domingo, 13 de junho de 2010

Poesias de Mário da Silva Brasil

Poesias de Mário da Silva Brasil 


Desde julho de 2008 venho veiculando neste blog algumas poesias do meu bisavô Mário da Silva Brasil, as quais foram escritas em sua grande maioria na década de 1910, na cidade de Porto Alegre. Muitas delas foram publicadas nos jornais da época, já outras ficaram registradas em seu caderno.

Para que as obras de Mário da Silva Brasil não fiquem no esquecimento, disponibilizo mais uma de suas poesias, preservando-se a escrita da época.

Em Vão



Embora eu absorva e beba attento
As licções que dos mestres tenho a flux,
Muito embora eu aspire a casta luz
Da sciencia que illumina o pensamento,

Não sou feliz porque neste momento
Trago o fel que tambem tragou Jesus,
E nos hombros carrego a eterna cruz:
O lenho do martyrio e do tormento.

Oh escabrosa vereda do presente,
Quero subir-te, mas, me não consente
O meu herculeo esforço soberano!

Quero galgar-te mas sou fraco e pobre,
E o meu intento tão sublime e nobre
Vejo tombar, meu Deus, que desengano!



Porto Alegre, 29-6-1910.

Nenhum comentário: