sábado, 18 de setembro de 2010

Poesias de Mário da Silva Brasil

Poesias de Mário da Silva Brasil (XIX)


                               Desde julho de 2008 venho veiculando neste blog algumas poesias do meu bisavô Mário da Silva Brasil, as quais foram escritas em sua grande maioria na década de 1910, na cidade de Porto Alegre. Muitas delas foram publicadas nos jornais da época, já outras ficaram registradas em seu caderno.
                                Para que as obras de Mário da Silva Brasil não fiquem no esquecimento, disponibilizo mais uma de suas poesias, preservando-se a escrita da época.


Dever


Amar?! Para que amar sem ser amado
Si o amor é illusão, sonho, chiméra,
Para quem já me foi muito sincera
E, hoje em dia, me tem abandonado?!

Para que volvo ás cinzas do passado
Si ainda vejo florida a primavera
Viçosa de meus annos? Nem quizéra
Rever o que já tenho atraz deixado,

Si não fôra autolhar a cada instante
Aquella que jurou-me ser constante,
E que ingrata me foi, em realidade,

Esquecel-a é um dever, e com razão,
Pois tenho agora a fervida amizade
De quem amo e a quem dei o coração!

Porto Alegre, 21-8-1910.

Nenhum comentário: