domingo, 15 de abril de 2012

Famílias Portuguesas nas Missões (Rodrigues Penteado)



Famílias Portuguesas nas Missões
(Rodrigues Penteado)

Autoria de Diego de Leão Pufal e Zélce Mousquer
[dúvidas, acréscimos e correções, escreva para diegopufal@gmail.com]


[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: MOUSQUER, Zélce e PUFAL, Diego de Leão. Famílias Portuguesas nas Missões (Rodrigues Penteado)in blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/] 

[publicado em 15/04/2012]
[atualizado em 16/10/2017]
***

A família Rodrigues Penteado, a exemplo de muitos paulistas, paulistanos e paranaenses, migrou para o Rio Grande do Sul ainda no século XVIII, possivelmente em busca de novas oportunidades, fruto do movimento colonial.

O migrante, Manuel Rodrigues Penteado, estabeleceu-se no que vinha a ser o então município de Cachoeira do Sul, e seus descendentes, em Santa Maria, São Gabriel, Caçapava do Sul, São Borja e outras partes das Missões, como passamos a expor:

1. Manuel Rodrigues Penteado, nascido cerca de 1775 na freguesia de Nossa Senhora da Escada em São Paulo/SP e falecido a 18/01/1835 em Cachoeira do Sul, com inventário (APRS: proc. n.º 91, maço 06, 1835, cartório de órfãos de Cachoeira do Sul). Foi filho de Lourenço Rodrigues Penteado e Maria de Almeida, conforme consta no registro de casamento de Manuel, assim como nos registros de batismos de seus filhos. Contudo, segundo o testamento de Manuel, teria ele nascido na vila de Parnaíba/SP, sendo filho de Matias Penteado de Madureira e de Maria Rodrigues (proc. n.º 91, cartório de órfãos de Cachoeira do Sul, APERS).

Apesar de ainda não termos encontrado a ligação, esses Penteados talvez sejam descendentes do mesmo ramo paulistano tratado por Luiz Gonzaga da Silva Leme in Genealogia Paulistana (vol. III, p. 368 em diante), que assim abre a família:

Segundo escreveu Pedro Taques "A Nobre família de Penteados teve origem em S. Paulo em Francisco Rodrigues Penteado, natural de Pernambuco, para onde veio ser morador seu pai Manoel Corrêa com casa, saindo de Lisboa; e em Pernambuco se estabeleceu com negocio grande. Tendo este filho Francisco Rodrigues Penteado já bem instruído em artes liberais, sendo excelente e com muito mimo na de tanger viola, e destro na arte da música, seu pai o mandou a Lisboa sobre dependência de uma herança que ali tinha; o filho, porém, vendo-se em uma corte das mais nobres da Europa e com prendas para conciliar estimação, cuidou só no estrago que fez do cabedal que recebeu, consumindo em bom tratamento e amizades: Refletindo depois que não estava nos termos de dar satisfação da comissão com que passara de Pernambuco a Lisboa, embarcou na frota do Rio de Janeiro com Salvador Corrêa de Sá e Benevides em 1648, o qual tendo de passar a Angola, como passou, para a restaurar dos holandeses, o deixou na cidade do Rio muito recomendado pelo interesse de instruir nos instrumentos músicos a suas filhas e ao filho mais velho Martim Corrêa com quem estava unido pela igualdade dos anos. Do Rio de Janeiro, pela demora em Angola do dito Salvador Corrêa de Sá, que ficou feito general daquele reino, passou para a vila de Santos Francisco Rodrigues Penteado; e já desta vila subia para S. Paulo contratado para casar com uma sobrinha de Fernando Dias Paes, que foi quem o ajustou para este contrato". Depois de casado estabeleceu-se com fazenda de cultura no termo da vila de Parnaíba.

Manuel Rodrigues Penteado casou-se a 16/11/1796 em Rio Pardo/RS com Josefa Jacinta da Silveira, batizada a 18/03/1782 em Rio Pardo (levou o nome da avó materna) e falecida por volta de 1854 em Cachoeira do Sul/RS, pois quando seu inventário foi autuado em 1859 (APRS, proc. n.º 223, maço 12, cartório de órfãos de Cachoeira do Sul), já era falecida há mais de cinco anos.
Registro de casamento de Manuel Rodrigues Penteado
e Josefa Jacinta da Silveira, de 16 de novembro de 1796
em Rio Pardo/RS
[Livro 2B, p. 152v, Rio Pardo - AHCMPA]
Josefa Jacinta foi filha de Aleixo Correia Cabral, nascido em 1730 na vila da Calheta, ilha de São Jorge, Açores e falecido a 19/01/1810 em Rio Pardo/RS, onde casou a 10/10/1767, e de Ana Francisca da Silveira, batizada a 12/12/1753 em Viamão/RS e falecida a 28/04/1806 em Rio Pardo/RS. Neta paterna de Manuel Machado Cabral, nascido na Calheta, casado a 20/02/1715 na freguesia da Ribeira Seca, ilha de São Jorge, e de Ágada Pereira de Souza, nascida na Calheta. Neta materna de João da Silveira Gularte, nascido a 1º/02/1721 na freguesia da Praia do Almoxarife, ilha do Faial e falecido a 16/10/1794 em Rio Pardo/RS, casado a 13/02/1749 na freguesia de Pedro Miguel, ilha do Faial, e de Josefa Jacinta da Silveira, nascida por volta de 1725 na freguesia de Santa Bárbara, Cedros, ilha do Faial e falecida a 16/07/1795 em Rio Pardo/RS (João e Josefa são antepassados de Diego de Leão Pufal).

Manuel e Josefa foram pais de onze filhos até agora encontrados:

F1. Manuel Rodrigues Penteado (filho), n. 16/07/1800, Cachoeira do Sul. Casou a 10/05/1834 em Caçapava do Sul, com Clara Alves Martins, ali nascida, filha de José Alves Martins (n. Curitiba/PR) e Maria de Siqueira Cortes (n. 15/5/1796, Cachoeira do Sul), n.p. Francisco Alves de Siqueira e Josefa Alves Lisboa, n.m. Francisco de Siqueira Cortes (n. Curitiba/PR) e Maria Pereira da Cruz (n. Rio Pardo/RS). Manuel e Clara faleceram antes da mãe e sogra (1854), deixando dois filhos:

N1. Josefa Alves Penteado, n. 18/02/1835, bat. 16/5/1835, Cachoeira do Sul. Em 1859 residente em Caçapava do Sul e casada.

N2. Maria Rodrigues Penteado, n. Caçapava do Sul, onde em 1859 residente e casada.

F2. Antônio Rodrigues Penteado, n. 09/04/1802, Cachoeira do Sul e já falecido em 1859. Casou a 03/07/1821, Cachoeira do Sul, com Ana Florinda Rodrigues de Almeida (às vezes Ana Maria Rodrigues de Almeida), n. Cachoeira do Sul, filha do capitão Gabriel Ribeiro de Almeida[i] (n. 1764, Iapó, Castro/PR) e Florinda Maria Rodrigues de Aguiar (n. Mogi das Cruzes ou São Paulo/SP), n.p. de Manuel Ribeiro de Almeida e Maria da Silva, n.m. Manuel Rodrigues de Aguiar e Isabel Maria Cardoso.
Sobre o capitão Gabriel Ribeiro, encontramos na Revista do Arquivo Público do Estado do RS (n.º 4, p. 156) a seguinte referência:

Natural da aldeia de Santa Ana de Yapó, Vila Nova de Castro, dos Campos de Curitiba. Passou os primeiro anos de vida, junto com sua mãe índia da terra. Com tenra idade foi trazido pelo pai para a povoação de Cachoeira, RS. Acompanhava o pai nas viagens de tropeiro até Sorocaba. Como soldado, se alistou na companhia sediada em Cachoeira, RS, do Regimento de Milícias do Rio Grande do Sul. Participou na Tomada dos Sete Povos de Missões. Em 1796, era furriel dessa Companhia de que faziam parte Manoel dos Santos Pedroso, os irmãos Carvalho, e muitos outros conquistadores de Missões. Capitão de Milícias, com Borges do Canto. Terminada a campanha, ficou o tenente Gabriel Ribeiro prestando serviços às Missões, para onde fez trasladar a sua família. Comandou o Povo de São Nicolau, onde nasceu o filho Lourenço, passando depois para São Borja (...) onde recebeu uma sesmaria de campos, cuja doação foi confirmada por Dom Diogo de Souza, em 1814: tinha a extensão de uma légua de frente por três de fundo e estava sita no distrito de São Borja, nos campos denominados São João. Dividiam-se esses campos pelo Norte com o rio Ibicuí e parte com os campos que povoou Raimundo Santiago, também conquistador; pelo Sul com um banhado que deságua no rio Uruguai, dividindo com os campos de José de Abreu; pelo Leste com a estada que passa do Povo de São Borja para o Passo da Cruz e pelo Oeste com o dito Uruguai.

#Obs: há um casal quase homônimo de Antônio e Ana Florinda de Castro/PR, do qual necessário referirmos neste post para evitar confusões genealógicas. Trata-se de Antônio Rodrigues Penteado, nascido cerca de 1775 em Juqueri/SP e fal. 04/06/1825 em Castro/PR, filho do alferes José Rodrigues Penteado e Felipa Franco Bueno. Antônio casou-se com Ana Floriana de Almeida, nascida em 1781 em Castro, onde fal. 22/06/1851, filha do capitão-mor José Rodrigues Betim e Floriana Maria de Belém. Este casal de Antônio e Ana Floriana teve os filhos, nascidos em Castro/PR:
a) Floriana, n. 4/11/1805;
b) José, n. 20/4/1807;
c) Maria, n. 26/2/1809;
d) Francisco, bat. 04/10/1811;
e) Graciana, bat. 26/7/1816;
f) Zeferino, bat. 20/9/1817;
g) Marcelina, bat. 13/4/1819;
h) Francisco Xavier Penteado, bat. 30/12/1821. Casou a 05/08/1855 em Campo Novo (Cruz Alta/RS) com Polucena Maria de Jesus, filha de Antônio da Rosa e Gertrudes Maria de Jesus.
***

Antônio Rodrigues Penteado e família em 1835 estavam residindo em Porto Alegre/RS; já em 1859, a viúva Ana Florinda residia com os filhos em São Gabriel/RS:

N1. Rodrigo José Ribeiro, n. Cachoeira do Sul. Casou a 08/12/1857, São Gabriel, com sua prima Inocência Mendes ou Inocência Rodrigues Penteado, abaixo mencionada, em São Gabriel.

N2. Gabriel Rodrigues de Almeida, n. 15/02/1824, Cachoeira do Sul/RS; em 1859, casado, em São Gabriel.

N3. José Rodrigues de Almeida, n. 02/10/1826, Cachoeira do Sul; em 1859, casado, em São Gabriel.

N4. Joaquim Rodrigues de Almeida, em 1859, casado, em São Gabriel.

F3. Venâncio Rodrigues Penteado, n. 08/08/1803, Cachoeira do Sul e fal. 1º/05/1856, São Gabriel/RS, com inventário (APERS: proc. n.º 73, maço 3, cartório de órfãos de São Gabriel/RS). Casou a 06/08/1831, São Gabriel, com Felícia Antônia Mendes, nascida em São Gabriel, onde faleceu a 06/06/1869 (inventário, proc. 214, ano 1869, cartório de órfãos de São Gabriel, APERS), filha de Pedro Mendes e Ana Maria de Jesus. Pais de:

N1. Inocência Mendes ou Inocência Rodrigues Penteado, n. São Gabriel. Casou (I) com o capitão Pedro Rodrigues Reginaldo, já falecido em 1856, filho de Reginaldo Antônio dos Reis[ii] e Ana Joaquina Borges do Amaral ou Ana Joaquina de Castro Mendonça. Casou (II) com seu primo Rodrigo José Ribeiro, acima citado; em 1869, residentes em Santana do Livramento. Houve do 1º casamento, ao menos, dois filhos:

Bn1. Pedro Reginaldo Mendes, n. 1848, São Gabriel/RS.

Bn2. Ana Reginalda Mendes, n. 1851, São Gabriel/RS.

N2. Josefina Rodrigues Penteado, n. 1838, Santana do Livramento. Em 1866 residia no distrito de Jaguari, em São Gabriel. Casou-se (I) a 21/02/1857, São Gabriel, com Claudino Ferreira do Amaral, n. São Gabriel/RS e falecido a 28/03/1866, Corrientes, Argentina, onde andava com negócio acompanhando o Primeiro Corpo do Exército em operações no Paraguai, a mando do General e Barão do Herval, conforme declarou sua viúva quando de seu inventário (APERS, proc. n.º 168, órfãos, de São Gabriel), f. do capitão João Marcelino do Amaral e Maria Francisca. Casou-se (II) com Severino Antônio de Carvalho, residentes, em 1869, em Santana do Livramento. Houve três filhos do primeiro casamento:

Bn1. Albertolina Ferreira do Amaral, n. 31/03/1859, bat. 13/09/1859, São Gabriel.
Bn2. Maria Felícia do Amaral, n. 1861 em São Gabriel, onde fal. a 05/05/1867, tendo sido sepultada no cemitério da Estância do Coronel Jerônimo, nos subúrbios de São Gabriel.
Bn3. Cícero Enéas Ferreira do Amaral, n. 14/10/1862, bat. 1º/12/1862, São Gabriel. Em 1885 residia no Quarto distrito de Santana do Livramento.

N3. Ana Rodrigues Penteado, n. cerca 1840, São Gabriel, onde em 1856 casou com Claudino Rodrigues Penteado, seu primo, ali nascido em 1841, filho de Gaspar Rodrigues Penteado e Claudina Arminda Freire.

N4. Maria Cândida Rodrigues Penteado, n. 25/12/1843, bat. 10/3/1844, Cachoeira do Sul. Em 1869 viúva, residente em São Gabriel.

N5. Florinda Rodrigues Mendes, n. 1847, São Gabriel.

N6. Augusto Rodrigues Penteado, n. 11.9.1854, bat. 26.3.1855, São Gabriel, onde casou a 12.4.1878 com Eufrásia Cavalheiro da Rocha, n. 1862, Santana do Livramento/RS, f. de Gabriel Cavalheiro e Conceição Mendes da Rocha.

F4. Francisco Rodrigues Penteado, n. 18/07/1805, Cachoeira do Sul, em 1859 já falecido. Teve (não casou) com Florinda Antônia da Trindade, n. Rio Pardo ou Caçapava do Sul/RS, filha de pais incógnitos. Francisco e Florinda foram pais de:

N1. João de Deus Penteado, n. 28/02/1834, Cachoeira do Sul, dado como filho natural no batismo. Casou-se a 28/01/1856, São Sepé/RS, com Leonídia Elvira Menna Barreto, n. 1836, São Sepé/RS, f. do capitão João Batista Menna Barreto (fal. 28/12/1837, São Gabriel/RS) e de Claudina Arminda Freire (a mesma que casou em segundas núpcias com Gaspar Rodrigues Penteado, abaixo citados).

N2. Inocência Francisca Penteado, n. 10/03/1835, bat. 12/06/1835, Cachoeira do Sul e falecida solteira a 08/05/1879 em São Sepé/RS, onde autuado seu inventário (APERS). Como não tinha filhos, foram seus sucessores os irmãos João de Deus, Venâncio Leão, Manuel e Cândida (viúva de Gaspar Rodrigues Penteado).

N3.  Cândida Hermenegilda Penteado, n. 15/5/1839, bat. 14/11/1840, Cachoeira do Sul/RS. Casou a 02/09/1856, São Sepé/RS com seu primo Gaspar Rodrigues Penteado, abaixo citados.

N4. Venâncio Leão Penteado, n. 29/6/1840, bat. 14/11, Cachoeira do Sul e falecido a 23/12/1905 em São Sepé, onde se casou com Francisca Vaz, ainda viva em 1905, quando foi inventariante dos bens deixados pelo marido (APERS). Pais de:
Bn1. Inocência Vaz Penteado, n. São Sepé/RS, onde se casou com Bento Pereira da Rosa.
Bn2. Florinda Vaz Penteado, n. São Sepé, onde se casou com Cassiano Pereira da Rosa, casal que gerou no mínimo Lídia da Rosa, casada com Antônio Rodrigues de Oliveira, filho de Felizardo Rodrigues de Oliveira e Floriana Maria da Conceição. O casal de Lídia e Antônio migrou do RS para o Mato Grosso, para o local denominado Colônia Velha, e gerou a Atalício Rodrigues da Rosa (n. 1929), avô do pesquisador Leandro Konstantinov Rodriguez.
Bn3. Adelaide Vaz Penteado, n. São Sepé, onde se casou com Octaviano Pereira da Rosa.
N5. Ismaela Rodrigues Penteado, n. 15/08/1842, bat. 24/03/1843, Cachoeira do Sul. Ao que parece faleceu antes de 1879, por não ter sido herdeira da irmã Inocência.

N6. Joaquim Claro Penteado, n. 18/08/1844, bat. 26/09/1847, Cachoeira do Sul. Ao que parece faleceu antes de 1879, por não ter sido herdeiro da irmã Inocência.

N7. Lino Rodrigues Penteado, n. 1847.

N8. Manuel Rodrigues Penteado (neto), n. 1849. Ao que parece faleceu antes de 1879, por não ter sido herdeiro da irmã Inocência.

F5. Cândido Rodrigues Penteado (também Cândido Rodrigues Goulart), nascido a 15/11/1806, Cachoeira do Sul/RS e falecido a 21 ou 22/01/1853, São Gabriel (com inventário: proc. 49, maço 2, cartório de órfãos, APRS). Casou (I) a 08/08/1834 em Alegrete/RS com Maria Francisca, n. em Cachoeira do Sul, f.ª de Manuel dos Santos e Maria Benedita. Cândido casou (II) com Amabília Cândida de Souza ou Duarte ou da Fontoura, n. Santa Maria, a qual se casou (II) a 11/12/1853, São Gabriel/RS, com o alferes Damazo Adolfo da Fontoura ou Damazo Adolfo Charão. Amabília foi filha de Belchior Gularte de Pontes e Silva (natural de Iguapé/SP e já falecido no ano de 1857) e de Angélica Cândida de Souza (n. 15/07/1801 em  Rio Pardo/RS), neta paterna de Joaquim Rodrigues dos Santos (natural da cidade do Rio de Janeiro/RJ) e de Teresa ou Tomásia Maria de Jesus, neta materna de José Inácio de Souza (n. Florianópolis/SC) e de Margarida Rosa de Jesus (n. Rio Pardo/RS). Houve, ao que parece, do 2º casamento os filhos:

N1. Ismael Rodrigues Penteado, bat. 30.07.1847, Cachoeira do Sul. Casou com Prisciliana da Fontoura Goulart, gerando a:

        Bn1. Carlos Penteado, n. 7.3.1885, bat. 23.2.1886, São Borja/RS.

N2. Belchior Rodrigues Goulart, n. 31.3.1848, bat. 16.5.1849, São Gabriel e já falecido em 1906. Casou-se a 27/09/1869 em São Borja/RS com Maria Auta Loureiro, nascida em São Borja/RS, filha de Antônio dos Santos Loureiro e Maria Pereira do Nascimento (aparece também Dornelles), abaixo mencionados, neta paterna de Joaquim dos Santos Loureiro (n. Laguna/SC e fal. 06/08/1852, São Borja/RS) e Maria Eufrásia Lopes (n. Santo Antônio da Patrulha/RS e fal. 04/01/1851, São Borja/RS) e, neta materna, de Cipriano José Pereira e Maria Santa da Purificação.
#Nota:
Antônio dos Santos Loureiro e Maria Pereira foram pais:
1. Cândida Antônia Loureiro c/c Francisco Lopes da Silva.
2. José dos Santos Loureiro
3. Marciano/Marchon dos Santos Loureiro
4. Manuel dos Santos Loureiro c/c Etelvina Lopes.
5. Antônia dos Santos Loureiro c/c Tancredo da Fontoura e com David José Martins.
6. Francisco dos Santos Loureiro
7. João dos Santos Loureiro c/c Elisa Lopes dos Santos.
8. Maria (Auta) dos Santos Loureiro c/c Belchior Rodrigues Goulart/Penteado.
9. Ana dos Santos Loureiro c/c Propício Pereira Dornelles.
10. Josefina dos Santos Loureiro c/c João Cândido Rodrigues Goulart
11. Mariana dos Santos Loureiro.
***
Belchior e Maria foram pais de:
Bn1. Vicente Rodrigues Goulart, nascido a 16.9.1881, em São Borja/RS, onde faleceu a 13/5/1943. Ali se casou em 1906 com Vicentina Marques, filha de João Maria Marques e Maria Tomásia, de quem houve 7 filhos: Elfrides Marques Goulart, Maria Marques Goulart,  Yolanda Marques Goulart, João Belchior Marques Goulart (Jango), nascido a 1º.3.1919 em São Borja/RS, que foi Presidente do Brasil, Neuza Marques Goulart (c/c Leonel de Moura Brizola, político gaúcho) e Ivan Marques Goulart (c/c Regina Helena Loureiro).
Bn2. Amabília Rodrigues Goulart, n. 5/4/1872, bat. 14/8, São Borja/RS, onde casou com Astrogildo Fontella, n. 18/11/1867, Itaqui/RS, filho de Ireno José Fontella e Gaudência Dobal, neto materno de Manuel Dubal/Dobal e Maria Bibiana Fontella, ambos de Itaqui.
Bn3, Diamantina Rodrigues Goulart, n. 8.2.1875, bat. 15.6.1877, São Borja. Casou com Marcírio Pereira Dornelles.
Bn4. Antônia Rodrigues Goulart, n. 5.5.1876, bat. 14.6.1877, São Borja.
Bn5. Manuel Rodrigues Goulart c/c Olympia Lopes Goulart.
Bn6. Glória Rodrigues Goulart
Bn7. Balbina Rodrigues Goulart, n. 30.4.1884, bat. 23.2.1886, São Borja. Casou com Simeão Estulita dos Santos Loureiro, falecido aos 59 anos, a 28/1/1942 em Bossoroca, distrito de São Luiz Gonzaga, filho de João dos Santos Loureiro (n. 17/9/1848 e fal. 14/8/1898 em São Borja/RS) e Elisa dos Santos (fal. 11/5/1904 em São Borja), neto paterno de Antônio dos Santos Loureiro e Maria Pereira do Nascimento e, neto materno, de Urbano Joaquim dos Santos e Balbina Lopes Loureiro/da Silva. Balbina e Simeão foram pais de:
Tn1. Marcírio Goulart Loureiro, deputado estadual do RS 1959-1963.
Tn2. João Belchior Goulart Loureiro, prefeito de São Luiz Gonzaga/RS.
#Nota:
João dos Santos Loureiro e Elisa foram pais:
1. Manoel dos Santos Loureiro Sobrinho c/c Marcolina Ramos.
2. Augusto dos Santos Loureiro
3. Maria Balbina dos Santos Loureiro.
4. Simeão Estulita dos Santos Loureiro c/c Balbina Rodrigues Goulart, filha de Belchior Rodrigues Goulart e Maria dos Santos Loureiro.
5. Maria Luísa dos Santos Loureiro casou com Edmundo dos Santos Rocha.
6. Brasiliano dos Santos Loureiro
7. Maria Santa dos Santos Loureiro c/c Abílio Athayde de Souza, filho de José Marques de Souza e Claudina.
8. Antônio dos Santos Loureiro
***
Tn3. Baltazar Goulart Loureiro
Tn4. Cidália Goulart Loureiro

Tn5. Balbina Goulart Loureiro
N3. João Cândido Rodrigues Goularte, n. 12.6.1850, bat. 16/9/1857, São Gabriel. Casou a 20.10.1874 em São Borja/RS com Josefina dos Santos Loureiro, f. de Antônio dos Santos Loureiro e Maria Pereira do Nascimento, neta paterna de Joaquim dos Santos Loureiro (n. Laguna/SC e fal. 06/08/1852, São Borja/RS) e Maria Eufrásia Lopes (n. Santo Antônio da Patrulha/RS e fal. 04/01/1851, São Borja/RS) e, neta materna, de Cipriano José Pereira e Maria Santa da Purificação.
**NOTA:
Joaquim dos Santos Loureiro, natural de Laguna/SC, faleceu a 6.8.1852 em São Borja/RS, filho de Manoel Francisco Loureiro e Maria Josefa do Espírito Santo. Casou com Maria Eufrásia Lopes, batizada a 03.05.1778 em Santo Antônio da Patrulha/RS e falecida aos 75 anos, a 2.1.1851 em São Borja/RS, filha de Antônio José Lopes, n. Portugal e Helena Eufrásia Pereira, n. Rio Grande/RS. Joaquim e Maria Eufrásia foram pais de 12 filhos.
1. Ana Joaquina Loureiro casou com Lino Pedro Belmonte e, após, com Felipe Carvalho da Fonseca.
2. Joaquim dos Santos Loureiro
3. José dos Santos Loureiro casado com Ana Lopes da Silva.
4. Manoel dos Santos Loureiro casado com Antônia Lopes da Silva.
5. Antonio dos Santos Loureiro casado com Maria Pereira do Nascimento/Maria Dornelles Pereira.
6. Maria Josefa casada com Ângelo Vieira de Oliveira, pais de: 1. Ana Teresa de Oliveira c/c Manoel Francisco Guerreiro (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-15214-27286-74?cc=2177295&wc=M78X-QM3:371568701,371568702,371568703); 2. Ângelo Vieira de Oliveira c/c Ana Neri Pereira (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-15215-19289-89?cc=1719212&wc=MMPG-XJH:557637904); 3. Jerônimo Vieira de Oliveira  c/c Ana Rosa de Oliveira; 4. Rita Antônia de Oliveira c/c Luiz Gonçalves Lages; 5. Manoel dos Santos Oliveira c/c Francisca Pereira Dutra (de Souza); 6. Belizário Vieira de Oliveira c/c Josefina Pereira Dutra (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-15215-18178-79?cc=2177295&wc=M97B-JYM:n158626993); 7. Manoela Rosa de Oliveira c/c Manoel dos Santos Oliveira e/ou Apolinário Machado da Silveira;  8. Cap. Joaquim Vieira de Oliveira cc Maria Joaquina de Oliveira (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-15215-19328-67?cc=2177295&wc=M97B-JYM:n158626993
https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-15215-19328-67?cc=2177295&wc=M97B-JYM:n1586269930 e 9. Antônio Vieira de Oliveira c/c Cecilia Adriana Nunes.
7. Felisberto dos Santos Loureiro casado com Antônia Lopes Loureiro.
8. Belisário dos Santos Loureiro casado com Ana Máxima da Silva.
9. Cândida Joaquina dos Santos Loureiro c/c 1x com Domingos Rodrigues de Lima; c/c 2x Moisés Antônio da Silva Furquim.
10. Francisca Joaquina Loureiro c/c Manoel Lopes da Silva/Manoel José Lopes e Serafim José dos/Rodrigues Santos
11. Mariana Joaquina Loureiro, n. São Borja/RS. C/c 1x José Lopes da Silva (n. Santo Antônio da Patrulha/RS); Após, Mariana casou-se a 2.6.1845 em São Borja/RS com Rufino Rodrigues dos Santos, filho de Manuel Joaquim Rodrigues e Mariana Joaquina da Cruz, com descendência [sobre Rufino, vide: http://sanguepalmeiro.blogspot.com.br/2011/09/capitulo-ii-parte-v-capitao-joao-jose.html]. Mariana e José Lopes da Silva foram pais de: Belisário Lopes da Silva (c/c Francisca Lopes Loureiro e, após, com Antônia Correia da Silva Guimarães); José Lopes da Silva (c/c Cândida Fabrício da Silva); Maria Lopes da Silva; Ana Lopes da Silva (c/c Manuel Ferreira de Moraes); Francisco Lopes da Silva (c/c Cândida Antônia Loureiro, filha de Antônio dos Santos Loureiro e Maria Pereira); Constância Rodrigues dos Santos e Felicidade Rodrigues dos Santos.
12. Felicidade Joaquina Loureiro casada com Manoel Máximo da Silva e, após, com Urbano Joaquim dos Santos.
***
João e Josefa foram pais, ao menos, de:
Bn1. Ubaldina Rodrigues Goulart, n. 1º/12/1875, bat. 13/06/1877, São Borja/RS.
Bn2. Vasco Rodrigues Goulart c/c Antônia da Silva Marques.
Bn3. Pedro Rodrigues Goulart, n. 1880, São Borja e fal. 21.10.1900, sem descendência.
Bn4. Maria da Conceição Goulart, n. 20.12.1883, bat. 23.2.1886, São Borja. Casou com Santos Campos.
Bn5. Quintilia Goulart, n. 8.3.1885, bat. 23.2.1886, São Borja/RS, casou com seu primo Augusto dos Santos Loureiro. 

N4. Ubaldina Rodrigues Penteado, n. 11.3.1852, bat. 16.9.1857, São Gabriel.
F6. Inocência Francisca Rodrigues, bat. 29/08/1808, Cachoeira do Sul e falecida depois de sua mãe, a 19/05/1857 em Cachoeira do Sul (inventário, proc. 222, maço 12, cartório de órfãos de Cachoeira, APRS). Casou-se com José Moreira da Cunha, com quem houve:

N1. Vasco Moreira da Cunha, em 1859 com 26 anos, casado.

N2. Vicente Moreira da Cunha, em 1857 com 22 anos.

N3. Crescêncio Moreira da Cunha, em 1859 com 22 anos, solteiro.

N4. Cândida Moreira da Cunha, em 1859 com 21 anos, solteira.

N5. João Moreira da Cunha, em 1859 com 13 anos.

N6. Marciano Moreira da Cunha, em 1859 com 12 anos.

N7. Antônio Moreira da Cunha, em 1859 com 10 anos.

F7. Maria, bat. 26/03/1810, Cachoeira do Sul, onde faleceu sem descendência, talvez criança.
F8. Gaspar Rodrigues Penteado, bat. 19/11/1811, Cachoeira do Sul e fal. 03/05/1855, São Gabriel, com testamento (inventário no APRS: proc. n.º 70, maço 03, cartório de órfãos de São Gabriel). Em seu testamento declarou ser natural do RS, católico e encontrar-se gravemente enfermo, deixando 4 filhos legítimos e 2 naturais, reconhecidos por escritura pública.

Deixou os bens de raiz: uma fazenda denominada Estância Nova, com casa de capim, coberta de telhas e algum arvoredo; outra fazenda menor, denominada São João, com casa coberta de telhas e de pedra, cercados, potreiro, mangeira e arvoredos e uma chácara nos subúrbios de São Gabriel, com casa de tijolos, coberta de telhas.

Casou-se (I) com Maria Alves Martins. Após, casou-se (II) om Claudina Arminda Freire (viúva do capitão João Batista Menna Barreto, acima citados), n. Caçapava do Sul, f. de José Freire de Andrade e Silvéria Matildes Maciel. Gaspar com Claudina teve 4 filhos, e com Oristela, deixou dois filhos naturais:

N1. Gaspar Rodrigues Penteado ou Gaspar dos Santos Sales (f.º com Oristela), n. 1838, Cachoeira do Sul e falecido em janeiro de 1870 em São Sepé/RS, onde autuado seu inventário (APERS). Casou a 02/09/1856, São Sepé/RS com sua prima Cândida Rodrigues Penteado, f. de Francisco Rodrigues Penteado e Florinda Antônia da Trindade, com quem teve:
Bn1. Leonida Rodrigues Penteado, n. 1857 em São Sepé, onde se casou com Fidêncio Totta Freire ou Fidêncio Totta Ferreira.
Bn2. Gasparina Rodrigues Penteado, n. 1859 em São Sepé, onde se casou com Bruno Pereira da Rosa.
Bn3. João Francisco Penteado, n. 1861, São Sepé.
Bn4. Maria Luiza Penteado, n. 1862, São Sepé.
Bn5. Eudóxia Penteado, n. 1865, São Sepé.
N2. Ana Francisca Rodrigues Penteado (f.ª de Oristela), n. 1840, RS. Casou em julho/1856, São Gabriel, com Hilário Lopes. Pais de: José, bat. 18/10/1858, n. 02/08/1858, São Gabriel.t. 14.11, Cachoeira do Sul. Em 1856 em São Gabirel casou com sua prima Ana Rodrigues Penteado, acima citada.
N4. Carolina Cândida Penteado, n. 5.6.1845, bat. 3.6.1846, São Gabriel, onde casou a 22/12/1858 com Joaquim Rodrigues de Freitas, ali n. em 1837, f. do capitão Ricardo Rodrigues de Freitas e de Joaquina Gonçalves da Trindade (ali fal. a 03/03/1837).

N5. Ubaldina Eulália Penteado, n. 27.9.1848, bat. 16.5.1849, São Gabriel, onde a 15/09/1863 na Estância da Bela Vista casou com seu cunhado Joaquim Rodrigues Souto, n. Encruzilhada do Sul/RS, f. de Fernando Rodrigues Souto e Maria Vieira.

N6. Clara Rodrigues Penteado, n. 27.3.1853, bat. 31.7.1854, São Gabriel, onde a 25/09/1869 no Rincão das Flores casou-se com Manuel Bento Pereira, n. 1848, Rio Pardo/RS, f. do capitão João Bento Pereira e Joana Antônia de Moura.

F9. Felicidade Penteado, bat. 12/10/1813, Cachoeira do Sul/RS, onde deve ter falecido criança, visto não constar no inventário paterno, nem descendente seu.

F10. Fortunato Rodrigues Penteado, n. Cachoeira do Sul e já falecido em 1859. Casou em 1820, em Cachoeira do Sul com Maria Caetana de Jesus ou da Rosa, ali nascida e falecida a 09.3.1879 em São Sepé/RS, onde autuado seu inventário (APERS), f. de Joaquim José da Rosa e Maria Joaquina da Trindade (esta filha de Antônio de Morais e Maria da Trindade, tratados neste blog, vide: http://pufal.blogspot.com.br/2012/04/familias-portuguesas-nas-missoes.html). Pais de:

N1. Fidélis Rodrigues Penteado, n. 1822. Em 1859 solteiro. Consta no inventário materno que desde 1851 estava ausente em lugar incerto e não sabido.

N2. Francisco Rodrigues Penteado, n. 1819. Em 1879 foi inventariante dos bens deixados por sua mãe, quando residente em São Sepé. Talvez seja o mesmo falecido em São Sepé a 08/08/1891 e casado que foi com Carolina Maria Gomes, inventariante dos bens deixados (APERS). O casal teve 13 filhos: João, Nodório, Maria José, Jacinto, Fortunata, Carmosina, Anália, Fidélis, Francisca, Félix, José, Franklin e Victor Penteado, nascidos entre 1862 e  1888 em São Sepé. 

N3. Fortunato Rodrigues Penteado, n. 16/04/1827, Cachoeira do Sul. Em 1859, solteiro. Não consta no inventário materno (1879), tendo possivelmente falecido neste ínterim, sem descendentes. 

N4. Clarinda Rodrigues Penteado, n. 09/11/1829, bat. 05/02/1830, Cachoeira do Sul, onde deve ter falecido criança, visto não constar no inventário dos avós, nem no de sua mãe.


N5. Carolina Maria Rodrigues, n. 22/02/1831, bat. 05/04, Cachoeira do Sul e já falecida em 1879 em São Sepé, solteira. Deixou dois filhos naturais, batizados em São Gabriel, de nome:

       Bn1. Ramiro Dutra da Silva, n. 04/12/1858, São Sepé/RS.
       Bn2. João Thimóteo Rodrigues, n. 13/09/1867, São Sepé/RS.

N6. Prudêncio Rodrigues Penteado, n. 24/12/1833, bat. 13/9/1834, Cachoeira do Sul.  Em 1879 já era falecido, visto não constar no inventário materno. 


N7. Josefa Rodrigues Penteado, n. 15/02/1835, bat. 19/06/1835, Cachoeira do Sul. Em 1879 já era falecida, visto não constar no inventário materno. 


F11. Vasco Rodrigues Penteado, n. Cachoeira do Sul e já falecido em 18/01/1835. Casou-se, ao que parece, duas vezes, a primeira com Maria Nefre da Silveira e, a segunda, com Matilde Maria dos Santos.Vasco teve, ao menos um filho natural com Maria da Cruz. Pais de:

N1. José Rodrigues Penteado, n. 1826, Cachoeira do Sul. Em 1859 no Estado Oriental (Uruguai).

N2. Maria dos Santos Rodrigues, n. 1828, Cachoeira do Sul. Em 1859 casada, residente no Estado Oriental.

N3. Daniel Rodrigues Penteado (f.º natural de Vasco com Maria da Cruz), n. Cachoeira do Sul ou Caçapava do Sul. Casou a 25/11/1856 em São Gabriel com Felicidade Perpétua de Jesus, n. Alegrete, f. de Sezefredo Gonçalves Pinto e Leonarda Vieira Ramos. Pais de:

    
          Bn1. Galdino Penteado, n. 18.4.1858, bat. 9.5.1858, São Gabriel. No batismo foi dado como índio.



FONTES:

- Arquivo dos Mórmons: livros de casamentos de Alegrete/RS, Rio Pardo/RS; livros de batismos e casamentos de Santo Amaro/SP, Guarulhos/SP.

- Arquivo da Arquidiocese de Bagé: livros de casamentos e batismos de São Gabriel.


- Arquivo da Arquidiocese de Cachoeira do Sul: livros de batismos e casamentos de Cachoeira do Sul.


- Arquivo Histórico da Cúria Metropolitana de Porto Alegre (AHCMPA): livros de batismos, casamentos e óbitos e habilitações de casamento.

- Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APRS): inventários e testamentos.

- Arquivos pessoais de: João Simões Lopes Filho, Elisabeth Berté da Cruz, Nelson Soares Keffer, Giancarlo Zeni e Tânia K. Arruda.

- FELIZARDO, Jorge Godofredo. Arquivo pessoal. (AHCMPA)

- GUIMARÃES, João Pinto da F. e FELIZARDO, Jorge G. Genealogia Rio-Grandense. Porto Alegre: Livraria do Globo, 1937.

- LEME, Luiz Gonzaga da Silva. Genealogia Paulistana. Disponível em: http://buratto.org/paulistana/.

- NUNES, Cláudio Pereira (org.). Genealogia Tropeira. Disponível em https://sites.google.com/site/valdeneisilveira/genealogiatropeira.

- Revista do Arquivo Público do Rio Grande do Sul, vol. 4º.



NOTAS:
[i] capitão Gabriel Ribeiro de Almeida faleceu em 1819 e sua mulher Florinda Rodrigues de Almeida, em 1831 (inventários autuados em Cachoeira do Sul, proc. n.º 155ª, maço 09, ano 1852, cartório de órfãos, APRS). Bens de raiz: uma sesmaria de campo denominada São João no Município de Missões, campo este possuído ilegalmente por Joaquim dos Santos Loureiro. Pais de:
1. Ana Florinda de Almeida casada com Antônio Rodrigues Penteado, acima citados.
2. Manuela Joaquina de Almeida, n. 4/08/1789, Cachoeira do Sul. Seu nome não consta no inventário materno, apesar de ter sido casada com Germano Severiano da Silva, português de nascimento, deixando descendência em São Borja.
3. Luísa Francisca de Almeida, bat. 19/02/1792, Cachoeira do Sul, onde casou a 12/08/1810 com o tenente José Gomes Porto. Pais do barão de Cruz Alta José Gomes Portinho.
4. Maria de Almeida, n. 08/08/1794, Cachoeira do Sul. Seu nome não consta no inventário materno.
5. Francisco Ribeiro de Almeida, n. 08/08/1796, Cachoeira do Sul. Seu nome não consta no inventário materno.
6. Lourenço Ribeiro de Almeida casado com Cândida Jacinta de Oliveira
7. Francisca Angélica de Camargo viúva de Francisco Ribeiro de Almeida e, depois, casada com Plácido Nunes de Mello
8. Maurícia Cândida de Almeida casada com Joaquim José Fagundes
9. Listarda Amália casada com Antônio Pinto Corte Real
[ii] REGINALDO ANTÔNIO DOS REIS, bat. 16/10/1786, Santo Amaro/SP e fal. 1869, São Francisco de Assis/RS, teve seu inventário autuado em 1871 em Itaqui/RS (APRS, proc. 58, maço 02, cartório de órfãos de São Borja), deixando ¾ e meio de campo no Boqueirão de Santiago (saleiro), avaliado em 7:000$000 réis e uma morada de casas coberta de telhas em mau estado, com cercados e arvoredo, avaliada em 200$000 réis. Foi filho de ANTÔNIO RODRIGUES PINTO (bat. 25/02/1761, Guarulhos/SP e casado a 08/02/1780, Santo Amaro/SP) e de EMERENCIANA QUITÉRIA DA SILVA, exposta, nascida em Santo Amaro/SP, neto paterno de JOÃO RODRIGUES PINTO (n. Santos/SP e casado a 15/01/1760 em Guarulhos/SP) e de ANA DA CONCEIÇÃO (n. São Paulo/SP), por estes, bisneto de BÁRBARA RODRIGUES e bisavô incógnito, e de JOSÉ VAZ DE AGUIAR (ou José de Aguiar Pedroso) e de MARIA PEDROSO.
REGINALDO casou-se a 29/10/1812, Lages/SC, com ANA JOAQUINA BORGES DO AMARAL (ou Ana Joaquina de Castro Mendonça), ali batizada a 25/09/1793 e falecida em São Francisco de Assis/RS, filha de JOÃO ANTÔNIO BORGES (ou João Antônio Borges de Castro) (n. cerca 1759, Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores e fal. fev/1823, Lages/SC) e de MARIA CUSTÓDIA DO AMARAL GURGEL (bat. 02/11/1772, Lages/SC, onde fal. 24/03/1841), neta paterna de JOSÉ FRANCISCO e de JOANA INÁCIA e, materna, de JOSÉ DO AMARAL GURGEL (n. 1744, São Paulo/SP e fal. 30/12/1812, Lages/SC – irmão de Bento do Amaral Gurgel, o primeiro capitão-mor de Lages/SC) e de MARIA DO NASCIMENTO MARQUES (n. 1754, Taubaté ou Parnaíba/SP e fal. 27/02/1833, Lages/SC). Reginaldo e Ana Joaquina foram pais de nove filhos:
F1. Maria Joaquina do Amaral ou Maria Joaquina da Conceição, n. 1819, São Paulo/SP ou Alegrete/RS e já falecida em 1905. Casou-se com Constantino José Martins, n. Taquari, f. de Joaquim José Martins e Bárbara Maria Fagundes (filha de Mateus Teixeira Fagundes e Francisca Maria de Bittencourt, antepassados de Diego de Leão Pufal e já tratados neste blog). Maria Joaquina e Constantino são antepassados de um grande ramo Martins estabelecido em São Francisco de Assis e arredores e, por consequência, ascendentes da família Martins da Jornada.
F2. Gertrudes, n. 16/12/1819, Santo Antônio da Patrulha/RS.
F3. Gertrudes Reginalda/Amália ou Gertrudes do Nascimento, n. 22/12/1820, bat. 30/12/1820, Santo Antônio da Patrulha. Casou-se com Porfírio Rodrigues Jacques, n. Alegrete e fal. Uruguaiana/RS, f. de João Rodrigues Jacques e Joaquina Clara da Silveira, com descendência do Alegrete.
F4. Antônia Joaquina, n. 1822, RS. Casou-se com Vasco Rodrigues Jacques, de quem já estava viúva em 1871, quando contava 40 anos, residente na “vilhinha da Palmeira, Município de Cruz Alta”.
F5. Israel Rodrigues do Amaral, major, n. 1823, RS. Em 1871 contava 48 anos, casado, residente na Fazenda do Itu, no 5º distrito de Itaqui/RS.
F6. Eugênio Rodrigues Reginaldo, n. 1829, RS. Em 1871 foi inventariante dos bens deixados pelo seu pai. Era alfabetizado, casado, com 42 anos. Talvez seja o mesmo que casou com Senhorinha Maria Nunes, filha de Custódio Nunes de Souza e Maria Gonçalves da Conceição.
F7. José Rodrigues Reginaldo, n. 1843, São Francisco de Assis, onde a 05/01/1859 casou-se com Ana Maria da Conceição, ali nascida, f. de Teodoro José da Costa e Maria da Conceição. O casal residia em Santiago do Boqueirão, onde teve os filhos: Teodoro, Ana, Virgínia (c/c Felisberto Bento Rodrigues de Camargo), Pedro, Gertrudes (c/c José Maria Marques), Reginaldo Rodrigues Neto, Maria Rodrigues Reginaldo (c/c Albino Garcia da Rosa), Antônia Rodrigues da Conceição (c/c Félix Dias de Freitas).
F8. Pedro Rodrigues Reginaldo, capitão, em 1856 já falecido. Casou-se Inocência Mendes ou Rodrigues Penteado, acima citados.
F9. João Rodrigues Reginaldo, já falecido em 1871. Casado com Inocência Rodrigues, f. de Custódio Nunes de Souza e Maria Angélica Lopes. Pais de: Virgínia Rodrigues (c/c Joaquim Vicente); João Rodrigues Reginaldo (c/c Faustina Gomes de Brum, com quem teve ao menos os filhos: Amália, bat. 2/7/1885, n. 4/8/1883, Santiago/RS e Pedro Rodrigues Reginaldo, casado a 20/05/1888 em Santiago/RS com Rita Silveira de Bastos, filha de Gaspar de Bastos e Constância da Silveira); Ana Rodrigues Reginaldo (c/c Francisco Nunes de Assis); Vasco Rodrigues Reginaldo e Rita Reginalda Borges.

2 comentários:

Anônimo disse...

Eu sou Moacyr Goulart do Prado.
Meus avós: Waldemar Gonçalves Goulart e Elsa Alencar Araripé Goulart (Itaqui-RS).
Filhos: Milton, Ismar, Fábio, Nadir, Neuza, Luiza e Maria Araripe Goulart.
Luiza Goulart do Prado, casou com Altamir Prado e teve os filhos:Noacyr, Mauro, Fabio e Iara Rita Goulart do Prado.

moacyrgoulart@gmail.com

Anônimo disse...

Gostaria de saber sobre meu bisavô que viveu em Moçambique e depois volto para Portugal. O nome dele era Candido da Cunha

rrassalan@gmail.com