domingo, 21 de novembro de 2010

Italianos no RS: os Giordani

Italianos no RS: os Giordani (Porto Alegre)
Autoria de Diego de Leão Pufal
[atualizado em  12/06/2013]

Vários ramos da família Giordani emigraram da Itália para o Brasil, mas aqui vou tratar de um estabelecido na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, proveniente da cidade de Conegliano, no Vêneto.
No dia 16 de abril de 1889 chegaram[1] na Colônia de Alfredo Chaves, atual Veranópolis, na Serra Gaúcha:
·        Francesco Giordani, 52 anos;
·        Giustina, 38 anos [esposa];
·        Augusto, 10 anos [filho];
·        Vicenzo, 6 anos [filho]
·        Giácomo, 3 anos [filho]
Poucos anos depois a família mudou-se para Porto Alegre, possivelmente em busca de novas oportunidades. Fixou-se no 4º Distrito, região norte da cidade, local em que há pouco se iniciavam as indústrias e conhecido reduto de estrangeiros, notadamente italianos e poloneses.
Ali os Giordani se estabeleceram com comércio, deixando descendência, à qual passo:
***
1. FRANCESCO GIORDANI, nascido no ano de 1847 em Conegliano, Vêneto, Treviso, Itália, onde deve ter casado em meados de 1877 com GIUSTINA BRAIDO, ali nascida em 1851 e ambos falecidos no Rio Grande do Sul. Foram pais, ao menos, de três filhos:
2-1 AUGUSTO ATÍLIO GIORDANI, nascido em 1879 em Conegliano, Itália, e falecido a 13/11/1953 em Porto Alegre, na Rua Quintino Bocaiúva n.º 818, sem testamento, viúvo, comerciante aposentado. Casou na igreja de N. Sra. da Conceição, em Porto Alegre (livro 1-83), a 18/11/1899, com MARIA JOANA BORSOI, nascida em 1880 em Carlos Barbosa/RS, e falecida a 07/01/1927, Porto Alegre, filha dos italianos Marco Borsoi e Luigia Guerra – casal com larga descendência.
Em 1901 Augusto e esposa residiam no Passo da Areia, em Porto Alegre. Por ocasião do inventário de Augusto Atílio (processo n.º 132, 2º cartório cível de Porto Alegre, autuado em 08-02-1954, APRS), consta que residia à Rua São Salvador, n.º 237, Porto Alegre. Deixou os seguintes bens:  um casebre de madeira, em ruínas [sic], à rua São Salvador n. º 237, com suas dependências e terreno, adquirido de Jacquelina Ribeiro Mattos, e Cr$30.000,00 na Caixa Econômica.
Augusto e esposa tiveram quatro filhos:
3-1 Victorio Francisco Giordani, nascido a 18/10/1901, Porto Alegre, batizado a 01/12/1901 na igreja de N. Sra. dos Navegantes (lv. 2-17) e falecido a 16/08/1965 em Porto Alegre (cemitério São João). Ali casou com Maria Pedrazzani, nascida entre 1903/1905 em Cachoeira do Sul/RS e falecida em Porto Alegre, filha de Francesco Giovanni Pedrazzani (nascido a 01/10/1870 na cidade de Milão, batizado na igreja de Santa Maria Incoronata e falecido a 23/04/1955 em Cachoeira do Sul, de senilidade, onde também casou a 12/09/1903 – Francesco emigrou da Itália estabelecendo-se em Cachoeira do Sul, onde foi ourives e residia na Rua Milan Kras) e de Clarinda Gonçalves de Carvalho (nascida em 1880 em Cachoeira do Sul, onde faleceu depois de 1955, neta paterna de Francesco Pedrazzani (nascido por volta de 1845 em Milão, onde faleceu em 1886 – era ferreiro e residia na rua “Corso Garibaldi n.º 125”) e Maria Turconi (nascida cerca de 1850 em Milão, onde faleceu depois de 1903), neta materna de Joaquim Venâncio de Carvalho e Ambrosina Gonçalves.
Victório Augusto foi contador; em 1955 residia na Rua São Pedro, n.º 828. 
Victório Augusto Giordani dá nome a uma rua em Porto Alegre, cuja exposição de motivos levada pelo Vereador João Dib à Câmara de Vereadores desta Cidade, assim dispôs:
 "Uma das suas maiores glórias e mesmo razão para tudo fazer por Porto Alegre, era ser filho de Augusto Atílio Giordani e Maria Joana Borsoi Giordani, pioneiros do Bairro Passo da Areia, hoje Cristo Redentor. Por seus estudos no colégio das Dores, onde galgou degrau a degrau até formar-se economista.Casado com Maria Pedrazzani Giordani, formou um par a serviço de várias campanhas beneficiente-religiosas, organizadas na Paróquia São Geraldo, onde por diversas vezes foi festeiro. Homem sempre voltado para as obras criadoras desta Capital, foi um dos fundadores da Cooperativa dos Produtores de Leite; foi o primeiro gerente do Entreposto do Leite - a atual CORLAC. Com seu espírito de comunidade, foi Presidente, por muitos anos, da Associação dos Antigos Alunos La Salistas. Como não lhe faltava tempo para o esporte, exerceu a Gerência do Joquei Clube do Rio Grande do Sul por quatorze anos, e as funções de Administrador da construção do Hipódromo do Cristal. Quando foi fundada a Associação dos Amigos do Bairro do 4º Distrito, lá estava o seu nome entre os demais fundadores; participou ativamente na Exposição-Feira do Hospital da Criança Santo Antônio. Foi presidente do Conselho Deliberativo e membro de Diretoria por muitas gestões da Sociedade Orgulho do 4º Distrito, conhecida por Sociedade Gondoleiros. Quando esteve em Santo Antônio da Patrulha, foi o amigo, o comerciante, o industrialista, o agente bancário e o fundador do Esporte Clube Jahú; deste foi presidente por muitos anos [...]." 
Lembrança da Missa de sétimo dia de Victório Francisco Giordani
fonte: arquivo pessoal de Diego de Leão Pufal
Victório e Maria foram pais de:
4-1 Wilmar José Giordani, n. 19/02/1927, Porto Alegre, onde faleceu a 31/10/1927.
4-2 Walmir Francisco Giordani, n. 23/09/1927, Porto Alegre, onde faleceu a 04/06/2000. Ali casou a 12/02/1953, na igreja São Geraldo, com Julieta Corrêa Pufal (Julietinha), n. 09/10/1930, Porto Alegre e fal. 20/12/2007, filha de João Luiz Pufal e Julieta Corrêa Pufal [meus bisavós – v. neste blog: http://pufal.blogspot.com/search/label/Pufal].
Julieta Corrêa Pufal e Walmir Giordani
Porto Alegre, 1953.
Walmir e Julieta foram comerciantes no 4º Distrito em Porto Alegre, estabelecidos na esquina da Avenida São Pedro com a Av. Bahia, durante décadas, com a Livraria Mundial. O casal deixou três filhos: Paulo Roberto, Josiane Rita e Marcelo, e quatro netos: Tiago, Carolina, Laura e Giovanna.
3-2 Roberto Francisco Giordani, batizado a 24/06/1905 com cinco meses na capela de São João do Passo da Areia em Porto Alegre (Igreja dos Navegantes). Por não constar no inventário paterno, em 1853, creio tenha falecido neste ínterim e solteiro, sem filhos.
3-3 Armando João Giordani, nascido a 01/03/1908 em Porto Alegre, onde batizado a 17/09/1908, na igreja de N. Sra. dos Navegantes (lv. 4-22), e falecido em Santo Antônio da Patrulha/RS. Nesta última cidade casou com Maria de Lourdes Vila Verde, ali nascida em 1911, filha de Victor Vila Verde de Jovina Aguiar. Armando foi comerciante em Santo Antônio da Patrulha.
3-4 Augusto Arthur Giordani, n. 09/11/1910, Porto Alegre, e bat. 27/01/1912, na Igreja de N. Sra. das Navegantes (livro 5-82). Casou a 16/07/1932 na igreja de São João Batista do Passo da Areia com sua prima Maria Luiza ou Marieta Bernardi, nascida a 21/10/1912, Porto Alegre, filha de Bartolomeu (ou Bertolino) Bernardi e Otília Borsoi [esta filha de Marco Borsoi e Luigia Guerra, acima citados].
Augusto foi industrialista, residente em Porto Alegre na Rua Quintino Bocaiúva, n.º 818. De seu casamento encontrei dois filhos: Tito Lívio e Roberto Giordani.
2-2 VICENZO GIORDANI (no Brasil: Vicente Giordani), nascido em 1883 em Conegliano, Itália e falecido em Porto Alegre/RS. Casou a 06/07/1901 na igreja N. Sra. dos Navegantes (livro 1-6) com Maria Faquinello ou Giachinello, n. 1884/1885, Itália, filha de Andrea F. e Giovanna (Joana) Biaggio. Pais de sete filhos, todos batizados na igreja de N. Sra. da Conceição:
3-1 João Luiz Giordani, n. 01/08/1903, Porto Alegre, onde faleceu em 24/08/1996. Casou com Irma Eisenhut, deixando descendentes em Porto Alegre.
3-2 Augusto Afonso Giordani, n. 24/04/1905, Porto Alegre, onde se casou com Luiza Pazeto, filha de Marino Francisco Pazeto e Elisabeth Barbieri.  Com descendentes em Porto Alegre.
3-3 Adolfo Giordani, n. 11/02/1907, Porto Alegre.
3-4 Olinda Giordani, n. 10/07/1908, Porto Alegre.
3-5 Olga Giordani, n. 12/08/1910, Porto Alegre.
3-6 Onélia Giordani, n.10/02/1913, Porto Alegre, onde casou com Percides Castro Nunes, com descendência.
3-7 Olandina Giordani, n. 23/09/1914, Porto Alegre, onde casou com Alcides Salim Sessim, com descendência.
2-3 GIÁCOMO GIORDANI (no Brasil: Jacob Giordani), nascido em 1886 em Conegliano, Itália. Sem mais notícias.


[1]  COSTA, Rovílio (e outros). Povoadores das Colônias Alfredo Chaves, Guaporé e Encantado, EST ed. 1997, p.804.

Nenhum comentário: