sábado, 13 de junho de 2009

Inventários Lagunenses - Família Cardoso de Aguiar

Inventários Lagunenses
Arquivo Histórico Municipal de Laguna/SC

(Casa Candemil)


Autoria de: Diego de Leão Pufal

Mateus Cardoso de Aguiar (1819)


O texto abaixo se reproduz parcialmente da obra inédita de Moacyr Domingues, denominada "Famílias Lagunenses", disponível em http://www.scribd.com/doc/14650246/Familias-Lagunenses, acrescido de informações (em letra azul) retiradas do inventário e testamento de Mateus Cardoso de Aguiar, de 1819, em Laguna, depositado no Arquivo Histórico Municipal da mesma cidade (Casa Candemil).

CARDOSO DE AGUIAR, MATEUS - Nasceu na Ilha Terceira (Açores); ainda vivia a 23/1/1786 quando testemunhou um casamento em Laguna, onde faleceu a 10/09/1819, com testamento. Seu inventário foi autuado em 27/10/1819 (processo n. 294/1819 - caixa 119), tendo sido inventariante o filho Antônio Cardoso de Aguiar. Fez seu testamento em Laguna no dia 13/04/1819, no qual declarou ser natural da freguesia de Santo Antônio, bispado de Angra, ilha Terceira, nos Açores, filho de Antônio Cardoso de Aguiar e Catarina Maria, falecidos; casou com Rita Mariana, n. Ilha Terceira cerca de 1742 e falecida em Laguna a 20/10/1822, já viúva (fl. 47), com quem declarou ter havido sete filhos, sendo que duas já eram falecidas em 1819, tendo uma deixando descendentes. Pais de:

F-1 Ana Maria de Jesus ou também Ana Joaquina de Jesus ou Ana Maria da Conceição, n. Desterro e já falecida em 1819; casou em Laguna a 29/11/1797 com Zeferino José da Silva Matos (v. José da Silva Matos, F-5, aí a sucessão); faleceu antes de 1816, quando começa a suces­são do segundo casamento de seu viúvo; Em 1819 o viúvo Zeferino e filhos residiam na Ponta Grossa (considerando que Ana Maria de Jesus já era falecida quando do inventário paterno, seus filhos lhe seguiram na sucessão, com alguns acréscimos sobre as informações lançadas por Moacyr Domingues no título de José da Silva Matos):
N-1 João da Silva Matos, n. Laguna, onde casou a 20/5/1820 (fls. 212/212v) com Ana Joaquina (v. Jorge Cardoso, N-3); Em 1819 João contava 20 anos de idade, era solteiro e estava ausente.
N-2 José da Silva Matos, em 1819 contava 17 anos, solteiro, ausente.
N-3 Maria Rosália de Jesus, n. Laguna a 25/1/1804 (bat. 5/12) (fl. 1v), onde casou a 26/11/1827 com José da Rosa (v. Antônio da Rosa, N-19);
N-4 Joaquina Rita da Conceição, bat. Laguna a 26/5/1806 (fl. 83v) onde casou a 29/11/1829 com Antônio Paz de Faria (neto) (v. Antônio Pais de Faria, N-2);
N-5 Zeferino da Silva Matos, bat. Laguna a 8/5/1808 (fls. 147/ 147v), onde casou a 3/6/1826 (fl. 80v) com Ana Maria de Je­sus, n. Freg. do Ribeirão, fleg. Silvestre dos Santos e de Caetana Maria de Jesus; pais de: (...)
N-6 Manuel, n. Laguna a 3/12/1809 (bat. 17/12) (fl. 212v);
N-7 Rita Maria da Conceição, n. Laguna a 28/8/1811 (bat. 8/9) (fl. 274), onde casou a 23/11/1830 com Francisco de Medeiros (v. Antônio Rodrigues de Figueiredo, N-20);
N-8 Ana, em 1819 contava 4 anos, em companhia de seu pai na Ponta Grossa.

F-2 Marcelino José Cardoso, n. Freg. Lagoa; foi primeiro casado com Francisca Teresa de Jesus, de quem teve: (...)
F-2 Marcelino José Cardoso casou em 2ªs. núpcias com Joana Maria de Jesus, n.Vila Nova, fleg. Manuel Machado Pacheco e de Ana Maria de Jesus, sogros também de Francisco José Cardoso (v. José Cardoso Delgado, N-4); moradores no Rio de Aratingaúva em 1813, tiveram: (...) Em 1819 ainda residente no Rio de Arantigaúva, casado.
F-3 José Cardoso de Aguiar, n. Enseada de Brito; em 1ªs. núpcias casou em Laguna a 21/11/1812 (fls. 100/100v) com Mariana Faus­tina de Jesus (v. Pedro Vieira Tavares, N-9); em 2ªs. núpcias casou a 27/10/1820 (fl. 220v) em Laguna com Maria Rosa de Je­sus (v. Antônio de Espíndola, N-25); teve do primeiro matrimônio os três filhos seguintes: e morava na Ponta Grossa em 1813: (...) Em 1819 ainda residente na Ponta Grossa, casado.
F-4 Antônio Cardoso de Aguiar, n. Laguna; teve com Caetana Maria (v. Manuel Nunes Martins, F-2) o filho natural: (...) Antônio Cardoso de Aguiar, citado no testamento como Antônio José Cardoso, foi inventariante dos bens deixados por seu pai, quando residia na Ponta Grossa, contava trinta anos de idade e era solteiro.
F-5 Aurélia casou com Isidoro Alves da Cruz, residentes em 1819 na vila de Laguna.
F-6 Manuel Cardoso, em 1819 era casado e residente na cidade da "Bahia" (Salvador).
F-7 Rosaura, em 1819 já era falecida; foi mencionada no testamento paterno, pelo qual faleceu solteira e sem filhos.