domingo, 20 de julho de 2008

Poesias de Mário da Silva Brasil

Mais algumas poesias de Mário da Silva Brasil:

Escuta
(A Gentil Noemia)
Oh flôr amada,
Prenda adorada,
Fada encantada
Que adoro tanto !
Ouve, nest’ hora,
Quem por ti chóra,
E amor te implóra
Num doce canto

E’ teu amante,
Que delirante,
Vem neste instante ,
Amor rogar-te;
Sou eu, querida,
Que a minha vida,

Extremecida,
Quero offertar-te
Anjo, supponho,
Que será sonho,
Feliz, risonho,


P’ra mim a vida;
Si me fitares,
Si em mim pensares,
Si me adoraraes,
Oh flôr querida !

Mas si me esqueces,
Si me aborreces,
E si padeces,
Com meu amor;
A minha sorte
Será só a morte,
Com seu transporte
De negro horror.

Como te quero!
Amor sincero,
De ti espero,
Mimosa flôr
Meu canto finda,
Mas venho ainda,
Oh virgem linda,
Pedir teu amor!!
Santa Maria, 18-1-909;
Publicado no Jornal POPULAR.
***
Desdem

Eu tenho n’ alma uma tristeza infinda,
Oh anjo qu’rido, por não ser feliz;
E que possuia e desejava ainda
O teu amor que ao meu amor já quiz,

Um amor jamais como o meu se finda,
E o teu deixou-me, tua alma me diz;
E tu, querida, que és tão bella e linda
Então te queixas de algum mal que fiz?!

Não, isso eu não creio, pois te amo tanto,
E tu me amaste, como é isso então!?
Já despresaste meu amor tão santo

E a outro deste todo um coração?
Pois bem, só quero derramar meu pranto
Que não tem crime, mas que tem perdão!
Santa Maria, 27-4-1909

Nenhum comentário: