sábado, 1 de outubro de 2011

Italianos no RS: os Artioli


Italianos no RS: os Artioli

Aos amigos Artioli e Fontanella

Autoria de Diego de Leão Pufal

[Esta publicação pode ser utilizada pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: PUFAL, Diego de Leão. Italianos no RS: os Artioli, in blog Antigualhas, histórias e genealogia, disponível em http://pufal.blogspot.com.br/] 

[correções e acréscimos podem ser enviadas por e-mail ou ao final desta postagem]
[atualizado em 23/01/2015]


Os ARTIOLI são oriundos da Itália, talvez da região de Modena ou Mantova, considerando-se que destes locais vieram outros ramos da família.
No Brasil, há informações dos Artioli em algumas cidades de São Paulo (Capital, Campinas, São Bernardo do Campo e Socorro), Espírito Santo, assim como no Rio Grande do Sul (Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul e Pelotas).
Sobre o ramo Artioli de Pelotas/RS, apesar de não ser foco de análise da presente pesquisa, encontrei alguns documentos que podem, eventualmente, auxiliar os respectivos descendentes.
No Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS) encontrei algumas habilitações de casamento de que revelam um pouco mais deste ramo, cujos dados foram acrescidos com informações repassadas pelo pesquisador Robert Vandersee Spillare, do Espírito Santo:


Gregorio Artioli nasceu em 1847 em Roncoferraro, Lombardia, Mântua, Itália, onde se casou em 1874 com Lucia Suzzara (em alguns registros dada como Luiza), nascida em Roncoferraro. Gregorio, Lucia e filhos emigraram para o Brasil, chegando ao Rio de Janeiro em 1887 a bordo do navio Giobatta Lavarello, juntamente com outros parentes (tios e primos) Carra e Spillari. Do Rio de Janeiro seguiram para o Espírito Santo, se fixando na colônia italiana Iconha até meados de 1900, depois se dirigindo para o então 5º distrito de Pelotas/RS, na Colônia Maciel, isto pelos anos de 1899. Gregorio ali faleceu em 1911, quando inventariado seus bens (proc. n.º 472, APERS). 
Foram pais, ao menos, de:

1. Rosa Artioli, n. 23/3/1878,  Castel d´ArioItália. Casou-se a 14/9/1901 no 5º distrito de Pelotas com Pasqual Berro, n. 8/7/1874, Itália, residente na Colônia Maciel em Pelotas desde 1898, filho de Paolo Berro e Filomena, italianos, residentes em São Paulo.
2. João Artioli (Giovanni Artioli), n. 1879, Castel d´Ario, Itália. Casou-se em agosto de 1906 no terceiro distrito de Pelotas com Amália Doro, n. 1887, no RS, filha de João Doro e Rosa, esta falecida. 
3. Constantino Artioli (Constante Artioli), n. 29/12/1880, Castel d´ArioItália. Lavrador de profissão, residente no 5º distrito de Pelotas, onde casou a 14/9/1901 com Rosa Beatrizini, n. 11/8/1882, Itália, filha de Giacomo Beatrizini e Judita (fal. na Itália).
 4. Maria Artioli, n. 1884, Castel d´ArioItália.


***

A respeito do ramo Artioli de Caxias do Sul/RS, consta no livro “Povoadores da Colônia Caxias”, de Mário Gardelin e Rovílio Costa, às fls. 415 e 419 - ora acrescido de dados constantes na habilitação de casamento de Vergínia Artioli (APERS):

Cesare Artioli, alfabetizado, sua esposa Ângela Bellini, com 20 anos e os filhos Norma, 13 anos, Rosa, 7 anos, Virgínia Artioli, 5 anos, de Mântua (Mantova) [casada a 9/9/1898 em Nova Trento, então 2º distrito de Caxias do Sul, com Giuseppe Romiti, n. 1880, RS, filho de Pietro Romiti e Catterina de Debacco, italianos], chegaram na colônia em 25-4-1884, recebendo o título provisório do lote 19 no Travessão Martins, em 25-5-1884, com 195.000 m2, e Giuseppe Artioli, 52 anos, alfabetizado, sua esposa Paula, 36 anos, de Mantova, chegaram na colônia em 26-3-1884, recebendo o título provisório do lote n.º 20 do Travessão Camargo, em 26-3-1884, quitado em 1893. 


***

Já o ramo de Porto Alegre/RS, fixou-se no 4º Distrito de Porto Alegre, a exemplo de outras tantas famílias estrangeiras já tratadas neste blog. Há informações de que os emigrantes Luigi Artioli e Catina Biseghini residiam na rua 7 de Abril (próxima à  Avenida Farrapos) em Porto Alegre e frequentavam as Igrejas de Nossa Senhora dos Navegantes, Conceição, depois a São João Batista e a São Pedro, conforme apontam os livros de batismos e casamentos. Esses mesmos registros indicam, ainda, que os Artioli estavam integrados à comunidade italiana local, visto que o casal emigrante foi padrinho de vários batizados e casamentos.
É possível, inclusive, que haja parentesco dos ramos de Caxias do Sul e Pelotas com o de Porto Alegre, cuja ligação, porém, não cheguei a estudar, limitando-me ao tronco fixado na capital gaúcha, cuja genealogia segue, observadas as seguintes abreviaturas:

n” para “nasceu”
fal.” para “faleceu”
bat.” para “batizado(a)”
c/c” para “casou com”

1. LUIGI ARTIOLI (no Brasil: Luís Artioli), nasceu a 1º/5/1868 na Itália e faleceu possivelmente em Porto Alegre/RS para onde emigrou com a mulher e ao menos um filho em meados de 1890/1900. Era filho de Michelle Artioli (Miguel Artioli) e Theresa Valentini. Luigi em 1907 residia na rua 7 de Abril em Porto Alegre com sua esposa Catina Biseghini, italiana, onde nasceu a 1º/5/1870, filha de Cesare Biseghini e Fabina Morselli


Fotografia enviada por Marta Carvalho
Legenda: (sentados) Teresa (no carrinho), Nello Artioli, Catina, Luigi e Leontina Artioli
(atrás) Égle e Valentin Artioli
Fotografia de 1908
O casal teve seis filhos:
2.1 VALENTIN ARTIOLI, n. 1888, Itália e fal. a 30 de março de 1967 em Porto Alegre/RS, tendo sido sepultado no cemitério São Miguel e Almas. Casou a 25 de novembro de 1911 na igreja de N. Sra. da Conceição, em Porto Alegre, com Idalina da Costa Barros, n. 19-01-1891, Porto Alegre e bat. 04-04-1891 na Igreja N. Sra. do Rosário (livro 25, p. 61) e onde fal. a 1º-01-1982, tendo sido sepultada com o marido, filha de Manuel da Costa Barros e Maria Francisca  Rodrigues de Azevedo.

[Registro de casamento de Valentin Artioli e Idalina da Costa Barros, casamento ocorrido
em 25-11-1911. Igreja de N. Sra. da Conceição, livro 2, pág. 82v, AHCMPA]

Manuel da Costa Barros nasceu em 1848, na cidade do Porto, Portugal, e faleceu a 04-02-1900 em Porto Alegre, aos 60 anos, casado, de febre tifóide. Segundo consta em sua habilitação de casamento (AHCMPA, 238/1874, caixa 283), Manuel emigrou para o Brasil solteiro, em 1868, aos 20 anos, estabelecendo-se em Porto Alegre. Foi filho de Manuel da Costa Jorge, às vezes, Manuel da Costa Barros e Maria Rosa de Jesus. Manuel, ao falecer, deixou, dentre outros bens, os seguintes: um terreno na Rua da Azenha; uma casa na mesma Rua, n.º 42-D; outra dita na mesma Rua, n.º 44; um terreno na rua Emancipação; outro na Rua Câncio Gomes, outros dois na Rua Cristóvão Colombo; uma casa na mesma rua, n.º 166, outra na mesma, n.º 196; outro na Rua 7 de Abril e mais duas casas “meia-água” na Cristóvão Colombo n.º 168 e 170. A família Costa Barros residia na Rua da Floresta, atual Cristóvão Colombo, em Porto Alegre.
Manuel casou a 02-05-1874 na igreja de N. Sra. das Dores em Porto Alegre com Maria Francisca Rodrigues de Azevedo (às vezes Maria Joaquina Rodrigues de Azevedo), nascida a 04-04-1855, Porto Alegre e bat. 26-12-1855, Taquari/RS, filha de Joaquim Rodrigues de Azevedo e Francisca Engrácia de Azevedo, ambos de Porto Alegre, onde casaram a 03-07-1854 (Catedral). Joaquim Rodrigues de Azevedo era tio de sua esposa, sendo ela filha de Antônio Rodrigues de Azevedo e Engrácia Rosa do Nascimento. Joaquim Rodrigues de Azevedo e Antônio Rodrigues de Azevedo, por sua vez, eram filhos de Manuel Rodrigues de Azevedo e Helena Maria de Jesus, nascidos em Porto Alegre, onde casaram em 1º-05-1802 (Catedral) e netos [paterno] de João Rodrigues de Azevedo Neto (às vezes João Machado Netto), natural da freguesia de N. Sra. da Conceição da Praia, ilha Terceira, Açores, e de Maria Antônia Soares, nascida em Rio Grande/RS em 1754.
Manuel da Costa Barros e Maria Francisca Rodrigues de Azevedo foram pais de treze filhos, sendo que cinco deles já eram falecidos em 1900, cujos nomes seguem:
·         Francisca da Costa Barros, n. 14-08-1875, bat. 23-10, Porto Alegre (Dores, 4-10v). Casou a 18-08-1894 na igreja de N. Sra. da Conceição (Porto Alegre) com o italiano Ângelo Peroni ou Perone, n. 1875, Itália, filho de Giuseppe Peroni e Christina Battaccini. Pais, ao menos, de 4 filhos, nascidos em Porto Alegre: Dorvalina, n. 3-8-1895; Armelinda, n. 19-01-1897; Rosalina, n. 28-3-1898 e Aristide, n. 9-9-1902.
·         Ludovina da Costa Barros, n. 16-07-1876, bat. 19-10, Porto Alegre (Dores), sendo que em 1900 já era falecida, sem descendentes.
·         Josefina da Costa Barros, n. 28-05-1878, bat. 29-08, Porto Alegre (Dores), sendo que em 1900 já era falecida, sem descendentes.
·         Alvina da Costa Barros, n. cerca de 1877/1880, Porto Alegre, onde casou com Anélio Dias do Nascimento, filho de Eloy José do Nascimento e Maria Delfina.
·       Etelvina da Costa Barros, bat. 06-11-1883, na igreja de N. Sra. do Rosário, Porto Alegre. Casou com Teófilo dos Santos Machado, filho de Rafael dos Santos Machado e Maria Jacinta.
·         João da Costa Barros, n. 27-01-1885, bat. 04-04, na igreja N. Sra. do Rosário, em Porto Alegre, onde fal. 09-12-1913, de tuberculose, solteiro, comerciante.
·         Rosalina da Costa Barros, n. 30-08-1886, bat. 27-11, N. Sra. do Rosário, em Porto Alegre, onde fal. 25-11-1897.
·         Propício da Costa Barros, bat. 22-12-1888, com três meses, na igreja de N. Sra. do Rosário. Casou a 24-09-1910 na igreja de N. Sra. da Conceição com Georgeta Altiva, n. 1893, filha de Angelina Pertile.
·         Idalina da Costa Barros, n. 18-01-1891, Porto Alegre, onde casou com Valentin Artioli, acima citados.
·         Arlindo da Costa Barros, n. 11-01-1893, bat. 20-05, na igreja de N. Sra. do Rosário, em Porto Alegre. Casou a 12-01-1916 na capela de São Manuel em Porto Alegre com Olga Gerber, n. 03-01-1898, Porto Alegre, filha de Johann Peter Gerber (João Pedro Gerber), n. 1874, Rússia, e Áurea Gonçalves Meireles.
·         Almerinda da Costa Barros, n. 22-10-1894, bat. 15-12, na igreja de N. Sra. da Conceição e fal. a 05-11-1895.
·         Ildefonso da Costa Barros, n. 03-02-1896, bat. 18-04, na igreja de N. Sra. da Conceição e fal. 15-06-1915, Porto Alegre, de tuberculose, solteiro, na Avenida Napolitana, n.º 31, de profissão jornaleiro.
·         Maria da Costa Barros, n. 19-12-1897, Porto Alegre, onde fal. com dois dias, a 21-12-1897.

Valentin Artioli e Idalina da Costa Barros foram pais de 10 filhos, cujos nomes seguem:
3.1 Osmarina da Costa Artioli, n. 16-07-1913, Porto Alegre, onde fal. 29-12-1999, solteira.
3.2 Jayme da Costa Artioli, n. 08-12-1914, Porto Alegre, onde fal. 1º-03-1998, com descendência.
3.3 Diva Artioli, n. 15-09-1915, bat. 25-12-1916, na Igreja São Pedro, em Porto Alegre. 
3.4 Nelly da Costa Artioli, n. 10-06-1917, Porto Alegre.
3.5 Danilo da Costa Artioli, n. 13-10-1918, Porto Alegre, onde fal. 05-08-1920.
3.6 Luiz da Costa Artioli, n. 08-07-1920, Porto Alegre, onde fal. 2004. Ali casou a 28-12-1946 com Lila dos Santos, n. Porto Alegre, filha de Antônio dos Santos e Isabel Villon. Pais de três filhos, dentre eles: Gilberto dos Santos Artioli c/c Íris Fontanella (pais de Daniela e Felipe).

A família Fontanella originou-se na cidade de Belluno, Longarine, Itália, emigrando para o sul de Santa Catarina, cidade de Urussanga, por volta de 1890. Dali, os descendentes do casal-imigrante foram para várias cidades (Criciúma, Jaguaruna, Tubarão, São Joaquim e outras) e depois para o Rio Grande do Sul. Ao que as pesquisas indicam, foi emigrante deste ramo:

·                     Marco Fonatella, n. 29-10-1874, Belluno, Longarine, Itália, lavrador de profissão, filho de Giovanni Fontanella e Francesca, casou-se a 05-01-1895 em Urussanga/SC com Maria Magdalena de Boni, n. 03-12-1877, Belluno, Itália, filha de Matteo de Bona Sartor e Domenica. Marco e Maria Magdalena foram pais de:

·                     Pompílio Fontanella, n. 29-07-1901, Urussanga/SC, de profissão operário e pedreiro. Casou (I) com Olívia Matos, com quem teve 4 filhos (Nice, Aci, Jarú e Elem Fontanella). Casou (II) com Adelina de Souza Venção, n. 05-12-1901, São Joaquim/SC, filha de Antônio Rafael Venção (n. Imaruí/SC e fal. 1911, São Joaquim/SC) e Fortunata Cavalheiro do Amaral (n. 1859, São Joaquim/SC, onde fal. 05-10-1930, neta paterna de Raphael Venção (talvez Raphael Venzon), n. Gênova, Itália, e de Maria Rosa da Conceição (n. Ribeirão/SC). Houve do segundo casamento de Pompílio 6 filhos: Penaforte Fontanella, Bernilge Fontanella, Maria Fontanella, Vemina Fontanella, Lúcia Fontanella e

·                     Heitor Fontanella, n. 20-12-1929, São Joaquim/SC e fal. Porto Alegre/RS. Casou com Suzana Brasil, gerando duas filhas: Dóris Fontanella (c/c Valmor Riva, pais de: Denis) e Íris Fontanella (c/c Gilberto Artioli, acima citados).

3.7 Rubens da Costa Artioli, n. Porto Alegre.
3.8 Ivo da Costa Artioli, n. Porto Alegre.
3.9 Ivone da Costa Artioli, n. Porto Alegre. Casou com ... da Silva, gerando, ao menos, Ernani Artioli da Silva (c/c Marta Carvalho, quem nos passou a fotografia do casal Luigi e filhos).
3.10 Nehyta Artioli, n. Porto Alegre.
2.2 ÉGLE ARTIOLIn. 30-04-1898, talvez em Porto Alegre.

2.3 NELLO ARTIOLI, n. 22-10-1901, bat. 07-05-1908 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Foi casado, deixando filhos, dentre eles Ernani Artioli, pai de Maria da Graça Artioli, nossa informante.

2.4 LEONTINA ARTIOLI, n. 22-06-1903, Porto Alegre, bat. 07-05-1908 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Sem mais notícias.


2.5 TERESA ARTIOLI, n. 07-12-1907, Porto Alegre, bat. 07-05-1908 na igreja de N. Sra. dos Navegantes. Sem mais notícias.

Registros dos batizados de Nello, Leontina e Teresa
Artioli, realizados a 07-05-1908 na igreja de N. Sra.
das Navegantes em Porto Alegre
(livro 4, pág. 10, AHCMPA)



2.6 CÉSAR ARTIOLI, n. 26-04-1909, Porto Alegre, bat. 13-02-1916 na igreja São Pedro. Sem mais notícias.

BIBLIOGRAFIA:
- Arquivo Histórico da Cúria Metropolitana de Porto Alegre (AHCMPA): livros de batismos, casamentos e óbitos.
- Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS): inventários, habilitações de casamento e talões do Registro Civil de Porto Alegre.
- COSTA, Rovílio e GARDELIN, Mário. Povoadores da Colônia Caxias. Porto Alegre: EST, 2002, 2. ed.
- The Church of Jesus Christ of Latter-Day Saints (Igreja Mórmon)- https://www.familysearch.org/
- Arquivo pessoal de Robert V. Spillare e Maria da Graça Artioli.

Um comentário:

Robert V. Spillare disse...

Olá pesquiso sobre genealogia há aproximadamente 16 anos, fiquei surpreso por encontrar dados relacionados à familiares de meu nonno aqui.

Gregogio Artioli se casou em 1874 com Lucia (registrada Luigia no desembarque) e desembarcaram em 1887 no porto do Rio, eles vieram em um pequeno grupo de famílias aparentadas e amigas entre viviam que viviam todos na mesma região... porém nunca achei vestigios dos primos artioli de meu nonno aqui no ES, até mesmo porque não sabia que tinham escolhido ir p o RS.

Obrigado pela informação