de 2015 – sábado, 09 de maio.

Brasil disse...

DESABROCHAR DA FLOR: mistério do amor
- Brasil Andrade Holsbach –

No mistério do amor
aliviado da dor
contemplei esta flor
e pensei no Senhor.

Olhando p´ro ar
me quedei a cismar:
como desabrochar
sem alguém a insuflar?

A aspirar tal perfume
aflora-me o lume
de um vagalume:
Deus tudo resume...

Tudo simplifica
na água tão rica
que a fluir da bica
meu ser fortifica.

Vejo no horizonte
o tempo de ontem
que por trás do monte
reflete na fonte.

Ao amor do meu Deus
minha alma cedeu
co’a essência do céu.
Esse cara sou eu!...

Brasil disse...

MADRUGADA, LUA CLARA
- Brasil Andrade Holsbach –

Madrugada, lua clara,
minha alma se declara:
no esplendor qual uma flor
desabrocha meu amor.

Lá no céu de cor azul
entre estrelas do luzeiro,
noite calma, céu faceiro,
surge o cruzeiro do sul.

E nos braços dessa cruz
p´ra perdoar o meu pecado
a sorrir dependurado
vejo o rosto de Jesus.

Brasil disse...

PINGOS DE PRATA
- Brasil Andrade Holsbach –

Me deu
u’amigo
presente
de nata:
uma planta
que encanta,
que forma
cascata...

Pulando...
caindo...
no canto
da mata...
se alegra,
s’enfeita...
com pingos
de prata.

E o nó do
bordado
a rendeira
desata:
costura,
crocheta,
remenda,
..remata...

Desenho
perfeito,
pureza de amor:
só pode
ser feito
por Nosso
Senhor!

Brasil disse...

SÓ VOCÊ PODE SALVAR SEU PAÍS

- Brasil Andrade Holsbach no 74º aniversário –

Se, na profética sabedoria de Geraldo Vandré, “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, já passou da hora de caras pintadas e paneleiros colorirem espaços públicos e retumbarem tambores para exigir do Constituinte a adequação do texto constitucional (PEC) ao exercício da cidadania. Ser cidadão é não só outorgar procuração, mas revogar o mandato procuratório quando não lhe presta contas o mandatário ou, quando dizer sim ou não, se faz mister para aprovar ou rejeitar a lei votada pelo representante popular.
A síntese seleciona uma palavra para o ponto de partida da passagem do estado liberal ao estado social, ou, em outros termos, passagem do poder nacional ao poder popular. A palavra mágica é REFERENDUM. Em regime de urgência, referendum é instrumento suficiente para que “todo o poder emane do povo e em seu nome seja exercido”. Mais tarde também recal e plebiscitum. Uma PEC (projeto de emenda constitucional) com meia dúzia de artigos reduziria a um texto singelo, porém eficaz, toda a reforma política de que o povo brasileiro necessita para concretizar a "folha de papel" de Ferdinando Lassalle (a constituição escrita difere da aplicada)...
Muita discussão cria complexidade e acaba em nada; precisamos ser simples, práticos e objetivos. Nossa Constituição guarda no cofre a arma do povo: a sanção das leis (ou a promulgação) seguida da publicação é ato final que no processo legislativo cria a lei, põe-na em vigência e lhe confere obrigatoriedade “omnibus” (palavra latina - “para todos” na língua portuguesa. Daí, ônibus). Cabe ao Poder Constituinte Derivado (2o. grau) abrir o cofre e entregar ao eleitor a chave a que chamo referendum (aportuguesada, referendo). Basta uma PEC retirar do eleito (congresso nacional) e devolver ao eleitor o poder de referendar emendas constitucionais e demais atos legislativos.
Continuaria a multifacetada representatividade territorial dos anseios da nação sendo exercida pelo parlamento. Exceto vigência e obrigatoriedade do cumprimento da lei em nada seria afetado o poder do parlamento (que – reconheçamos - hoje beira as raias do absolutismo, por isso que lhe reclamam moderação dois princípios constitucionais: a) democrático: b) republicano.
O parlamento não perderia o papel de caixa de ressonância das aspirações populares – nas imagens que vemos na TV Câmara e na TV Senado - quais a proporcionalidade democrática entre os eleitos no exercício da apresentação e discussão de projetos: o controle de constitucionalidade e a identificação de finalidades e de interesses públicos. Tampouco se toca no poder de aprovação da lei pelo plenário da Casa Legislativa. A única mudança é devolver ao eleitor o poder de dizer sim ou não às propostas votadas por nossos procuradores.
No território brasileiro o eleitor, ao referendar a lei conferindo-lhe obrigatoriedade (e eficácia), passará a exercer o poder popular tal qual no condomínio residencial exerce poder o condômino. O Síndico não aplica o dinheiro da taxa de condomínio fora das finalidades autorizadas em ata pelo condômino.
A República Federativa do Brasil é condomínio dos brasileiros, posto que, sendo república é de todos (res pública = coisa pública) e por ser estado democrático o poder que ao condômino pertence dele deve partir e com ele permanecer para comando das suas ordens e controle dos seus “representantes”. Representante = aquele que representa. A representação se faz pela outorga de mandato (voto do eleitor). Mandato é instrumento procuratório. O poder do mandatário encontra limite no poder do mandante.
Se o referendum (já previsto na Constituição) estivesse em vigência, o poder estatal não estaria concentrado no órgão Executivo e o eleitor teria dito NÃO a todo ato de desvio de finalidade do dinheiro público.
(Segue...)

Brasil disse...

SÓ VOCÊ PODE SALVAR SEU PAÍS

- Brasil Andrade Holsbach no 74º aniversário –

Se, na profética sabedoria de Geraldo Vandré, “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, já passou da hora de caras pintadas e paneleiros colorirem espaços públicos e retumbarem tambores para exigir do Constituinte a adequação do texto constitucional (PEC) ao exercício da cidadania. Ser cidadão é não só outorgar procuração, mas revogar o mandato procuratório quando não lhe presta contas o mandatário ou, quando dizer sim ou não, se faz mister para aprovar ou rejeitar a lei votada pelo representante popular.
A síntese seleciona uma palavra para o ponto de partida da passagem do estado liberal ao estado social, ou, em outros termos, passagem do poder nacional ao poder popular. A palavra mágica é REFERENDUM. Em regime de urgência, referendum é instrumento suficiente para que “todo o poder emane do povo e em seu nome seja exercido”. Mais tarde também recal e plebiscitum. Uma PEC (projeto de emenda constitucional) com meia dúzia de artigos reduziria a um texto singelo, porém eficaz, toda a reforma política de que o povo brasileiro necessita para concretizar a "folha de papel" de Ferdinando Lassalle (a constituição escrita difere da aplicada)...
Muita discussão cria complexidade e acaba em nada; precisamos ser simples, práticos e objetivos. Nossa Constituição guarda no cofre a arma do povo: a sanção das leis (ou a promulgação) seguida da publicação é ato final que no processo legislativo cria a lei, põe-na em vigência e lhe confere obrigatoriedade “omnibus” (palavra latina - “para todos” na língua portuguesa. Daí, ônibus). Cabe ao Poder Constituinte Derivado (2o. grau) abrir o cofre e entregar ao eleitor a chave a que chamo referendum (aportuguesada, referendo). Basta uma PEC retirar do eleito (congresso nacional) e devolver ao eleitor o poder de referendar emendas constitucionais e demais atos legislativos.
Continuaria a multifacetada representatividade territorial dos anseios da nação sendo exercida pelo parlamento. Exceto vigência e obrigatoriedade do cumprimento da lei em nada seria afetado o poder do parlamento (que – reconheçamos - hoje beira as raias do absolutismo, por isso que lhe reclamam moderação dois princípios constitucionais: a) democrático: b) republicano.
O parlamento não perderia o papel de caixa de ressonância das aspirações populares – nas imagens que vemos na TV Câmara e na TV Senado - quais a proporcionalidade democrática entre os eleitos no exercício da apresentação e discussão de projetos: o controle de constitucionalidade e a identificação de finalidades e de interesses públicos. Tampouco se toca no poder de aprovação da lei pelo plenário da Casa Legislativa. A única mudança é devolver ao eleitor o poder de dizer sim ou não às propostas votadas por nossos procuradores.
No território brasileiro o eleitor, ao referendar a lei conferindo-lhe obrigatoriedade (e eficácia), passará a exercer o poder popular tal qual no condomínio residencial exerce poder o condômino. O Síndico não aplica o dinheiro da taxa de condomínio fora das finalidades autorizadas em ata pelo condômino.
A República Federativa do Brasil é condomínio dos brasileiros, posto que, sendo república é de todos (res pública = coisa pública) e por ser estado democrático o poder que ao condômino pertence dele deve partir e com ele permanecer para comando das suas ordens e controle dos seus “representantes”. Representante = aquele que representa. A representação se faz pela outorga de mandato (voto do eleitor). Mandato é instrumento procuratório. O poder do mandatário encontra limite no poder do mandante.
Se o referendum (já previsto na Constituição) estivesse em vigência, o poder estatal não estaria concentrado no órgão Executivo e o eleitor teria dito NÃO a todo ato de desvio de finalidade do dinheiro público.
(Segue...)

Brasil disse...

SÓ VOCÊ PODE SALVAR SEU PAÍS (seqüência)

- Brasil Andrade Holsbach no 74º aniversário –


A arma legislativa do ditador (decreto-lei eufemizado medida provisória) só entraria em vigor se referendada pelo voto popular - a vontade geral tem força para lhe desestimular o uso abusivo. Pouco restará à reforma política com o manejo do referendo. O petrolão e o mensalão escancararam pela mídia televisiva a fonte da corrupção: financiado pelo empreiteiro, pelo banco e até pela estatal, o político eleito transforma-se em mandatário do seu financiador de campanha – este sim, seu verdadeiro eleitor. Pois ao dizer sim ou não à lei elaborada pelo político, o eleitor retoma esse poder.

SÓ MAIS UM LEMBRETE: o referendum quebra o poder absoluto dos partidos políticos. Os partidos têm donos. Você pode ser o melhor administrador ou legislador e está impedido de se candidatar. Quem manda é o cacique político. Não existe candidatura avulsa. Brizola e Collor criaram seus próprios partidos. E haja dinheiro de financiador... a ser devolvido com tributos pagos pelo contribuinte... Quem são os partidos mais ricos e poderosos? – PT e PSDB com PMDB fiel da balança. Convencionou a mídia (e petistas pregam abertamente) que na queda do PT o Brasil cai nos braços do PSDB – e dizem que respiramos democracia... Na verdade isso poderá ocorrer se o eleitor se deixar levar pelo poder da mídia. Se votar conscientemente o resultado será colhido na apuração das urnas e só então o vencedor será conhecido. De qualquer forma, vença quem vencer, a última palavra será do eleitor, sempre que referendar os atos praticados por aqueles em quem votou. "Todo poder emana do povo e em se nome será exercido" - impossível sem utilização do instituto do "referendum" - que suplanta o "cheque em branco do plebiscitum"...
Plebiscito (como votei em 1961 quando Tancredo Neves e Brochado da Rocha – data vênia - faliram o sistema parlamentarista) só serve para interesses públicos de domínio geral, por exemplo, decidir entre monarquia ou república.

Brasil disse...


SE O VENTO ME LEVASSE II


(por Brasil Andrade Holsbach)


Se o vento me levasse
pelos ermos onde andei
e o Senhor me repassasse
nas veredas que passei,


o meu peito pulsaria
com o sangue a ferver
e outro beijo te daria
como aquele que te dei...


Navegava em belas nuvens
no infinito azul do céu
p’ra pegar os carneirinhos
e botar no colo teu!


E depois, num cisne branco,
a singrar águas dos mares,
namorava teus olhares,
entre brisa e som dos ares...


O poder do pensamento
leva longe... bem distante...
a tristeza, o sofrimento...
a saudade delirante....


Dava um beijo na tua face -
agradecendo o amor que amei -
se o vento me levasse
pelos ermos onde andei!...



Guaíra, 12 de junho de 2016 - 8h – 2 graus – DIA DOS NAMORADOS.

Brasil disse...

QUE VONTADE DE IR EMBORA
(por Brasil Andrade Holsbach)


A saudade já é tanta,
dá vontade de ir embora...
espremer o nó da garganta,
derramar tudo p’ra fora...

Abrir asas e alçar voo
sem ligarp’ra onde ir;
pouco importa p’r’ onde for
pode ser qualquer porvir.

Deletar gente qualquer
p’ra deixar só na memória
quem me ama e quem me quer
p’ro epílogo da história...

Pode ser isso loucura
duma mente já cansada,
mas me soa qual doçura
nesta etapa da minh’estrada...

Da pessoa que se finge
de amigo verdadeiro
me despeço qual a esfinge
lá do alto do outeiro.

P’ros amigos de verdade
e p’ra pessoa bem querida
deixo tudo que a bondade
amealhou na minha vida...

Já estou indo, já estou fora,
estou chegando no espaço...
Que vontade de ir embora...
Só te deixo meu abraço!...

(Guaíra, 11:15h, terça-feira, 17.05.2016.





Brasil disse...

No dia do seu 104º. aniversário de emancipação político-administrativa, brindo PONTA PORÃ – que, há mais de um século, abraçou em sua porta o Henrique (meu bisavô) da tedesca FAMÍLIA HOLSBACH, no final de uma saga recheada de aventuras, desde Santa Maria, Rio Grande do Sul, passando pela Argentina e pelo Paraguay...


PONTA PORÃ DA HARPA E DA VIOLA
(por Brasil Andrade Holsbach)

Quando o sol desponta na linda manhã
já passa da conta ser Ponta Porã,
por isso quem nasce no belo rincão
chega co’ a sina de ser bonachão!

Melhora quem sente no seu coração
a harpa que vibra no fronte irmão.
Dois povos se ligam na linha sem nó:
de duas cidades fazendo uma só.

O gaúcho muda o que era sertão
na nova cidade assim bela qual é,
troca o chimarrão pelo tereré
a cantar chamamé e tocar violão...

A mente insólita melodia entoa:
saudade, amor, melancolia, ecoam!...
No acorde da harpa chora a viola
e o canto dolente a alma consola...


Brasil disse...

NA JANELA DO PASSADO

(por Brasil Andrade Holsbach)


Como vento do deserto
sopra distante e sopra perto,
corre o mundo!... Vai e volta
qual soldado na revolta,


belo vulto se desponta,
sem que possa me dar conta.
E se senta lado-a-lado
- na janela do passado!...


É você, linda menina,
a bailar na minha retina!...
- Uma sereia mui querida!...
A senhora da mi’a vida!


Com o encanto de sereia,
que se prende em doce teia,
teus cabelos eu, no colo,
passo as mãos sem protocolo...


Oh querida, te amo tanto,
que te estendo fino manto
e te imploro que me beijes...
- até saciar os meus desejos!


Mas desperto e abro os olhos.
Já não estou mais nos abrolhos!...
Te esfumaças mui risonha...
Me acordo do meu sonho!...



Guaíra, florescer da primavera de 2016 - 24 de setembro.
Brasil Andrade Holsbach

Brasil disse...

NA JANELA DO PASSADO II

(por Brasil Andrade Holsbach)


Como o vento do deserto
sopra tonto, rumo incerto...
E corre o mundo!... Vai e volta
qual soldado na revolta...


Um belo vulto se desponta,
sem que eu possa me dar conta...
E se posta ensimesmado
na janela do passado!...


É você, meu doce mel
a surgir por traz do véu!...
E me abrir esse sorriso
que me leva ao paraíso!


Não resisto teus encantos
e me rendo em terno pranto!
Caio preso nos teus braços!
Não suporto mais cansaço!...


Oh querida, te amo tanto,
que te estendo fino manto
e te imploro que me beijes...
- até saciar os meus desejos!

.-.-.-.

Mas desperto e abro os olhos.
Já não estou mais nos abrolhos!...
Te esfumaças mui risonha...
E eu acordo do meu sonho!...


Guaíra, 01 de outubro de 2016.

Brasil Andrade Holsbach

Brasil disse...

MI CANCIÓN GUAIREÑA


Letra: CIRILO VENTURA FRANCO
Música: DIOSNEL CHASE



Soy bardo guaireño que en tierra lejana
al son de las notas de mi mbaraká,
hilvano los versos de tantas ausencias
como ofrenda para tí, Guairá.

Viejos sueños míos vagan por tus calles
en noches de luna de pálida luz,
y muchos amores viven en mi alma
llenos de recuerdos de mi juventud.

Zorzal andariego, todos los caminos
de la patria anduve con inmensa fe,
adonde llegara ciudad, campo, valle,
amores y cantos siempre cultivé.

Añoro tu cielo, tus verdes campiñas,
felices momentos en Ykuá Pytá,
donde cual palomas, tus hermosas hijas,
emanan embrujos de blanco azahar.

Tampoco olvido aquel jazminero
bajo cuya sombre me nació un amor;
tal vez el primero que anidó mi pecho,
bañando mi vida con luz de ilusión.

Hoy vuelvo trayendo flores otoñales
y vengo buscando descanso y paz;
encuentro más bellos tus cañaverales,
tus cerros, tus lomas, tus noches, Guairá.



Pesquisado e transcrito por Brasil Andrade Holsbach, em Guaíra, 04 de outubro de 2016 (para SOAGUA – Sociedade Amigos de Guaíra).

Brasil disse...

UM SONETO PRA MINHA MÃE

(por Brasil Andrade Holsbach)



Tirei a fotografia
sem pensar que neste dia
não teria a alegria
que nas Quedas eu sentia.


Minha mãe na cachoeira
se mostrava mui faceira
com os pés sobre a esteira
das pedrinhas da pedreira...


Hoje longe, junto a Deus,
já não ouço: vem, meu filho!
Toma o mate da chaleira!...


Vem deitar nos braços meus,
come o bolo de polvilho,
senta aqui nesta cadeira!...


Da Terra para o Céu, no 103o. aniversário de GLÓRIA LOLA HOLSBACH - a maior mãe do mundo: a mãe do Brasil!

Brasil disse...

PRA MINHA IRMÃ JANDIRA - UM SONETO DE ANIVERSÁRIO

(por Brasil Andrade Holsbach)


Hoje, tão distante, parece mentira...
no pé d'horizonte, nascesse Jandira,
antes do Haroldo e depois da Jambeira,
debaixo dum toldo, nas mãos da parteira...


Era dezenove do mês de novembro
de quarenta e nove,se ainda me lembro...
Papai nos cuidava: ficava alerta,
das tábuas tapava as frestas abertas...


Meu pai já não tenho na minha Guaíra,
mas em Curitiba, não muito distante,
minha irmãzinha aniversariante


encurta a saudade da vida matante!
Mui grato sou eu nesta bela manhã
por ter o meu Deus, que fez minha irmã!


Um beijo de aniversário, minha irmãzinha - Curitiba, 19 de novembro de 2016.
Brasil Andrade Holsbach

Dr. Brasil disse...


ILHA DO DIABO OU CIDADE DE DEUS?!...

(por Brasil Andrade Holsbach)


Preocupado no seu canto
de a Jesus fazer agrado
nos propõe o Paulo Santos
renomear Ilha do Diabo.


Mas no Rio há uma cidade
que de Deus, um Ser Sagrado,
tem o nome... E é maldade:
- só tiro pra todo lado...


Não se esqueça da pessoa
agarrada numa bíblia,
a iludir que é coisa boa,
simulando ser bom filho!...

Ser do Diabo ou ser de Deus
não depende da aparência.
Isto está nos atos teus:
é do ser a própria essência!...


Pra você andar certinho
vai ficar esta lição:
Deus nos mostra o caminho
e nos conforta o coração!...



Curitiba, sábado, 26 de novembro de 2016.
Brasil Andrade Holsbach





Dr. Brasil disse...

Primeira poesia de AMANDA, minha netinha:
-.-
"O dia amanheceu,
Meu dente doeu,
Meu pai percebeu...
Que dor eu sentia
no dente que eu via
no espelho da pia!...

Lembrei-me então
a panela de pressão
por sobre o fogão:
Ufa!
O buraco era só
um grão de feijão!"

Impressionado com a precisão da estrutura ritmica evidenciada pela musicalidade da escanção poética em versos pentassilábicos (redondilha menor), imaginei que a literariedade não fosse inata, mas fruto do ensino, já que AMANDA AVILA VARGAS DORNELES HOLSBACH SANTA RITTA chega nos 9 anos de idade e estuda numa boa escola. Resposta: ela fiz isso por conta própria!...

Sugeri a minha netinha que continuasse a escrever o que - e como - lhe viesse à cabeça, nos caderninhos com capas cor de rosa ilustradas com desenhos infantis. E lhe recomendei: "não arranca as folhas. Coleciona os caderninhos e um dia poderemos imprimir seu diário de poesias infantis..."

.-.-.-.
-.-.-.-
Minha resposta , em redondilha maior:

.-.-.


O AVÔ E SEUS NETINHOS

(por Brasil Andrade Holsbach


Visitei os meus netinhos
numa noite de verão
no Bairro de Água Verde
- na Cidade do Pinhão!

Uma poesia sobre o dente
Amandinha me mostrou
e com cânticos alegres
Bianquinha me saudou!

Pedo Vargas, com o pai,
via um filme no sofá
e Ilzaneiva, minha filha,
preparava pão com chá!

Sou feliz por ter família
educada e unida,
que me dá felicidade
até antes da partida.

Precisamos renovar
o amor do Cristo ao pé da Cruz
e em Guaíra celebrar
o nascimento de Jesus!

De Curitiba p/Guaíra, 08 de dezembro de 2016.
Brasil Andrade Holsbach

Brasil disse...

Mote de facebook: “.Denise Aguilar Salve tu senhor Holsbach Brasil, reverencio aqui e Pátria mãe, E aqui como o pequeno colibri, trazendo no bico a energia de fé e esperança. Bom dia.
Descurtir • Responder • 1 • 1 h


TRIBUTO A GREGÓRIO DE MATTOS
(por Brasil Andrade Holsbach)


Por Denise Aguilar
colibri vem me saudar:
traz no bico a esperança
de estar perto a bonança!

O inimigo vem à espreita
numa vala tão estreita,
mui difícil de atacar.
E é preciso avançar!

Como o mote posto é o medo
aproveito-me do enredo
p’ra da freira aqui falar...
Vamos todos escutar:

Certa freira, um belo dia,
foi a Matos dar bom dia
e de logo cutucando
pica-flor foi-lhe chamando.

O poeta a retrucar
foi de pronto declamar
e pra freira fez proposta
em bela rima de resposta:

“Se pica-flor me chamais,
pica-flor eu posso ser:
que sendo de mim o pica
e sendo de vós a flor,
pica-flor pretendo ser”.

Guaíra, manhã dum domingo chuvoso – verão de 2016 – 11 de dezembro.

Brasil Andrade Holsbach – agradecido pelo bem que lhe faz o legado poético de Gregório de Matos Guerra.


“ Gregório de Matos Guerra: o Boca do Inferno
Gregório de Matos Guerra nasceu em Salvador (BA) e morreu em Recife (PE). Estudou no colégio dos jesuítas e formou-se em Direito em Coimbra (Portugal). Recebeu o apelido de Boca do Inferno, graças a sua irreverente obra satírica. “


Brasil disse...

CANTIGA DA “MELHOR” IDADE

(por Brasil Andrade Holsbach – em versos eneassílabos)


Se eu pudesse nascia de novo,
p’ra de novo voltar a te amar,
como o pinto renasce do ovo,
p’ra ser galo e voltar a cantar.


- Quem me dera!... No amor renascia,
com mais força e vigor de que outrora;
desta idade e do tempo eu fugia...
- E fazia irromper nova aurora!


P’ra quem ama o tempo não passa...
O amor une o homem ao seu Deus.
O amor é de Deus a argamassa
com que liga a terra e os céus.


No escuro da noite imensa,
que antecede a vida eterna,
o amor de Jesus é a lanterna
que ilumina a estrada extensa!...


Quando for vou deixar nesta vida
a querida família que amei
e na hora da minha partida
com Jesus e Deus Pai estarei!


Guaíra, 08 de janeiro de 2017.
Brasil Andrade Holsbach

Brasil disse...

A ESTRELA DE BELÉM – 2016
(por Brasil Andrade Holsbach)


Volta pra terra o luzeiro mais belo
a mostrar a trilha que leva ao Menino,
enquanto nos céus o mais belo hino
cantam os anjos debaixo da estrela!


“Esplêndidos orbes que o mundo aclarais”
- diria Varela a falar de Jesus.
“Montanhas audazes que o céu tapetais
dobrai-vos ao vulto sublime da cruz!”


E aqui estamos nós, nos lisonjeando,
comendo e bebendo só pra festejar,
enquanto nos céus ressoam os anjos
a honra e a glória ao Senhor do Altar!


E deixo estes versos em seus decassílabos
para voltar à maior redondilha;
volta o soneto de clássicas sílabas
métrica sete pulando na trilha.


-.-.-.-


Contemple a bela hora
do parto dum novo dia
envolto num rubro véu:


Raia pungente aurora!
Rasga-se a fantasia!
Tinge-se todo o céu!...


Guaíra, rio Paraná – Nata 2016/Ano Novo 2017.

Brasil Andrade Holsbach

Brasil disse...

IMAGEM POÉTICA DE UM PESCADOR
(por Brasil Andrade Holsbach)




Que bem me faz a poesia do poeta
respirar,
qual do mar a maresia o atleta
transpirar!


Contemplar água de sal a revoltar-se
em caracóis...
linha, marisco e peixe, a emaranhar-se...
nos anzóis!...


.-.-.-


Tua imagem, lá, distante,
vem à mente,
tua cintura a ondular,
suavemente...
teus lábios rubros a insuflar,
ardentemente...
E os doces seios a oscilar,
precocemente!...


Essa saudade, minha amada,
ainda me mata...
O amor perdido, na distância,
me maltrata!
E esse mar, a estilhaçar
‘té caranguejos,
vem atiçar, ressuscitar
os meus desejos!...




Guaíra, 20 de dezembro de 2016.
Brasil Andrade Holsbach

Brasil disse...

SE EU PUDESSE!...

(por Brasil Andrade Holsbach)


Se eu pudesse, subia na estrela,
não deixava você me fugir,
pela escada da nuvem ia tê-la
e de novo seu peito sentir!


Mergulhava no fundo do mar
e as mais lindas pedrinhas colhia
para por no brilhante colar
que te enfeita, minha estrela guia!


Com as plantas dos pés sobre a areia
as espumas da água afagava,
a pensar que a encantada sereia
abraçada a mim, me beijava...!


E, na beira da praia, sentado,
separava com as mãos as conchinhas
pra matar a vontade danada
de contigo brincar de casinha!....


Me postava a olhar o horizonte
para ver se teu vulto enxergava...
a ondular entre o mar e mi’a fronte
no estonteante sol que cegava!...


E, no fim, de esperar, já cansado...
co’ a esperança na água a nadar,
retornava desesperançado...
- p’ra no mundo real acordar!


Guaíra, 10 de janeiro de 2017.
Brasil Andrade Holsbach


bia

Brasil disse...

QUEM ROUBOU A MINHA HERA?

(por Brasil Andrade Holsbach)


Minha Igreja era tão bela!...
Mas não é mais o que era!
A mão política que opera
lhe arranca até sua hera!...


Mais um crime em Guaíra
cometido por uma gente
que se faz de inocente
e mata mais de que traíra...


Nossas quedas não rutilam
- mortas pelos militares!...
Que dizer se até os altares
têm algozes que os mutilam?!...


Já entregaram nossa herança
- nossa história destroçaram -
até o turismo já mataram...
Já não temos nem barranca!...


Isso foi e assim vai mal
porque um povo sem cultura
vai comer sem dentadura
qual um burro no buçal.


Dirigente que assim age
sem controle do eleitor
gasta a grana e faz bobagem
sem vergonha e sem pudor!


Já passamos da idade
de pensarmos nós também
no poder que o voto tem
no futuro da cidade!...


Ao tirar meu baluarte
mutilaste minha arte!...
- Que maldade me fizera
quem roubou a minha hera!...


Guaíra, 15 de janeiro de 2017.
Brasil Andrade Holsbach



Brasil disse...

SETE QUEDAS... SETE TOMBOS?!...

(por Brasil Andrade Holsbach)


Major Carvalho, com seu talento,
em um momento de rara ira
a revelar descontentamento
com estes versos saudou Guaíra:


“Se o maioral levasse Sete tombos
e depois, humilhado, escapasse,
com equimoses e alguns calombos,
talvez das 7 Quedas se lembrasse”.


Nosso Prefeito também faz festa
se o contribuinte arrebenta a testa
nas suas placas mal colocadas...
E o Vereador? – Fiscaliza nada!...


Que vai fazer o Heraldo Trento,
novo prefeito desta Cidade,
se a rigor (vou ficar atento)
quer dar às obras continuidade?!...


Nessa política ele foi eleito
com o apoio do ex-prefeito
senhor das placas mal colocadas
que obstruem nossas calçadas.


Talvez da placa ele se lembrasse
se em vez de carro, ele passeasse
ao cair da tarde pela calçada...
- Meu Deus do céu! Quanta coisa errada!...


Eu só não quero mais sete tombos
qual Sete Quedas, nem mais calombos!
Já dei meu voto e não estou disposto
a ficar calado: lhe pago imposto!


Guaíra, 30 de janeiro de 2017
Brasil Andrade Holsbach – um contribuinte inconformado.


Brasil disse...

S O N E T O D O A M O R

(por Brasil Andrade Holsbach)


Amar é descer no inferno e subir ao infinito;
viver a dor na terra e no céu o gozo estrito;
Transpirar no verão, tremer no inverno...
E pro seu par sorrir mesmo estando aflito
(sem guardar as mágoas nas folhas do caderno).



Amar é respirar junto o mesmo ar!
É repartir a escova e dividir a cama!
É levar a vida num eterno trocar...
É acender e reacender a mesma chama!...



Amar é a fé num Deus que é Onipotente,
de quem segue o ensinamento de Jesus
entre espinhos e muita dificuldade!



Jamais cede ao demo, mesmo sorridente,
porque ter amor e ter fraternidade
é ter um Cirineu pra aliviar a sua cruz!



Guaíra, 20 de fevereiro de 2017.
Brasil Andrade Holsbach


-.-


Post scriptum: Desconsidere o verso entre parêntesis, porque a estrutura clássica do soneto não comporta 15 versos (são 2 quartetos e 2 tercetos).
Então, por que essa excrescência? – Simples: a desgraça do casal é esse caderninho. A cada discussão lá vem ele a ressuscitar defuntos... e ninguém dá o braço a torcer...